E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Gloria! Linda e com as ideias em perfeita ordem. Vejam o vídeo.

Por vezes, chego a duvidar que haja algum futuro para o pensamento e ação política que não sejam atados ao esquerdismo. O cerco à inteligência e o direcionamento dos estudantes ao quase obrigatório credo marxista nas escolas e universidades ameaçam anestesiar até mesmo os melhores cérebros. 
Ainda bem que, vez por outra, uns poucos conseguem romper o cerco e vislumbrar, para além da ideologia, os contornos da realidade. Melhor que isso: conseguem verbalizar o que pensam e assim ajudam milhares a também escapar do visgo. A esta categoria pertence Gloria Álvarez, a linda guatemalteca de 29 anos, formada em Ciência Política que, em setembro do ano passado, no Parlamento Iberoamericano da Juventude, em Zaragoza, desancou com argumentos sólidos o populismo que, mesmo contaminando alguns governos e líderes liberais, alcança no esquerdismo seu inteiro horror, forçando os mais pobres à trágica escolha entre ter acesso ao pão ou ao direito à liberdade. No processo, definha e morre a Democracia.
Os mais pobres acabam por optar pelo subsídio estatal que passa a funcionar como chicote e cabresto, aptos a conduzir um exército de eleitores amedrontados no processo de manutenção de certos partidos ou grupos no poder.
Contra esse estado de coisas insurge-se Gloria, que estará no Brasil na próxima quinta-feira (9), Gloria para o seminário “Vencendo o populismo com as armas da democracia”, que acontece no Instituto Fernando Henrique Cardoso, em São Paulo.
Vejam no vídeo abaixo a intervenção de Gloria. Vendo-a fica claro que, afinal de contas, nem tudo está perdido.