E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Esquerdismo, beleza e bom humor nas melhores fotos de 2016 segundo o The Guardian


A edição de hoje (26) do The Guardian trás uma seleção de fotos emblemáticas deste 2016 que se esvai.

Antes um comentário: considero o esquerdismo militante do TG algo que por vezes atrofia suas análises, mas nada que impeça de recomendar a leitura diária, essencial para aqueles que gostam de lançar um olhar ainda que rápido para além da paliçada de sua aldeia.

As fotos, por óbvio, refletem esse perfil militante do jornal, mas acima de tudo formam um belo tributo aos fotógrafos que, desde o Século XIX, se incumbem de fazer parar o tempo e imortalizar os gestos humanos.

Há flagrantes para todos os gostos. O encontro de Trump e Obama sob os olhares de Washington e Lincoln; Pistorus a andar sob seus tocos diante de um Tribunal na África do Sul (uma imagem forte); pombos adejando sobre um terrorista (uma imagem irônica); o garoto que passeia em um campo de petróleo em chamas no Iraque e por aí vai.

Tão importante quanto as fotos, são os comentários feitos pelos fotógrafos. Inevitavelmente, misturam aspectos da técnica fotográfica com as dificuldades enfrentadas para conseguir o clique. Muitas vezes arriscam alguma análise sociológica - em sua maioria, profundas como um pires, mas deve-se perdoar os artistas - a maioria não sabe o que diz.

Entendo que a arte, uma vez que cumpra os rigores formais, passa ao campo da subjetividade e onde vejo humor sempre haverá alguém a ver drama. Assim são os humanos em sua humana condição.

Escolhi esta imagem acima apenas porque, entre tantas, reflete o bom humor que deve permear a vida. Apesar de achar que os demais corredores não conseguem achar nada engraçado Bolt mostrar-lhes todos os dentes enquanto os deixa para trás, o sorriso do campeão é notável.

Curtam neste link todas as belas imagens eleitas pelo The Guardian.