E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Após localização de Luar C, corpo de mais uma vítima do naufrágio é encontrada na baía do Marajó


As buscas pelos corpos dos desaparecidos no naufrágio da lancha Luar C, ocorrido no dia 7 deste mês, prosseguiram na manhã nesta quarta-feira (21). E mais um corpo de mulher foi encontrado hoje. Ainda restam outros três a serem resgatados. A maior possibilidade é que estejam presos à embarcação, localizada a 30 metros de profundidade, no meio da Baía do Marajó, entre os municípios de Barcarena e Ponta de Pedras

O rastreamento da embarcação Luar C e dos desaparecidos foi retomada nesta terça (20). O primeiro corpo encontrado, também de uma mulher, foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Belém pela equipe de remoção do Núcleo do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves de Abaetetuba, e chegou à capital no início da noite. Na manhã de hoje foi submetido à necropsia. Devido ao estado avançado de decomposição em que se encontrava, não foi possível realizar o reconhecimento visual por familiares, sendo necessário então o exame de DNA, em caráter de urgência, para confirmar a identificação. A previsão para que o resultado esteja pronto é de cinco a dez dias. Desde as 6h da terça-feira, uma equipe de quinze mergulhadores do Corpo de Bombeiros Militar do Pará e da empresa Tecmar - contratada pelo dono da embarcação Luar C, Antônio Fernando Colares Tavares, para dar suporte à operação - e com o acompanhamento da Marinha do Brasil, iniciou o rastreamento da área conhecida como furo do Arrozal. A lancha foi localizada a cinco quilômetros de Barcarena, às proximidades de onde as equipem concentram as buscas.

O naufrágio fez cinco vítimas fatais. Outros 43 passageiros foram resgatados com vida. "Consideramos um grande êxito termos achado esse corpo hoje, principalmente pela dificuldade do mergulho, pois é uma área onde a profundidade chega a 30 metros e o nosso tempo de mergulho é limitado. Contamos também com todo apoio do corpo de bombeiros nesta operação para a retirada dos corpos", explica Alan Vicente, superintendente de operações de mergulho da Tecmar.

Segundo o capitão do Corpo de Bombeiros, Marco Senza, os profissionais estão trabalhando com equipamento de ponta, mas a área apresenta forte correnteza. “Vamos continuar com os trabalhos e reforçar com a equipe de mergulho para ver se conseguimos mais informações, mais confirmações, até esgotar todos os meios”, assegurou o militar.

A equipe de remoção do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves também permanece a postos no porto de Barcarena. Na sede do CPC, médicos peritos também estão de prontidão para o atendimento.