E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Kátia Abreu em Marabá: sem Hidrovia, ministra vira vidraça

Ainda na manhã de hoje (25), desembarca em Marabá a ministra da Agricultura, Kátia Abreu.
O pretexto da visita, articulada pelo prefeito João Salame (PROS), é apresentar o Plano Safra 2015/2016 e contará com a presença do deputado federal Beto Salame.
Mas, não será apenas sobre plantios e colheitas que se falará na reunião, que deve atrair grande parte do setor produtivo da região.
Na pauta estará o estranhíssimo Plano de Investimento em Logística (PIL), anunciado dias atrás pelo Ministério dos Transportes. Nele constam investimentos que alcançam R$ 24 bilhões em RODOVIAS E FERROVIAS no Pará.
MAS, DE HIDROVIA ARAGUAIA-TOCANTINS NADA SE FALA!
Apenas com a Santarém-Cuiabá serão gastos quase 7 bilhões. Mas, não parece haver nada programado para a derrocagem do Pedral do Lourenção, que viabilizaria a navegação do Rio Tocantins por mais de 1.500 km e garantiria o escoamento da produção agropecuária de pelo menos três estados - Pará, Mato Grosso e Tocantins.
É previsível que Kátia seja cobrada pelas lideranças, que não podem estar nada satisfeitas com os seguidos adiamentos que a obra de derrocagem vem sofrendo.
Assim, ao contrário das visitas anteriores quando aparecia como estilingue, Kátia Abreu ficará na controvertida posição de vidraça, tendo que explicar porque um investimento estratégico, socialmente relevante, economicamente viável e ambientalmente sustentável fica fora da mira do Governo Federal.
Aguardemos as novas desculpas ou, pior, o silêncio de sepulcro sobre o tema.