E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Décimo terceiro salário de servidores injeta quase R$ 20 milhões na economia de Marabá

Ontem (13), o blog noticiou que João Salame Neto, prefeito de Marabá, havia começado a pagar o Décimo Terceiro Salário dos servidores municipais.

Hoje, o blog apurou os valores envolvidos e a soma realmente impressiona.

Ao todo, segundo as previsões da Prefeitura de Marabá, serão injetados na economia do município exatos R$ 19.899.822,49. Salame pretende concluir o pagamento do décimo até o final desta semana.

A liberação destes quase 20 milhões de reais a mais deve representar um fôlego e tanto para o combalido comércio de Marabá, acertado em cheio pela crise econômica. O fechamento de empresas e o aumento significativo do número de trabalhadores desempregados foram os aspectos mais marcantes de 2016 em Marabá.

Faltando 10 dias para o Natal, é visível que o movimento nas lojas ainda é pequeno e o marabaense não demonstra disposição para grandes aquisições nas festas de fim de ano. O marasmo no comércio torna ainda mais relevante o esforço de Salame para quitar o décimo dos servidores.

Ao que tudo indica, João Salame dificilmente terá condições de quitar, até o fim de seu mandato, todas as dívidas com salários e outros encargos da folha de pagamentos da Prefeitura de Marabá. O próximo prefeito de Marabá, Tião Miranda, haverá de se defrontar com a necessidade de decidir quando e se pagará o que ficar pendente, algo que é sempre ruim.

O governo de Salame é considerado controverso por muitos, mas é inegável que, de agosto a dezembro, Salame conseguiu estabelecer uma ordem de prioridade para os gastos e enxugar a folha de pessoal ao exonerar contratados e comissionados, reordenando minimamente as contas públicas. O ajuste de certa forma vem surtindo efeito e está sendo possível até mesmo entregar diversas obras nesta reta final de mandato. O final de governo de Salame apresenta um cenário bem menos apocalíptico que aquele previsto por seus adversários (e até alguns "aliados").

Salame prevê ainda para a próxima semana o pagamento dos salários referentes ao mês de novembro.