E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Agência de Energia aprova aumento e conta de luz vai subir 23,4% em média no país

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta sexta-feira uma alta na taxa extra cobrada na conta de luz, no chamado sistema de bandeira tarifária. Com isso, a conta deve ficar mais cara, em média, 23,4% a partir de segunda-feira (2).
Haverá alta para 58 distribuidoras de eletricidade do país. Para a Eletropaulo, o aumento médio das tarifas será de 31,9%, enquanto a Cemig terá alta de 28,8%. Para a Light, o aumento será de 22,5%.
Essa cobrança extra é uma consequência do uso da energia das termelétricas, que é mais cara, pelas distribuidoras. O sistema de bandeiras tarifárias traz um custo adicional na tarifa de acordo com a necessidade do consumo dessa energia.
As usinas termelétricas são acionadas quando há alta no consumo e a energia gerada pelas hidrelétricas, mais barata, não é suficiente para abastecer todo o sistema.
No caso da bandeira vermelha, o valor a ser pago pelos consumidores passa a ser de R$ 5,50 para cada 100 quilowatt-hora (kWh), ante os R$ 3 que estavam vigorando desde o início do ano, uma elevação de cerca de 83%.
Já a bandeira amarela passará do R$ 1,50 atual para cada 100 kWh para R$ 2,50, alta de 66%.
Bandeiras funcionarão como semáforo
As bandeiras funcionam como um semáforo de trânsito, com as cores verde, amarela e vermelha para indicar as condições de geração de energia no país.
Por exemplo, quando a conta de luz vier com a bandeira verde, significa que os custos para gerar energia naquele mês foram baixos, portanto, a tarifa de energia não terá nenhum acréscimo.
Se vier com a bandeira amarela, é sinal de atenção, pois os custos de geração estão aumentando.
Já a bandeira vermelha mostra que o custo da geração naquele mês está mais alto, com o maior acionamento de termelétricas.
A cobrança pelo sistema de bandeiras tarifárias vai ser dividida por subsistemas, o que quer dizer que os consumidores de Estados do Sul podem pagar um valor diferente daqueles que moram mais ao Norte do país. No entanto, a bandeira aplicada mensalmente será a mesma para todas as distribuidoras de um mesmo subsistema.

#FoiFHC - Ex-presidente Fernando Henrique, com bom humor, responde à Dilma com meme que lembra criação do Plano Real

FHC - Resposta bem humorada à Dilma e petistas
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso se reuniu com os principais caciques do PSDB em São Paulo, nesta sexta-feira (27), para avaliar a situação econômica do país. O ex-presidente, com seu notório bom humor, entrou na brincadeira de ser culpado por todos os erros do governo, como acusam os petistas, e por sugestão do senador Cássio Cunha Lima (PB) tirou uma foto em que aparece segurando um cartaz com uma nota de R$ 2, escrito “Foi FHC”. É uma referência à criação do Plano Real, em 1994, que trouxe estabilidade econômica ao país. O cartaz foi escrito pelo presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG).
Poucas horas depois, o PT respondeu em sua página oficial no Facebook. O partido usou a foto e fez uma montagem com a frase: “Quem chamou os aposentados de vagabundo?” e usou a hashtag #FoiFHC no post.
Depois do encontro tucano, o líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima, disse que o entendimento é que a crise é grave e que a Medida Provisória 669 que reduz as desonerações agrava o quadro recessivo. Os tucanos acreditam ainda que há a expectativa de a inflação continuar sob alta pressão. Apesar de ser alvo de ataques do PT, Fernando Henrique alertou aos tucanos que é preciso ter cautela e responsabilidade neste momento do país.
Segundo relatos, Fernando Henrique disse que o momento não é de “pirotecnia” e que o governo está muito frágil. O PSDB não vai defender a tese do impeachment. Segundo relatos, o ex-presidente deixou claro que este não é o caminho. Mas a avaliação foi de que a presidente Dilma Rousseff está “perdida” e que é preciso verificar se prevalecerá suas decisões ou as da equipe econômica comandada pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy.
"A MP agrava o quadro recessivo e amplia a perspectiva inflacionária. Há um quadro de muita instabilidade diante da fragilidade da presidente Dilma. O presidente Fernando Henrique tem consciência do quadro neste momento. O governo está quebrado: há corte nos investimentos e aumento da caga tributária", disse Cássio Cunha Lima. O tucano critica a falta de cortes na máquina pública.
"O governo não toma uma só medida para reduzir os cargos de confiança e por fim ao aparelhamento do Estado", disse o líder. 
Cássio Cunha Lima contou que Fernando Henrique gostou da brincadeira de reagir às críticas dos petistas. Os tucanos querem lembrar que foi na sua gestão que o Brasil conquistou a estabilidade econômica e o controle da inflação.
Além de Cássio Cunha Lima, participaram do almoço Fernando Henrique os senadores Aloysio Nunes Ferreira (SP) , Tasso Jereissati (CE), José Serra (SP) e Aécio Neves (MG).

Mais um assalto à agência do Banco do Brasil no sul do Pará. Desta vez foi em São Félix do Xingu

Aconteceu de novo. Em um enredo já conhecido para quem vive no sul do Pará, quatro homens encapuzados e fortemente armados invadiram a agência do Banco do Brasil, em São Félix do Xingu, cidade distante cerca de 503 km de Marabá, na manhã desta sexta-feira (27). Depois de renderem clientes e funcionários, conseguiram roubar uma quantia significativa de dinheiro. Por incrível "coincidência", o dia escolhido pelos assaltantes para realizar a ação coincidiu com o pagamento da Prefeitura de S.Félix do Xingu
Durante a ação criminosa, clientes, o gerente e o vigilante foram feitos reféns, mas liberados logo após a fuga.
A polícia faz buscas à quadrilha e tem o reforço de homens do Grupo de Pronto Emprego e das Polícias Militares das cidades de Redenção e Conceição do Araguaia.

Pena para quem criar perfil falso na internet pode ser de até um ano de cadeia

Marchezan - Lei torna crime perfil falso na web
Tramita na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 7758/14, que torna crime o uso de falsa identidade na internet, inclusive nas redes sociais, com o objetivo de prejudicar, intimidar, ameaçar, obter vantagem ou causar dano a alguém.
Atualmente, a Lei de Crimes Cibernéticos (12.737/12), que ficou conhecida como Lei Carolina Dieckmann, criminaliza apenas a invasão de computadores para obter vantagem ilícita, a falsificação de cartões de crédito e a interrupção de serviço telegráfico, telefônico, informático, telemático ou de informação de utilidade pública.
No entanto, de acordo com o autor do projeto, deputado Nelson Marchezan Junior (PSDB–RS), a lei não prevê a conduta de usar um perfil falso em redes sociais para prejudicar terceiros. “É importante complementar a legislação penal”, defende o parlamentar.
A proposta pretende ampliar a abrangência da lei de crime de falsa identidade (Código Penal, Decreto-Lei 2848/40) para incluir esse tipo de crime virtual. A pena prevista no projeto é de detenção de três meses a um ano, ou multa, se o fato não constituir elemento de crime mais grave.
Impunidade
Marchezan se inspirou no exemplo de uma lei norte-americana de 2011 que pune quem utilizar perfil falso na internet. Segundo ele, é cada vez maior o número de pessoas que usam do anonimato e da impunidade para fazer ameaças ou propagar difamações, calúnias e injúrias no ambiente virtual contra seus desafetos.
O deputado ressalta que, já em 2008, o Brasil contabilizava um milhão de denúncias por crimes praticados via internet, e grande parte deles foi cometido por meio de falsas identidades. "Isso evidencia a importância de se coibir a referida prática, contribuindo para desarticular a sensação de impunidade, combustível de todo e qualquer crime”, diz Marchezan.
A proposta será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) e pelo Plenário da Câmara. No ano passado, o relator do projeto na CCJ, ex-deputado Fábio Trad, defendeu a aprovação do texto. “A medida é importante para dar à Justiça outras formas de conter mais um fenômeno da criminalidade digital, que tem vitimado cidadãos de bem”, disse. (Com AC)

Defensoria Pública abre inscrições para concurso a partir de 4 de março

A Defensoria Pública do Estado abre a partir do dia 4 de março as inscrições do concurso público para o cargo de defensor público substituto. O certame é organizado pela Fundação Escola Superior do Ministério Público do Rio Grande do Sul (FMP). Estão sendo ofertadas 18 vagas imediatas, mais formação de cadastro de reserva. O edital foi publicado nesta quinta-feira (26).
Para concorrer, o candidato precisa ter três anos de prática forense comprovada e bacharelado em Direito. O salário inicial é de R$ 15.663,55. Além disso, os aprovados contarão com adicional de tempo serviço e auxílio-alimentação. As inscrições são feitas mediante preenchimento de ficha no site www.concursosfmp.com.br e se estendem até o dia 2 de abril de 2015. A expectativa é que o concurso mobilize pelo menos dois mil candidatos de todo Brasil.
A seleção será feita em quatro fases: prova objetiva, avaliação prático-discursiva, exame oral e análise de títulos. O prazo de validade da seleção será de um ano, podendo ser prorrogado uma vez, pelo mesmo período.
O defensor público geral, Luís Carlos Portela, diz que o concurso será voltado para as teses institucionais da Defensoria Pública, e que a finalidade está vinculada à preparação do futuro defensor público. “Este certame será focado para selecionar um futuro defensor, com todo o viés e perfil de alguém que vai atuar em uma Defensoria Pública”, reforçou.
O ultimo concurso feito pela Defensoria para o cargo de defensor foi organizado pela Fundação Carlos Chagas e ocorreu em 2009. Na ocasião foram ofertadas 29 vagas, além de formação de cadastro reserva.

Dilma suspende "Minha Casa Melhor", que financiava eletros e móveis para clientes do "Minha Casa Minha Vida"

Não está nada fácil mesmo. Com a arrecadação despencando e com o ajuste fiscal encaminhando cortes sucessivos nos investimentos federais, o governo federal decidiu suspender o programa Minha Casa Melhor, linha de crédito especial que permitia aos beneficiários do Minha Casa, Minha Vida adquirirem móveis, eletrodomésticos e eletrônicos a taxas de juros subsidiadas.
A Caixa Econômica Federal recebeu do governo uma capitalização de 8 bilhões de reais em junho de 2013. Do valor total, pouco mais de 3 bilhões de reais foram direcionados para os financiamentos do programa.
Segundo os dados disponíveis nas contas do governo, até dezembro, 18 meses após o lançamento do programa, 640.000 famílias tinham recebido os cartões do Minha Casa Melhor. Foram oferecidos 3,2 bilhões de reais em crédito, dos quais 2,4 bilhões de reais foram realmente contratados.
"Novas contratações do Minha Casa Melhor estão sendo discutidas no âmbito da terceira fase do programa Minha Casa Minha Vida", informou, em nota, a Caixa. "Os cartões referentes a contratos já realizados continuam operando normalmente".
A Caixa afirmou que o Minha Casa Melhor está suspenso desde o dia 20 deste mês e que o banco está reavaliando o programa antes de realizar novas contratações no Brasil inteiro".
Segundo o governo, 3,7 milhões de famílias seriam beneficiadas, com um investimento total de 18,7 bilhões de reais. O Minha Casa Melhor oferece crédito a juros mais baixos que os praticados no mercado para as famílias atendidas pelo programa Minha Casa Minha Vida comprarem 14 tipos de eletrodomésticos e móveis. Os juros são de 5% ao ano contra 16,5% que são cobrados pelo mercado para financiar esses produtos.
A Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), que representa 1,2 milhão de lojistas, estima que o programa injetou1,4 bilhão de reais no setor no ano passado. De acordo com o governo, desde o lançamento do programa, os donos dos imóveis do Minha Casa, Minha Vida compraram TV digital, computador, geladeira, fogão e móveis, entre outros produtos, em 28 mil lojas espalhadas pelo País.
Semana passada, em Feira de Santana (BA), Dilma assegurou a continuidade do programa de habitação popular. Segundo ela, a terceira fase será lançada em março, com a meta de contratar mais 3 milhões de moradias.

Caminhoneiros serão multados em R$ 10 mil por hora, diz ministro da Justiça.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse ontem (26) que os líderes do movimento dos caminhoneiros que vieram conversar com o governo aceitaram as propostas do Executivo. A partir de agora, segundo ele, os caminhoneiros que continuarem obstruindo as estradas serão multados com valores entre R$ 5 mil e R$ 10 mil por hora.
Os caminhões parados na pista serão identificados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e, com base nos dados obtidos pelos policiais, as multas serão emitidas. “A decisão do valor da multa não é do governo, é da Justiça, e a punição não está sendo imposta por mim, e sim por magistrados. Eu tenho o dever de fazer cumprir a lei”, disse o ministro.
Cardozo explicou que houve dificuldade para identificar os líderes do movimento. Aqueles que se apresentaram como líderes, de acordo com ele, saíram satisfeitos das negociações. “Não é simples identificar lideranças. Conversamos com todos os que se dispuseram a dialogar. Representantes de trabalhadores e de empresas compareceram”, acrescentou.
Nesta sexta-feira (27), ainda existem 69 bloqueios nas estradas federais em seis estados.

Receio de suspensão do WhatsApp em todo o país faz aumentar procura por outros serviços de mensagens

Depois que um juiz do Piauí determinou  suspensão do aplicativo WhatsApp em todo o país, cresceu a busca por outros serviços de troca de mensagens instantâneas e os usuários brasileiros começaram a migrar para o Telegram nas últimas 24 horas.
Segundo dados divulgados pela própria empresa, em seu perfil no Twitter, foram 2 milhões de novos usuários brasileiros que ingressaram no Telegram em 20 horas, cerca de 100 pessoas por segundo.
O Telegram, por conta da grande quantidade de novos usuários, começou a passar por períodos de instabilidade.
O Caso
A decisão do juiz Luiz Moura Correia de suspender o aplicativo Whatsapp em todo o território nacional, em mandado expedido no último dia 11, foi recebida com surpresa pelo setor de telecomunicações, que considerou a medida desproporcional, segundo nota divulgada pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil). Nesta quarta-feira (25), as empresas de telefonia foram notificadas e o cumprimento da decisão deveria ocorrer até ontem (26), porém, desembargador Raimundo Nonato da Costa Alencar, do Tribunal de Justiça do Piauí (TJPI), cassou a decisão do juiz Luiz Moura Correia. Alencar entendeu que o mandado judicial é "sem razoabilidade", por suspender um serviço “que afeta milhões de pessoas, em prol de investigação local”, conforme sumário publicado no site do tribunal.
Correia mandou suspender as operações do WhatsApp, que pertence ao Facebook, após receber a empresa responder que as informações solicitadas desde 2013 não seriam fornecidas porque o WhatsApp sequer tem escritório no Brasil, não seria regido pelas leis brasileiras e o Facebook, apesar de controlador financeiro, não responde juridicamente pelo serviço de mensagens instantâneas. 
A Polícia Civil informou que vai solicitar novas medidas judiciais, que ainda estão sendo estudadas. O objetivo, segundo o órgão policial, não é bloquear o aplicativo, mas obter as informações necessárias que estão sendo solicitadas desde 2013 aos responsáveis pela empresa.
A delegada Kátia Esteves, que comanda a Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente, designada para chefiar as investigações, ao falar nesta quarta-feira com a imprensa sobre a decisão do juiz, foi indagada se os processos estão relacionados a investigações sobre denúncias de exposição de imagem de crianças e adolescentes na rede social. Ela, no entanto, não confirmou a informação. De acordo com a polícia, o caso está sob segredo de Justiça.
No começo da noite, o Tribunal de Justiça do Piuaí divulgou nota confirmando que a investigação que levou ao pedido de suspensão do Whatsapp está relacionada à denúncia de crime de pedofilia. 
Crime de pedofilia
"Um provável crime de pedofilia, envolvendo a divulgação de imagens de menores, que seriam estudantes de colégios particulares de Teresina", diz o tribunal. A nota também esclarece que Alencar concedeu, monocraticamente, liminar em favor da Global Village Telecom S.A., Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A (Embratel) e Claro S. A.
Nesta quinta-feira, o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), João Rezende, comentou a decisão do juiz da Central de Inquéritos da Comarca de Teresina. Ele disse que o aplicativo WhatsApp deve cumprir as determinações judiciais no Brasil. “As empresas que operam no Brasil, como o WhatsApp e o Facebook, devem fornecer informações por requisição judicial, não há dúvida. Mas a solução não é o bloqueio do serviço”, ressaltou.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Curtas Brasil - Saia justa na CPI, Feminicídio no Código Penal, Fim da Reeleição e muito mais. Veja aqui.

Castro - Reforma política pode acabar com reeleição e coligações
Afinadinho, afinadinho
O ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, demonstrou que está realmente "afinado" com as diretrizes do governo e até mesmo com a, digamos, forma heterodoxa com que sua chefe, a presidente Dilma, utiliza o vernáculo. No Congresso, onde esteve há pouco com o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, e com o presidente do Senado, Renan Calheiros, para defender as medidas provisórias 664/14 e 665/14, que alteram - para pior - direitos trabalhistas e previdenciários, Barbosa disse, em um dialeto que lembra vagamente o português, que “a gente está aqui para defender as nossas propostas, porque a gente acha que o que a gente mandou não tem nenhum excesso”. As duas medidas alteram regras de concessão de benefícios a trabalhadores, como o seguro desemprego, o abono salarial do PIS/Pasep e a pensão por morte. As duas propostas já receberam mais de 700 emendas e têm sido questionadas por parlamentares tanto da oposição quanto da base do governo.

Saia justa
O deputado Ivan Valente (Psol-SP), colocou a cúpula da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, instalada hoje (26) em saia justíssima ao pedir o afastamento dos membros da comissão que receberam doações de campanha de empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato, da Polícia Federal. Ao todo, dez deputados, entre eles Hugo Motta (PMDB), escolhido presidente da CPI e Luis Sergio (PT), eleito relator, receberam dinheiro de empreiteiras do chamado "Clube do Milhão" que sangrou a estatal.
A medida foi apoiada pelo líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR), mas foi rejeitada.

Mais mulheres
As bancadas femininas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal defenderam, nesta quinta-feira (26), duas medidas prioritárias para a reforma política: a definição de uma cota de 30% das cadeiras no Congresso para mulheres; e outra também de 30% dos recursos do fundo partidário para candidatas. De acordo com as parlamentares, o objetivo principal é aumentar a representatividade de gênero. Na Câmara, por exemplo, dos 513 deputados, hoje apenas 51 são mulheres; no Senado, há somente 13 senadoras dentre 81 parlamentares.

Eleonora e o Feminicídio
Deve ser votado na próxima semana o Projeto de Lei 8305/14, que modifica o Código Penal (Decreto-Lei 2.848/40) para incluir entre os tipos de homicídio qualificado o feminicídio, definido como o assassinato de mulher por razões de gênero. Com isso, o culpado para esse tipo de crime terá uma pena maior. A pena prevista para homicídio qualificado é de reclusão de 12 a 30 anos. A informação foi dada nesta quinta-feira (26) pela ministra-chefe da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, Eleonora Menicucci, após reunião com o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

Do aborto não se fala
Eleonora evitou falar sobre suas propostas para legalizar o aborto no Brasil. Como se sabe, o Planalto não quer de forma alguma irritar o presidente da Câmara e Eduardo Cunha, que é evangélico, já disse que enquanto for presidente não levará ao plenário nenhuma medida nesse sentido. "Aborto, aqui, só por cima do meu cadáver", disse. Dilma, que já andou perdendo uma tantas vezes para Cunha, não quer pagar para ver.

Novas regras I 
O relator da comissão especial da reforma política, deputado Marcelo Castro (PMDB-PI), deixou muita gente em estado de alerta ao anunciar que o primeiro ponto a defender no relatório será a mudança do sistema eleitoral. Em entrevista à TV Câmara, nesta quarta-feira (25), o relator listou os pontos que vai propor: o fim das coligações proporcionais; o fim da reeleição para presidente, governador e prefeito; mandato de cinco anos, inclusive para senadores; suplência de senadores com os mais votados nos estados; coincidência de todas as eleições; cláusula de barreiras, para que os partidos só tenham representação na Câmara se tiverem um mínimo desempenho nas urnas; criação de federações partidárias para dar um prazo para os partidos se organizarem; e redução do prazo entre a filiação partidária e a candidatura, de um ano para seis meses.

Novas regras II
Coincidência ou não, uma enquete recente feita pela Câmara dos Deputados mostra que os oito pontos listados por Castro são justamente aqueles que agradam a maioria dos membros da comissão da Reforma Política e que são mais fáceis de obter o apoio do plenário do Congresso. Um bom exemplo é o fim da reeleição. Com Dilma em seu re-governo, o PT está disposto a abrir mão do instituto da reeleição, mesma posição defendida pelo PSDB desde a campanha de Aécio Neves.

Novas regras III
Mas, os partidos nanicos devem chiar. O fim das coligações e, principalmente, as cláusulas de barreiras devem selar o destino dessas "siglas de aluguel". Os nanicos devem tentar brecar as medidas amparados pelos partidos ditos "ideológicos", entre eles PCdoB e PSOL.

Novas regras IV
É bom lembrar que essas medidas virão sob a forma de Emendas Constitucionais, assim, não serão regidas pelo princípio da anualidade que rege as leis eleitorais ordinárias. As mudanças que forem aprovadas entram em vigor logo que forem promulgadas e já valerão para as eleições municipais do ano que vem.

Jogaram a toalha
Sem obter o número mínimo de assinaturas para transformar a CPI da Petrobras na Câmara em comissão mista, a oposição segue buscando apoio para instalar a CPI do BNDES no Senado. O senador Alvaro Dias (PSDB-PR) admite que a CPI da Petrobras terá pouco o que apurar, diante do avanço da Operação Lava Jato. De acordo com o líder do PT, senador Humberto Costa (PE), o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, já se colocou à disposição para prestar esclarecimentos no Senado.

Revista inglesa mostra Brasil no "atoleiro" e diz que a economia está uma "bagunça"

No G1, hoje (26):
A economia brasileira está uma "bagunça" e enfrentará dificuldades para sair do "atoleiro" onde se encontra. Assim definiu a última edição semanal da revista britânica "The Economist", que dedicou uma matéria de capa sobre os atuais desafios do governo para retomar o crescimento. 
De acordo com a publicação, os problemas econômicos do país são bem maiores do que o governo possa admitir ou que os investidores pareçam perceber. "A estagnação adormecida na qual o país caiu em 2013 está se tornando uma completa – e provavelmente prolongada – recessão, uma vez que a inflação pressiona os salários e a capacidade de pagamento das dívidas do consumidor", diz a revista.
Em 2009, a "Economist" publicou uma matéria de capa ilustrada com a imagem do Cristo Redentor decolando como um foguete, sinalizando para um rumo promissor da economia. Mas a revista voltou atrás em 2013, mostrando o mesmo Cristo desgovernado, dando conta de que o país teria perdido a direção.
De acordo com a revista britânica, dois meses após a reeleição da presidente Dilma Rousseff, os brasileiros "estão percebendo que compraram falsas promessas". A publicação citou o aperto fiscal para equilibrar as contas públicas, os cortes de benefícios previdenciários e a elevação de impostos e preços que estavam represados, além da redução de subsídios a bancos públicos que antes eram repassados a setores e empresas.
A revista também mencionou o escândalo da Petrobras como uma das fragilidades do segundo mandato de Dilma. "Um vasto escândalo de corrupção na Petrobras, a gigante estatal, complicou a situação de diversas das maiores construtoras e paralisou os investimentos na economia, pelo menos até que os promotores e auditores tenham cumprido seu trabalho", diz a revista.
Ainda segundo a publicação, o país enfrenta seu maior desafio desde o início da década de 1990. "Os riscos são claros. Recessão e queda na arrecadação podem minar os ajustes do [ ministro da Fazenda] Joaquim Levy". Para a publicação, qualquer recuo nos indicadores econômicos pode ocasionar, este momento, uma fuga da moeda e um rebaixamento da nota de crédito do Brasil.
Para o país voltar a crescer, é preciso fazer mais do que tem sido feito, diz a publicação. "Pode ser demais esperar de Dilma que reformule as arcaicas leis trabalhistas que ajudaram a retardar a produtividade, mas ela deveria ao menos tentar simplificar os impostos e cortar burocracias desnecessárias", sugere.
A 'Economist' destacou também que há sinais de tentativas de que o governo vai recuar de sua política de incentivo à indústria e encorajar mais o comércio internacional "no que resta de uma economia super protegida".
A publicação amenizou a crise comparando o país com a atual situação econômica da Rússia, citando que o Brasil possui um grande e diversificado setor privado e instituições democráticas robustas. "A hora de colocar tudo no lugar é agora", finaliza.

Governo se atrapalha, ignora lideranças entre os caminhoneiros e movimento mantém bloqueios

Sem credibilidade - Governo promete, mas caminhoneiros não confiam e barreiras são mantidas em nove estados
A credibilidade e o nível de informações do Governo não são mais os mesmos. Em outros tempos, a Presidência teria sido alertada com antecedência sobre o movimento dos caminhoneiros, além de ter um painel atualizado das reivindicações e das principais lideranças dos manifestantes. Na crise atual, que tem potencial para colapsar cidades importantes dos estados mais ricos do País, o Governo demorou a movimentar-se e quando se mexeu, ao que parece, o fez de forma atabalhoada.
Vejam lá que, apesar de haver sido firmado acordo entre governo e algumas lideranças dos caminhoneiros nesta quarta-feira (25), manifestantes continuam interditando diversas estradas federais. O atrapalhado governo de Dilma Rousseff deixou de fora da negociação um setor significativo dos caminhoneiros.
Sem acordo - Governo conversa só com um setor e movimento prossegue
Ivar Luiz Schmidt, líder do movimento Comando Nacional do Transporte, disse à agência de notícias Reuters que não participou das negociações e que não aceita os termos do acordo.
O líder do Comando Nacional dos Transportes tem posição diferente da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), que considera ter havido avanços históricos nas negociações.
A orientação da CNTA é que os caminhoneiros acabem com os bloqueios para avançar nas negociações com o governo antes da próxima rodada de conversas, que ocorrerá em 10 de março, para discutir os pontos que não foram atendidos.
Mas, Ivar Schmidt disse que o Comando Nacional do Transporte "não aceitou nenhum dos termos que o governo propôs". "Nós continuamos o movimento", disse ele, afirmando ter o comando de pelo menos cem pontos de bloqueio em rodovias federais e estaduais.
Ele disse que aguarda um novo contato com o governo para tentar retomar as conversas. Schmidt não participou na quarta-feira da reunião entre governo, empresários e representantes dos caminhoneiros.
De fato, motoristas enfrentam dificuldades para atravessar 93 pontos de 31 rodovias federais em oito estados, segundo o mais recente balanço divulgado na tarde desta quinta-feira (26) pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).
Os estados mais prejudicados são o Rio Grande do Sul, com 39 pontos interditados, Santa Catarina, com 14 trechos, e o Paraná, com 19 bloqueios.
Em Mato Grosso, há nove interdições nas BRs-364, 163 e 70. Os protestos ocorrem em sete trechos das BRs-163, 463 e 262 em Mato Grosso do Sul.
Minas Gerais tem um ponto de bloqueio no km 60 da BR-50, no município de Araguari. A obstrução começou às 11h desta quinta-feira.
Na Bahia, os caminhoneiros bloqueiam o km 211 da BR-20 e os km 874 e 887 da BR-242, no município de Luiz Eduardo Magalhães. No Ceará, a interdição começou hoje, às 10h, no km 15 da BR-116, em Fortaleza, mas foi suspenso cerca de três horas depois.
Pela proposta apresentada ontem (25), o governo promete sancionar a Lei dos Caminhoneiros sem vetos, prorrogar por 12 meses o pagamento de caminhões por meio do Programa Procaminhoneiro, além de criar, por meio de negociação entre caminhoneiros e empresários, uma tabela referencial de frete. Nesse item, os representantes dos caminhoneiros pediram que o governo atue na mediação com os empresários. Além disso, a Petrobras teria garantido que não haveria aumento do diesel pelos próximos seis meses.

Dez dias depois da Chacina em Conceição do Araguaia, apenas dois estão presos. Mandantes e executores continuam foragidos

Neto - tentou "limpar" cena do crime e deu fuga aos 
assassinos, diz polícia
Passados dez dias desde a chacina na Colônia Estiva, em Conceição do Araguaia, a polícia paraense conseguiu por as mãos em apenas dois dos envolvidos. Infelizmente, ao que parece, esses detidos tiveram participação menor nos assassinatos. Um deles, Dorvile Azevedo Belém Filho, o "Cabeça", 42 anos, foi localizado no próprio assentamento no dia seguinte à chacina e forneceu as armas usadas pelos matadores; o outro, Batista Gomes do Nascimento, vulgo "Neto", de 36 anos, teria colaborado na alteração da cena do crime e dado fuga aos assassinos. Dos executores e mandantes, apesar de rapidamente identificados, não se tem notícia.
"Neto" está preso desde a tarde da última segunda-feira (23). De acordo com o delegado Antônio Miranda, o acusado prestou auxílio aos matadores das seis vítimas, fornecendo informações aos acusados sobre a presença da polícia no local e também esteve na cena do crime, após a prática do delito.
A polícia acredita que ‘’Neto’’, ajudou até mesmo a limpar o local da execução, a casa onde houve tortura e as margens do rio, na intenção de retirar as marcas de sangue. Por conta disso, o juiz Wander Luís Bernardo, da 2ª Vara Criminal, de Conceição do Araguaia, decretou a prisão temporária do acusado.
Muita gente foi à sede da Superintendência de Polícia Civil, durante a apresentação do acusado para a imprensa na tarde da última segunda-feira (23). Alguns queriam linchar Neto que foi conduzido sob um forte esquema de segurança. A acusado acabou sendo levado para Marabá, onde vai aguardar decisão da justiça.
Para a polícia, Neto esteve na cena do crime, ajudou na fuga dos assassinos e também pode ter fornecido comida para os irmãos acusados de autoria da chacina. O suspeito negou as acusações e disse que apenas conhecia os irmãos pelo fato deles estarem trabalhando na construção de um barracão pertencente a sua patroa. "Eu não tive participação e nem fui ao local do crime. Estou sendo acusado pelo "Cabeça" que quer jogar a culpa em mim, simplesmente porque o Jhonnys e o Tonho trabalhavam para a minha patroa e ficavam lá em casa", disse Neto.
Ainda de acordo com o delegado Antônio Miranda, a caçada aos assassinos e aos demais envolvidos na chacina continua na área de mata da Colônia Estiva e será uma questão de tempo para que a polícia coloque todos atrás das grades. De quanto tempo, não se sabe.

Índios interditam Estrada de Ferro Carajás. Passagens devem ser remarcadas a partir de amanhã, diz Vale

O trem de passageiros da Vale voltou a paralisar as atividades. Desta vez, indígenas bloqueiam a Estrada de Ferro Carajás (EFC) em Bom Jesus do Tocantins, no Pará. Com o protesto, o trem de passageiros que partiria do município de Parauapebas com destino a São Luís não circulou. As remarcações de passagens deverão ser feitas nas estações a partir desta sexta-feira (27).
Em nota, a Vale informou que está tomando providências necessárias para a desobstrução da ferrovia e, consequentemente, para a retomada do tráfego ferroviário na região. Cerca de 1.300 pessoas viajam por dia pelo trem de passageiros fazendo o percurso de Parauapebas, no Pará, até São Luís, no Maranhão, passando por mais de 25 municípios dos dois estados. 
No último dia 18, um trem da Vale descarrilou no trecho da Estrada de Ferro Carajás (EFC) próximo a Miranda do Norte, a 124 km de São Luís. Com o acidente a estrada foi interditada e as viagens de passageiros foram canceladas por dois dias.

Justiça reintegra prefeito de Conceição do Araguaia acusado de improbidade administrativa

Nesta quarta-feira (25), através de decisão monocrática, a desembargadora do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, Helena Farag, relatora do agravo impetrado pelos advogados do prefeito  Valter Peixoto, atendeu ao pedido de efeito suspensivo da decisão dada pela juíza Danielly Modesto de Conceição do Araguaia que afastou Valter na segunda-feira (9). A informação foi veiculada pelo jornal A Notícia.
Na decisão expedida a desembargadora determina que o prefeito seja imediatamente reintegrado ao cargo.
Em julho de 2014, Valter Peixoto foi afastado por seis meses do cargo, e no dia 5 de janeiro último, ele acabou voltando ao cargo. Como é típico nesses casos de afastamento temporário, pouco mais de um mês depois, Valter foi novamente afastado por decisão da juíza da Comarca de Conceição do Araguaia.
O Caso
A promotoria pede a condenação e o afastamento do prefeito por improbidade administrativa, e acusa outras treze pessoas e três empresas de transporte por malversação de recursos públicos destinados ao transporte escolar, entre os anos de 2011 e 2014. A promotoria também pede o bloqueio de bens dos acusados.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Inadimplência no Pará está próxima de 80%, diz economista

“Os índices de inadimplência no Estado do Pará são de 76%. Diante desse dado criamos uma comissão sobre educação financeira, para começarmos a levar informações que ajudem as pessoas a lidar melhor com seu dinheiro, diante da quantidade de produtos financeiros que temos em oferta atualmente”, contou Rosivaldo Batista, presidente do Conselho Regional de Economia do Estado do Pará (Corecon–PA). 
A revelação foi feita na manhã desta quarta-feira (25), quando o governador Simão Jatene recebeu o presidente e o vice-presidente do Corecon–PA, Nélio Bordalo, que com outros seis conselheiros apresentaram a proposta de aulas de educação financeira para alunos de escolas públicas, a serem iniciadas no segundo semestre de 2015. O projeto “Economia Cidadã” tem parceria do Banco Central e busca formar consumidores mais conscientes de seus gastos e cidadãos com habilidade para investir melhor seus recursos financeiros.

Juros do cartão de crédito alcançam 334% ao ano e do cheque especial passam de 200%, diz BC

Os juros referentes à taxa específica do crédito rotativo no cartão atingiram em janeiro 334% ao ano, crescendo 2,4 pontos percentuais sobre dezembro e 24,5 pontos percentuais em 12 meses. O patamar alcançado só foi inferior aos 334,29% ao ano alcançados em junho de 2012. Para o crédito parcelado no cartão de crédito, os juros ficaram em 106,7% ao ano, um aumento de 2,6 pontos percentuais em relação a dezembro do ano passado e 0,2 ponto percentual em um período de 12 meses.
A taxa média de juros para pessoas físicas com recursos livres (quando os bancos têm autonomia para aplicar o dinheiro) alcançou 52,6% ao ano em janeiro de 2015. A taxa subiu 2,5 pontos percentuais em relação à de dezembro e 6,9 pontos percentuais em 12 meses. O patamar de janeiro é o maior desde o início da nova série histórica do Banco Central (BC), em março de 2011. Antes, a maior taxa de juros, de 51,25% ao ano, foi registrada em outubro de 2011. O BC revisou as séries históricas relativas aos juros em função de mudança na metodologia.
A principal alteração com a nova metodologia para o cálculo é a introdução dos juros do cartão de crédito, que ficaram em 73,3% ao ano. Os juros para a modalidade subiram 2,7 pontos percentuais em janeiro na comparação com dezembro de 2014, e 7,7 pontos percentuais em 12 meses. Os juros do cartão são divididos entre crédito rotativo e crédito parcelado.

Após negociação, partidos definem presidentes das comissões do Senado

Eunício - PMDB vai controlar três das principais comissões do Senado
O comando das comissões permanentes do Senado para os próximos dois anos começa a ser definido. Um entendimento entre lideranças partidárias permitiu a composição dos nomes levando-se em conta a proporcionalidade de cada legenda. O acordo foi festejado pelo senador Eunício Oliveira (CE), líder do PMDB, partido com maior número de senadores.
"Tudo resolvido. Conseguimos entendimento de todos e restabelecemos a tradição de proporcionalidade na Casa. Podemos instalar as comissões a partir de hoje, e os presidentes devem ser eleitos por aclamação", explicou Eunício.

Com mais de 200 deputados, é relançada a "bancada da bala" na Câmara Federal

Mais de duzentos deputados de vários partidos fazem parte da "bancada da bala", que recebe oficialmente o nome de Frente Parlamentar da Segurança Pública, relançada nesta quarta-feira (25) na Câmara Federal com objetivos bem definidos. Os principais projetos defendidos pelo grupo são a redução da maioridade penal, a diminuição de benefícios a detentos e a revogação do Estatuto do Desarmamento.
A proposta (PL 3722/12) que facilita a aquisição de armas no País será uma das primeiras prioridades dos parlamentares. O texto foi arquivado no ano passado depois que a comissão especial criada para examiná-lo não conseguiu votar o relatório final do deputado Claudio Cajado (DEM-BA). Os deputados da frente defendem agora a criação de uma nova comissão especial para rediscutir a matéria.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Curtas Carajás - Marabá combate alagamento, Di Paulo e Paulino em Canãa, HIV em alta e muito mais. Leia aqui

Luz, por favor
A falta de iluminação pública em alguns pontos críticos e de tráfego intenso e pesado pode causar acidentes graves à noite em Marabá. Os acessos à ponte rodoferroviária sobre o Tocantins (foto ao lado) e a área da duplicação da Transamazônica, próximo ao trevo que permite acesso à Marabá Pioneira, Cidade Nova e Nova Marabá, estão às escuras há mais de cinco dias. Um verdadeiro convite ao desastre.

Xô, alagamento!
Para resolver o problema de alagamento na Avenida Marabá, que ocorre há décadas, a Prefeitura de Marabá iniciou, em novembro do ano passado, a drenagem da via. Ela será interligada a outra via por meio dessa canalização, dando vazão à água. Mais de 300 metros de tubulação já foram enterrados e devem formar um sistema com a drenagem da Avenida Sororó, no Bairro Liberdade.

No Pebinha, Cédula C no site
A Secretaria Municipal de Administração (Semad), de Parauapebas, informa aos servidores públicos municipais que a Cédula C referente ao ano-Calendário de 2014, exercício de 2015, já está disponível no portal do servidor. O documento é obrigatório para o preenchimento da declaração do Imposto de Renda, que este ano iniciará no dia 2 de março e terminará no dia 30 de abril.Segundo a Receita Federal, devem fazer a declaração todos os contribuintes que apresentaram rendimentos tributáveis superiores a R$ 26.816,55.

Big Brother Marabá
Em Marabá, o índice de criminalidade recuou em até 58%, nas áreas abrangidas pelo sistema de monitoramento por câmeras. Os números constam de levantamento feito no final do ano passado pelo Centro de Controle Operacional de Marabá. O CCO funciona há dois anos e conta com 47 câmeras importadas da Suécia e rádios de Israel. As lentes das câmeras possuem um raio de alcance de 1.200 metros, com giro de 360 graus e zoom de até 32 vezes, gerando uma imagem com boa qualidade.

Desconto só hoje
O desconto do Imposto sobre Propriedades de Veículos Automotores (IPVA) para os veículos de placas com finais 03 a 33 vão até essa terça-feira (24). Os descontos variam entre 15% do valor do imposto para quem está ha dois anos sem multa, 10% para quem não recebeu multas no último ano e 5% nas demais situações. O prazo para o licenciamento destes carros, junto ao Departamento de Trânsito (Detran) no Pará será dia 24 de abril.

Eles no dia Delas
Em Canaã, 8 de março, dia internacional da mulher, será comemorado ao som de Diego Ferrari e da dupla sertaneja Di Paulo e Paulino, sob o patrocínio da Prefeitura Municipal e com a coordenação da Fundação de Cultura, Esporte e Lazer do município.

Matrículas na Waldemar só até amanhã
A Secretaria Municipal de Cultura (Secult) de Parauapebas informa que a matrícula para os aprovados no Processo Seletivo da Escola de Música Maestro Waldemar Henrique encerra nesta quarta-feira (25). A escola ofereceu 180 vagas para diversos instrumentos e houve mais de 700 inscritos. Para fazer a matrícula o aluno deverá comparecer na sede da escola, na Rua F, 244, Cidade Nova, levando uma foto 3x4, cópia da Certidão de Nascimento (ou RG), comprovante de matrícula em escola regular, comprovante de residência e boletim escolar de 2014. As aulas começam dia 2 de março.

HIV avança em Marabá
O Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) detectou durante o período de Carnaval, de 14 a 17 de fevereiro, cinco novos HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana) positivos em Marabá, por meio do teste rápido aplicado em diversos pontos da cidade. Em janeiro deste ano, 26 novos casos foram diagnosticados, destes, 15 homens e 11 mulheres. No mês de fevereiro, até esta segunda-feira (23), foram confirmados pelo CTA 14 novos casos, sendo sete homens e sete mulheres. Totalizando, são 40 novos casos em 2015, quase um por dia.

Protesto de caminhoneiros já se espalha por 11 estados e começa a comprometer produção e abastecimento

Segundo o relatório divulgado instantes atrás pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), caminhoneiros realizam nesta terça-feira (24) mais um dia de protestos com bloqueios em rodovias de pelo menos onze estados: Bahia, Ceará, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Pará, Piauí, Santa Catarina, São Paulo e Rio Grande do Sul.
Em Goiás, um protesto na BR-153 durou cerca de duas horas.
Os atos, que são motivados, principalmente, pelo alto preço dos combustíveis e pelos valores pagos por frete – considerados baixos pela categoria –, começaram no Paraná no dia 13 e foram ampliados ao longo da semana. Na segunda-feira, sete estados registravam interdições.
Em São Paulo, houve um protesto na madrugada de terça na Rodovia Presidente Dutra, na altura do km 210,5, que durou apenas 20 minutos.
Os estados sentem os efeitos da paralisação. Já faltam combustíveis em postos do sudoeste e do oeste do Paraná. Parte da produção agrícola do Mato Grosso deixa de ser escoada. Em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, indústrias de laticínios e frigoríficos reduziram a produção por falta de matéria-prima. Em Minas Gerais, a produção de veículos foi afetada pela falta de peças, que não foram entregues.
Veja a situação em cada estado, segundo a PRF:

Brasileiros disputam Sony Awards, um dos maiores prêmios fotografia do mundo


Dois brasileiros estão entre os finalistas do Sony World Photography Awards, considerado um dos maiores concursos de fotografia do mundo. Marcio Cabral clicou uma paisagem impressionante de flores que brilham como estrelas no Cerrado brasileiro (acima), enquanto Ronaldo Land concorre com a imagem de um skatista fazendo uma manobra radical próximo a policiais distraídos no Rio de Janeiro (abaixo).
A edição de 2015 atraiu mais de 173 mil inscrições de 171 países e o vencedor da premiação será anunciado no dia 23 de abril. As imagens serão exibidas na Somerset House, em Londres, de 24 de abril a 10 de maio.
Os concorrentes disputam um prêmio de US$ 30.000 em dinheiro, além do que há de mais recente em equipamentos de imagem digital da Sony.
As imagens são julgados pela World Photography Organisation e um júri especialmente selecionado pela Academia Fotográfica Mundial, composta por gente bem conhecida da indústria fotográfica.
O Sony World Photography Awards é disputado em cinco categorias: profissionais, open, juventude, telefone celular e o Prêmio Nacional  em 47 países (o Brasil não participa).

Jucá dilata prazo para deputados novatos apresentarem emendas ao Orçamento

Os deputados e senadores recém empossados têm até as 18 horas de sexta-feira (27) para apresentar indicações de emenda ao relator geral do Orçamento de 2015, senador Romero Jucá (PMDB-RR). Anteriormente, o limite estava fixado para o dia 23 (ontem), mas a os deputados "barriga-verdes" não conseguiram concluir suas emendas em tempo, daí a dilação.  
Cada novo parlamentar terá direito a destinar até R$ 10 milhões, totalizando R$ 2,4 bilhões - metade obrigatoriamente para projetos ligados à saúde.
A decisão de incluir emendas de novos parlamentares foi anunciada no último dia 10, após reunião entre Jucá e os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha, e do Senado, Renan Calheiros. O prazo para os líderes partidários entregarem as indicações se encerrava ontem, mas foi adiada até sexta.
As indicações serão transformadas em emendas do relator e serão apresentadas em Plenário, já que o prazo para apresentação de emendas individuais terminou no ano passado.
Jucá garantiu que os recursos virão de remanejamento no Orçamento e que não haverá cortes de programas de estados e municípios, nem de programas sociais. “É importante dizer que não estamos aumentando a despesa do Orçamento, nem a receita. Estamos remanejando despesa”, disse o relator, no dia 10.
Ele também garantiu que as emendas dos parlamentares que não se elegeram e as dos que continuam exercendo mandatos, orçadas em R$ 8 bilhões, serão preservadas.

Comissão da reforma política faz primeira reunião na tarde desta terça-feira

A comissão especial da Câmara dos Deputados sobre a reforma política, criada por determinação do presidente Eduardo Cunha (foto), marcou para esta tarde a primeira reunião do colegiado.
Os parlamentares vão definir o roteiro de trabalhos e votar 14 requerimentos que estão em pauta (veja abaixo a pauta completa). Entre os requerimentos está o que pede a realização de audiência pública para discutir a unificação das eleições.
Os parlamentares devem votar a realização de audiência pública para discutir a reforma política com ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Haverá ainda a eleição para o cargo de terceiro vice-presidente. Rodrigo Maia (DEM-RJ) é o presidente do colegiado e Marcelo Castro (PMDB-PI), o relator.
A reunião está marcada para as 14h30, no plenário 1.
Veja a pauta:

Justiça afasta prefeito de Santana do Araguaia por 180 dias

Eduardo - Afastado por 180 dias
Na manhã desta terça-feira (24) a Justiça afastou do cargo o prefeito Eduardo Conti, o "Eduardo da Machado" (PMDB), de Santana do Araguaia. Também foram afastados da função o vice-prefeito, dois secretários e a pessoa responsável pelo setor de licitações da prefeitura. O afastamento acontece no curso de uma ação civil pública do Ministério Público, comandado pelo promotor Ítalo Costa Dias.
Segundo o jornal A Notícia, a decisão saiu esta manhã. O juiz Ramiro Almeida Gomes determinou o afastamento preventivo por 180 dias dos envolvidos e decretou a indisponibilidade dos bens dos afastados e de outros arrolados na investigação. Com essa decisão toma posse ao cargo de prefeito, o Presidente da Câmara, vereador Carlos Vicente.
Desde o início da gestão de ‘da Machado’, o município de Santana do Araguaia vem passando por crises no atendimento a população e acabou por entrar na mira do MP por suspeita de crimes nas licitações para aquisição de bens e contratação de obras e serviços.

Depois de mais um dia de bloqueios de caminhoneiros, Justiça autoriza uso de força e multa de R$ 100 mil por hora

Caminhoneiros mantêm diversos pontos das rodovias federais parcialmente ou totalmente bloqueados na manhã desta terça-feira (24), informou a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Os caminhoneiros protestam contra o aumento no preço de combustíveis e os baixos valores dos fretes.
De acordo com o último balanço da PRF, divulgado ontem (23) à noite, motoristas enfrentam dificuldades para atravessar 64 pontos de 23 rodovias federais em seis estados.
Os estados mais prejudicados são Rio Grande do Sul, com 23 pontos interditados, Santa Catarina, com 15 trechos bloqueados e Paraná, com dez bloqueios. As rodovias de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais também têm pontos bloqueados.
A PRF informa que tem negociado com os manifestantes para liberar a passagem de ambulâncias, veículos de passeio e de transporte de passageiros. Até o momento, não houve registro de confronto entre caminhoneiros e policiais rodoviários federais.
Ontem, a Advocacia-Geral da União (AGU) decidiu entrar na Justiça Federal com pedido de liberação das rodovias bloqueadas. De acordo com a AGU, a medida tem o apoio do Ministério da Justiça, por meio da Polícia Rodoviária Federal e da Força Nacional.
As ações, segundo a AGU, foram ajuizadas nos estados de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul. O órgão informa ainda que pediu e recebeu autorização da Justiça para que o Poder Público possa adotar “medidas necessárias para garantir a circulação nas pistas e a fixação de multa de R$ 100 mil para cada hora que os manifestantes se recusarem a liberar o tráfego”.

Guarda municipal que agrediu paciente em hospital de Ananindeua é afastado, diz prefeitura. Veja o vídeo

Um vídeo gravado por celular flagrou uma cena de agressão dentro da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em Ananindeua, Região Metropolitana de Belém. As imagens mostram um guarda municipal, que aparece discutindo com uma mulher, e o servidor chega a atingi-la com um tapa (veja vídeo acima). Segundo a Prefeitura Municipal de Ananindeua, o guarda municipal foi afastado de suas atividades na segunda-feira (23).
No vídeo a mulher aparece sentada em um cadeira de espera. Nervosa, ela fala alto em direção ao guarda municipal, que discute com a senhora. Ele se aproxima da vítima e desfere um tapa. A mulher reage e se levanta, tentando bater no guarda com uma revista. "Desgraçado, não me bate, desgraçado", diz a senhora, que mostra o braço atingido pelo tapa a uma funcionária da equipe de saúde, que tenta apartar a briga. O guarda municipal gesticula e depois deixa o corredor.
Um paciente que aguardava atendimento na UPA gravou o vídeo.
Em nota, a Prefeitura Municipal de Ananindeua informou que os fatos serão apurados no âmbito administrativo. e que o vídeo está sendo analisado para que sejam tomadas as providências cabíveis . Ainda segundo a nota, o guarda não possui antecedentes criminais e registrou boletim de ocorrência na Seccional Urbana da Cidade Nova, relatando ter sido vítima de agressões verbais e físicas. Na seccional da Polícia Civil, no entanto, nenhuma ocorrência sobre o caso foi registrada.
Ainda na nota, a Prefeitura diz que o comando da Guarda Municipal de Ananindeua (GMA) "não admite qualquer excesso por parte dos seus agentes e vai instaurar a investigação por meio de processo administrativo disciplinar, como prevê a legislação vigente".

TRE faz recadastramento de eleitores em Canaã dos Carajás para implantar biometria

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) vai recadastrar todos os eleitores de Canaã dos Carajás para o novo sistema de votação, com reconhecimento biométrico. Canaã e Parauapebas serão os dois primeiros municípios do Sul do Pará a contar com a tecnologia. O cronograma começou a ser discutido em reunião com os técnicos do órgão, com a presença do prefeito Jeová Andrade, nesta quarta-feira (10). Estiveram presentes a diretora de Assuntos Institucionais do Tribunal, Clara Nery Nascimento, o assessor de estrutura, Pedro Barral e o diretor de Biometria Dilson Mesquita.
A expectativa é de que o recadastramento comece no mês de setembro, com previsão de término em cinco meses. A prefeitura de Canaã vai disponibilizar espaço para receber os eleitores, além de ceder servidores que vão auxiliar no atendimento.
Na reunião, o prefeito Jeová Andrade também prometeu empenho para que o prédio onde hoje funciona o Fórum do município – que será transferido para uma nova sede – seja cedido para a instalação de um Cartório Eleitoral.
O recadastramento biométrico é obrigatório para todos os eleitores e garante mais segurança na identificação do votante, que é feita por meio de impressão digital, evitando que uma pessoa possa votar no lugar de outra. No Pará, o recadastramento já foi feito nas cidades de Ananindeua, Curuçá, Terra Alta, Paragominas, Barcarena, Capitão Poço, Castanhal, Peixe-Boi e Cametá.
A previsão do TRE é que até 2020 as eleições em todo o país ocorram em urnas biométricas. O recadastramento deve ser feito até 2017.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Curtas Brasil - Lula na CPI do Petrolão, Mudanças nos direitos trabalhistas, Pacto Federativo e muito mais. Veja aqui.

Kassab no Pará - Só Belém e Tapajós na agenda
Menu indigesto
Líderes dos partidos de apoio ao governo preparam o estômago para um cardápio indigesto. Eles se reúnem nesta terça-feira (24), no gabinete do ministro de Relações Institucionais, Pepe Vargas, para discutir as medidas provisórias 664/14 (que muda as regras de pensão por morte) e 665/14 (que altera o acesso ao seguro-desemprego e ao abono do PIS/Pasep).
Também participarão da reunião os ministros do Trabalho, Manoel Dias; da Previdência, Carlos Gabas; do Planejamento, Nelson Barbosa; e da Secretaria-Geral da Presidência da República, Miguel Rossetto. A reunião está marcada para o meio-dia.

O pacto e a lei
O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, afirmou nesta segunda-feira (23), que deve criar ainda nesta semana duas comissões especiais para discutir o pacto federativo e a Lei de Licitações (8.666/93). “É ideia minha, nesta semana, criar comissões especiais primeiro para o pacto federativo e segundo para rediscutir a Lei de Licitações. Precisamos debater essa situação e ver o que precisa fazer para modernizar”, disse.

A luta continua
A Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a Federação Única dos Petroleiros (FUP) convocaram uma manifestação para amanhã (24), na região central do Rio de Janeiro, em "defesa da Petrobras". O ato não vai abordar o esquema de corrupção na estatal investigado pela Operação Lava Jato e deve se limitar a apontar a importância da estatal na economia brasileira e a denunciar uma suposta tentativa de desmoralização da empresa.

Fala, Lula!
Enquete que foi ao ar hoje (23), no site do jornalista Claudio Humberto, pergunta se Lula deve ser convocado para depor na CPI da Petrobras. Considerando os primeiros números, parece que muita gente anda ansiosa para ver e ouvir Lula se explicar. O "Sim" lidera com muita folga. Com 754 votantes, até agora, "Sim, ele é o chefe" tem 717 Votos (95); "Não, é perseguição", 17 Votos (2%); "Só se surgir fato novo", 15 Votos (1%); e "Não sei", tem 5 Votos (menos de 1%).

Kassab não curte o sul
Gilberto Kassab, ministro das Cidades, esteve no Pará sexta-feira (20) e sábado (21). Nesses dois dias o ministro se reuniu com o governador do Estado, Simão Jatene, os prefeitos das cidades de Belém, Zenaldo Coutinho, e Marituba, Mário Filho e falou também com autoridades do município de Santarém e da região de Tapajós. Teve tempo até, dizem, para curtir uma animada roda de carimbó. Só não teve tempo para o Sul do Pará que, como todos sabem, não precisa dos investimentos milionários do ministério que Dilma deu para Kassab.

Correndo contra o tempo
Encerra nesta segunda-feira (23) o prazo dado aos novos senadores e deputados federais, eleitos no ano passado, para apresentação de emendas ao Orçamento de 2015, que ainda vai ser votado pelo Plenário do Congresso. Cada um terá até R$ 10 milhões em emendas para destinar aos seus estados e bases eleitorais, sendo R$ 5 milhões para a área de saúde e R$ 5 milhões para outras questões. Não é nada, não é nada, é muita coisa em tempos de vacas magras e cortes vastos.

Com mudanças nas regras de financiamento, site do Fies é reaberto para novos contratos

O Ministério da Educação (MEC) reabriu, na tarde desta segunda-feira (23) o Sistema Informatizado do Fies (SisFies) para novos contratos para o primeiro semestre deste ano no site sisfiesportal.mec.gov.br. O site ficou sobrecarregado durante a tarde, e a assessoria de imprensa do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) pediu aos estudantes que tenham paciência e tentem mais tarde. As inscrições poderão ser feitas até o dia 30 de abril. A portaria com as regras para a inscrição no Fies foi publicada na edição desta segunda-feira do "Diário Oficial".
De acordo com a portaria, o governo vai usar indicadores de desempenho e de qualidade da instituição de ensino superior para liberar o financiamento.
Segundo o MEC, após a validação das informações durante a inscrição, o estudante deverá comparecer a um agente financeiro do Fies em até dez dias, contados a partir do terceiro dia útil à data da validação da inscrição.

Produtividade de trabalhador brasileiro é a pior entre 12 países. País lidera em custo da mão de obra

A produtividade média do trabalhador brasileiro por hora de trabalho de 2002 a 2012 foi a pior entre 12 economias avaliadas pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), que divulgou nesta segunda-feira (23) uma pesquisa sobre o tema. O Brasil ficou na lanterna do grupo formando por Alemanha, Coreia do Sul e Estados Unidos, entre outros países. A média de crescimento da produtividade por hora trabalhada foi de 0,6% na década analisada, à frente apenas dos italianos (0,8%). 
A CNI classificou o resultado como "fatal", tomando como parâmetro o impactado permanente do chamado custo Brasil. "A combinação de baixa produtividade e de elevados custos sistêmicos é fatal. A perda de competitividade resulta em baixo crescimento e maiores dificuldades para as empresas brasileiras. A redução da confiança do empresário é uma das consequências, o que leva à queda do investimento. Assim, um círculo vicioso é gerado, uma vez que o aumento da produtividade depende do aumento do investimento. Com a estagnação da produtividade não há futuro para a indústria brasileira", registrou o estudo. 
Na mensagem final da pesquisa, a CNI criticou a política de crescimento da economia brasileira baseada, segundo a entidade, apenas no aumento do número de empregos formais. "O País não tem mais como crescer baseado apenas no aumento do emprego. A reversão do processo atual passa pela redução dos custos sistêmicos, que refletirá positivamente na confiança dos empresários e, consequentemente, no investimento", disse. 
Os sul-coreanos lideram o ranking com média anual de competitividade com crescimento de 6,7% entre 2002 e 2012. Em seguida parecem Taiwan (6,%), Cingapura (4,4%), Estados Unidos (4,4%), Japão (3,1%), Espanha (3,1%), Alemanha (2,9%), França (2 2%), Austrália (1,3%), Canadá (1,1%) e Itália (0,8%). 
Penúltimo em competitividade, o Brasil lidera em custo de produção. O custo de mão de obra foi medido com base no custo unitário do trabalhado (CUT) em dólares, que está, segundo o estudo, "significativamente acima" dos demais integrantes do ranking, após crescimento médio de 9% ao ano na década analisada. "A indústria brasileira tornou-se menos competitiva nos últimos dez anos", registrou a CNI.
A entidade apontou que, de 2002 a 2012, o CUT da indústria acumulou crescimento de 136%. A taxa é quase o dobro da Austrália (67%), segundo no ranking do custo da produtividade. O indicador é formado por salário, produtividade do trabalho e o câmbio. "Os três fatores contribuíram negativamente para a competitividade brasileira", disse a CNI. 
Apesar de destacar o crescimento médio anual do salário médio do trabalhador brasileiro (1,8%), o índice da CNI mostrou que a Coreia elevou mais os ganhos reais (2,5% ao ano). O país asiático, contudo, conseguiu elevar a produtividade em uma proporção maior, enquanto a taxa de câmbio real recuou apenas 0 9% ao ano, contra uma desvalorização de 7,2% verificada no Brasil no período. 
A Austrália ficou em terceiro lugar entre os países que mais elevaram o ganho do trabalhador, com crescimento médio anual de 0,9%. Já os Estados Unidos foi o único país entre os 12 pesquisados a registrar queda do salário real pago ao trabalhador industrial (-0,1%), seguido por Taiwan (0,1%) e Alemanha (0,3%), que aparecem na parte de baixo no ranking deste indicador.

PT quer ampliar CPI da Petrobras e investigar FHC

A bancada do PT, partido enrolado no escândalo do Petrolão, vai tentar ampliar o leque de investigação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, que será instalada nesta quinta-feira (26), na Câmara Federal. Conforme lembrou o líder do governo na Casa, deputado José Guimarães (PT-CE), o pedido de aditamento para que as investigações remontem aos anos 1990, durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, será apresentado pelo líder do PT na Câmara, deputado Sibá Machado (AC), ao plenário da comissão. A decisão de ampliar ou não será tomada pelo voto dos integrantes do colegiado.
Depois que o PSDB anunciou seus primeiros requerimentos e sugestões, os petistas perceberam que podem estar entrando em campo minado e que suas principais lideranças - entre elas, Lula e Dilma - não estão à salvo. Assim, pretendem levar as investigações até o ninho tucano. A esperança é que, estando petistas e tucanos devidamente lambuzados nos malfeitos, seja mais fácil costurar um acordo e chegar até a cozinha para assar mais uma pizza.
“O líder Sibá já comunicou que há necessidade de um aditamento para que a apuração seja ampla, geral e irrestrita. Não só a partir de 2005, mas a partir de quando os chamados delatores anunciaram que faziam os malfeitos na Petrobras. Portanto, é apurar tudo desde 1997, conforme está nos autos do processo”, explicou Guimarães. “Não é razoável para quem quer apurar ser contra isso. Acho que vai ser aprovado por unanimidade.”
O requerimento de criação da CPI protocolado pela oposição determina que a comissão investigue a prática de atos ilícitos e irregularidades na Petrobras entre 2005 e 2015. Na semana passada, no entanto, a presidente Dilma Rousseff afirmou que, se o esquema de corrupção houvesse sido investigado nos anos 1990, ele não teria se propagado.
No último dia 12, Sibá entregou uma representação à Procuradoria-Geral da República (PGR) e ao Ministério da Justiça na qual pede que procuradores e policiais federais envolvidos na Lava Jato ampliem as investigações para esse período.

Deputado quer pesquisas só até duas semanas antes das eleições

Barros - pesquisas só até quinze dias antes da votação
Começou a tramitar na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 02/2015, que proíbe a publicação de pesquisas eleitorais nas duas semanas anteriores ao dia da eleição. O autor da proposta, deputado Ricardo Barros (PP-PR), entende que essas pesquisas podem influenciar o voto do eleitor e acabam prejudicando políticos e partidos, que às vésperas do pleito não conseguem verificar os dados e métodos utilizados nas pesquisas.
Em sua justificativa, Barros cita as cidades de Maringá, Ponta Grossa e Foz do Iguaçu, no Paraná, e também de Manaus, no Amazonas, que durante as eleições municipais de 2012 viram o Ibope errar grosseiramente a previsão dos resultados finais para prefeito. No caso de Maringá, o resultado da eleição foi exatamente o oposto do que previa a pesquisa.
Na opinião de Ricardo Barros, o eleitor não pode receber informações tão desconexas da realidade por meio de veículos de comunicação de alto poder de propagação, pois isso acaba interferindo diretamente não só no resultado, mas também no desenvolvimento da democracia. O deputado argumenta que o eleitor deve confiar no processo eleitoral como um todo, inclusive nos institutos de pesquisa e na imprensa.
A intenção da proposta não é proibir a realização das pesquisas, mas sim impedir a publicação pelos meios de comunicação sem que haja tempo hábil para a verificação dos dados, métodos e possíveis erros ocorridos na apuração.
Desde as eleições de 2014, o rigor para a publicação de pesquisas de intenção de voto aumentou. Lei de 2013 incluiu entre as obrigações das entidades e empresas que realizarem pesquisas, ao fazer o registro na Justiça Eleitoral até cinco dias antes da divulgação, informar o nome de quem pagou pela realização do trabalho, plano amostral e ponderação quanto a sexo, idade, grau de instrução, nível econômico e área física de realização do trabalho a ser executado, além de intervalo de confiança e margem de erro. Também foi proibida a realização de enquetes sobre o processo eleitoral durante a campanha.
O projeto tramita em regime de prioridade e será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania e também pelo Plenário.

Senado faz sessão especial para discutir reforma política amanhã. Veja o que pode mudar.

Com a presença de quatro convidados, o Senado realiza nesta terça-feira (24), às 10h, sessão temática para debater a reforma política. O debate servirá para preparar a votação em Plenário, prevista para março, de dez projetos que alteram regras eleitorais e partidárias. De acordo com o secretário-geral da Mesa do Senado, Luiz Fernando Bandeira, foram convidados o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes; o diretor-executivo da ONG Transparência Brasil, Claudio Abramo; e os cientistas políticos e professores Murillo de Aragão e Lucio Rennó.
A agenda de discussões e decisões estabelecida pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), tem como objetivo não perder o protagonismo sobre o assunto para Eduardo Cunha, peemedebista que preside a Câmara Federal e que já instalou uma comissão especial para tratar a matéria e que dentro de pouco mais de 40 dias deverá apresentar seu relatório. 
A história recente da reforma política no Brasil é preocupante. Sempre tratada como "prioridade" nos discursos, a matéria é logo esquecida na prática do parlamento.
Em 2003, uma comissão especial da Câmara elaborou projeto de reforma que tratava de temas como filiação partidária, domicílio eleitoral e horário gratuito de televisão e rádio. Anexado a 100 outras propostas, tramitou por quatro anos e foi rejeitado em 2007.
Em 2011, Câmara dos Deputados e Senado montaram novas comissões. A do Senado produziu 11 projetos, dos quais apenas dois foram aprovados — porém ainda aguardam deliberação da Câmara. Já a comissão da Câmara não chegou a nenhuma conclusão e interrompeu suas atividades em 2012.
Os temas abordados incluem, além do financiamento de campanhas e do voto facultativo, a prestação de contas eleitorais, a formação de coligações, datas de posse, critérios para criação de partidos e a participação feminina. Ao todo, são seis propostas de emenda à Constituição e quatro projetos de lei que mudam as regras eleitorais e que serão apreciados pelos senadores a partir de março. Veja quais são: 
PEC 40/2011: Permite coligações partidárias somente em eleições majoritárias (presidente, governador, senador e prefeito), vedando-as para disputas de deputados federais e estaduais e vereadores.

PEC 38/2011: Trata da data de posse e duração de mandato. Propõe posse do presidente em 15 de janeiro e de governador e prefeito, em 10 de janeiro. Recebeu emenda para unificar posse de deputados estaduais e distritais em 1º de fevereiro, já aprovada na CCJ. Previa ainda mandato de cinco anos para presidente, governador e prefeito, mas essa parte foi rejeitada.

PEC 73/2011 e PEC 48/2012: Exigem desincompatibilização do presidente, governador e prefeito que queiram se reeleger. A PEC 73/2011 determina que o candidato à reeleição deve renunciar ao mandato até seis meses antes do pleito. A PEC 48/2012 exige a licença a partir do primeiro dia útil após a homologação da candidatura, conforme emenda aprovada na CCJ (o texto original dizia “nos quatro meses anteriores ao pleito”).

PEC 55/2012: Institui o voto facultativo. A proposta foi rejeitada na CCJ. Está em Plenário para primeira sessão de discussão, em primeiro turno.

PEC 58/2013: Estabelece como critérios para criação de partidos o apoiamento de eleitores correspondentes a pelo menos 3,5% do eleitorado nacional em 18 estados, ao menos um estado em cada região, com não menos de 0,3% dos eleitores de cada um deles (o texto original previa 1% do eleitorado nacional, percentual modificado na CCJ).

PLS 60/2012: Veda doações de pessoas jurídicas a campanhas eleitorais. A matéria foi aprovada na CCJ e aguarda inclusão na ordem do dia.

PLS 601/2011: Obriga candidatos, partidos e coligações a divulgar na internet relatórios periódicos referentes aos recursos arrecadados e gastos na campanha eleitoral. Foi aprovada na CCJ e aguarda inclusão na ordem do dia.

PLS 268/2011: Institui o financiamento público exclusivo das campanhas eleitorais. Tramita em conjunto com PLS 373/2008, que trata de doações a campanhas feitas por meio de cartões de pagamento, de débito e de crédito. O primeiro foi aprovado na CCJ e o segundo foi considerado prejudicado. As matérias aguardam inclusão na ordem do dia do Plenário.

PLS 295/2011: Eleva para 50% o percentual de vagas para mulheres nas eleições proporcionais. Aprovado na CCJ, o projeto aguarda inclusão na ordem do dia.

Em Parauapebas, abastecimento de água no Complexo Altamira só a partir das 8 da noite, diz Saaep

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas (Saaep), informou através de nota que o abastecimento de água para todos os bairros que formam o chamado Complexo Altamira deverá voltar ao normal a partir das oito horas da noite desta terça-feira (23).
A redução do abastecimento de água em todo o Complexo Altamira aconteceu devido à realização de serviços de manutenção no sistema de energia, de responsabilidade da Celpa. Sem energia, a Estação de Tratamento de Água II (ETA II) encontra-se fora de funcionamento.
O SAAEP solicitou agilidade à Celpa. A concessionária informou que o retorno da operação normal do sistema de energia ocorre a partir das 11h desta segunda-feira, 23. Já a normalização do abastecimento de água no Complexo Altamira está prevista para as 20h desta segunda-feira, devido ao tempo necessário para o retorno completo da operação normal do sistema, que é de oito horas.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Curtas - A capa de Veja, BNDES na mira da oposição, "pega ladrão" e mais. Veja aqui.

A Capa de Veja
Aí ao lado segue a capa da edição da revista Veja que circula a partir de amanhã. Sendo verdade a metade do que anuncia, será um final de semana daqueles...

Contra o aumento
A oposição quer suspender o reajuste do PIS-Cofins e da Cide sobre os combustíveis. Para isso, dois projetos de decreto legislativo foram apresentados: o PDS 1/2015 e o PDS 4/2015. De autoria do senador Cassio Cunha Lima (PSDB), líder do partido, as proposições começam a tramitar assim que as comissões permanentes sejam instaladas.

Tiros do Alvaro I
O senador Alvaro Dias (PSDB-PR) pediu no Plenário do Senado que o Congresso investigue os empréstimos do BNDES. Ele chamou a atenção para a quantidade de dinheiro repassado pela instituição para construtoras e empresas para financiar obras em países estrangeiros.

Tiros do Alvaro II
O senador Alvaro Dias (PSDB-PR) afirmou nesta sexta-feira (20) que o governo brasileiro, assim como o Ministério das Relações Exteriores, não pode manter silêncio diante da prisão do prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, que se opõe ao governo da Venezuela comandado por Nicolás Maduro. Para ele, esse foi mais um ato de violência e autoritarismo de um governo ditatorial que se esconde sob a “vestimenta da democracia”. "O mundo democrático deve repudiar o ato, já reconhecido como mais uma violência a consagrar o autoritarismo por parte do governo venezuelano", declarou.

Crise "bolivariana"
O próprio Maduro utilizou cadeia de rádio e televisão para anunciar ao país a prisão do opositor, ocorrida na noite da última quinta-feira (19). Segundo ele, o prefeito foi detido por ordem da Procuradoria, por tentar promover um golpe de estado no país, contando para isso com o apoio do governo norte-americano.
O senador Ricardo Ferraço (PMDB), ex-presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), também criticou a prisão. A seu ver, a medida foi um “ato de violação” às liberdades individuais e políticas. "Vemos com preocupação essa violação aos direitos humanos, à liberdade e à democracia", disse. Ferraço considera degradante a situação a que outros representantes da oposição estão sendo submetidos pela gestão de Maduro, como Leopoldo López, preso há mais de um ano.

Gatos, doces e bombas
Integrantes do Estado Islâmico (EI) começaram a usar as redes sociais para ridicularizar a notícia de que eles usariam nutella e gatos para recrutar mulheres. A informação, divulgada no canal CNN, foi baseada em fotos publicadas pelos extremistas, sorrindo e segurando potes de nutella.
Até mesmo emojis (símbolos com caretinhas e bichinhos) acompanhavam as frases postadas nas redes sociais, reforçando a ironia. Após a publicação da reportagem, os jihadistas e simpatizantes do grupo islâmico postaram ainda mais fotos com gatos e nutella, fazendo piada com o caso.

Testemunha ameaçada
O Ministério Público Federal pediu proteção policial à ex-funcionária da Arxo Cíntia Provesi Francisco, que denunciou a participação da empresa no desvio de dinheiro da BR Distribuidora. Ela teve sua casa invadida durante o feriado de carnaval. Ao retornar para sua residência após passar o feriado com a família em Recife, Cíntia encontrou gavetas abertas e documentos espalhados pelo chão. Foram levadas cópias de notas fiscais e documentos que entregou à força-tarefa da Operação Lava-Jato, que estavam numa caixa e mil reais em dinheiro. A Polícia Federal investiga o caso desde a última quarta-feira, quando foi procurada pela ex-funcionária da Arxo. Assustada, ela afirmou que está se sentindo ameaçada.

"Pega o ladrão"
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso reagiu nesta sexta-feira (20) e disse que a presidente Dilma Rousseff deveria ter “mais cuidado” e não deveria jogar para outros a “responsabilidade” dos casos de corrupção na Petrobras ocorridos nos governos do PT, citando a própria e Lula. Fernando Henrique disse que seu governo nunca foi acusado de nada e que sua gestão não poderia ser responsabilizada por uma ação individual de funcionários da Petrobras, sem citar o nome de Pedro Barusco. O tucano partiu para o ataque e chegou a comparar a tática de Dilma a um punguista que “rouba e sai gritado ´pega o ladrão!'”.

Na folia
R$ 279 milhões. Eis quanto custou a folia dos nobres deputados e senadores brasileiros. O cálculo é baseado no Orçamento para a Câmara e o Senado neste ano. As duas Casas têm previsão de gastar, juntas, R$ 9,3 bilhões — cerca de R$ 25,4 milhões por dia. Como a maioria dos parlamentares está de folga desde o dia 13, uma sexta-feira, e não há sessões deliberativas até a próxima terça-feira (24), o contribuinte terá que arcar com cerca de 11 dias de descanso para as excelências.

Enquete mostra João Salame com aprovação em alta

Uma enquete promovida pelo site Blogsbrasil.com está trazendo uma boa notícia para João Salame (PROS), prefeito de Marabá (PA). Desde ontem (19) no ar, o levantamento quer saber qual a avaliação do internauta sobre a administração municipal de Marabá, desde o início do mandato de Salame até agora. Com 636 votantes até a tarde desta sexta-feira (20), 229 (36%) consideravam ótima a atuação do atual prefeito; 196 consideravam boa (31%); 118 (19%) apenas regular e 93 (14%) consideram ruim a gestão marabaense.
No mesmo site, outra enquete pede ao internauta que avalie o desempenho de Dilma Rousseff e nesta a presidente não vem se saindo muito bem. Com 201 participantes, a enquete mostra que a gestão de Dilma é considerada ruim para 113 (56%), razoável para 10 (6%) e boa para 78 (38%) internautas.
Caso o internauta queira participar da enquete, basta clicar no link marcado no início da postagem.
Avaliação surpreende
Ainda que distante de ter precisão científica, o resultado positivo na enquete obtido até aqui por Salame, que vem sendo muito criticado nas redes sociais, chega a surpreender.
Muitos avaliam que, com a proximidade da estação mais chuvosa na região e a escassez de recursos federais para dar prosseguimento às obras iniciadas ano passado, o prefeito de Marabá está vivendo seu momento mais complicado. Os resultados da enquete, contudo, apontam no sentido de que João Salame ainda conta com expressivo apoio entre a população.
Baseado em um programa que previa a execução de 500 quilômetros de asfalto em 4 anos nas ruas de Marabá, João elegeu-se derrotando, em 2012, o deputado estadual Tião Miranda (PTB), considerado o favorito naquelas eleições.
As contas públicas, destroçadas pela gestão do prefeito anterior, Maurino Magalhães (PR), impediram que as obras começassem de forma efetiva em 2013. No ano seguinte, 2014, restrições no CAUC e contingenciamento de recursos federais - além da morosidade e diversos problemas nos processos licitatórios - também atrapalharam os planos de Salame e retardaram ainda mais o início das obras.
2015, portanto, é considerado decisivo para o prefeito de Marabá. Depende do desempenho da administração municipal este ano a aprovação ou rejeição de sua gestão pelos eleitores que irão às urnas em outubro de 2016.

CPI da Petrobras começa na quinta-feira. Tucanos preparam lista de convocação, mas excluem Lula. "Não é o momento", diz Aécio

Lula - Sem convocação para ele. Por enquanto...
O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, marcou para próxima quinta-feira (26), ao meio-dia, a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras. Durante a reunião, serão definidos o presidente e o relator da comissão. Um dos dois será indicado pelo PMDB, que lidera o maior bloco partidário.
Enquanto isso, o PSDB, maior partido da oposição já se prepara para apresentar propostas de estruturação e funcionamento da CPI, além de um lista de requerimentos que prevê acesso a documentos e interrogatório de envolvidos no esquema de desvio de recursos públicos na estatal brasileira de petróleo. Mirando em medalhões petistas, a lista dos tucanos deixa de fora Lula e Dilma. "Não é o momento ainda de chamá-los", disse Aécio Neves, que lidera a oposição.
O PSDB vai propor a criação de três sub-relatorias para dar maior agilidade aos trabalhos da CPI: de Sistematização, com o objetivo de organizar todo o acervo probatório da comissão; Operacional, para conduzir a investigação propriamente dita e Núcleo Político, para investigar a atuação de agentes políticos na organização criminosa que se instalou na Petrobras.
Os requerimentos serão submetidos à análise dos demais partidos de Oposição para que sejam apresentados em conjunto. De acordo com o Líder do PSDB, deputado Carlos Sampaio (SP), essas são as primeiras contribuições do PSDB para o início dos trabalhos da CPI.
“As investigações que estão em curso mostram que a maior estatal brasileira foi alvo de um esquema criminoso, que desviou bilhões e que atuava de forma organizada e sofisticada. O que a sociedade espera saber é onde os recursos foram parar e quem se beneficiou dessa roubalheira sem precedentes na história”, afirmou.
Veja a seguir as propostas dos tucanos:

Projeto estimula investimentos de municípios em saneamento básico

Nunes - estímulo ao saneamento
A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei Complementar 426/14, que elimina da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF - Lei Complementar 101/00) as restrições existentes para que municípios realizem operações de crédito destinadas ao financiamento de programas de saneamento básico. A proposta foi apresentada pelo deputado José Nunes (PSD-BA).
Atualmente, a lei diz que, se a dívida consolidada de um ente da Federação ultrapassar o respectivo limite ao final de um quadrimestre, o ente será proibido de realizar operações de crédito interna ou externa, inclusive por antecipação de receita, enquanto perdurar o excesso. O projeto excetua dessa regra aquelas operações destinadas ao financiamento de programas e projetos de saneamento básico.
O autor destaca que apenas 54,35% dos municípios nordestinos possuem redes coletoras de esgoto. “A situação é ainda pior na Região Norte, onde somente 13,36% dos municípios estão servidos de redes coletoras de esgoto”, complementa Nunes.
“A proposta visa proporcionar aos gestores municipais a possibilidade de continuarem investindo e prestando serviços de saneamento, por meio de empresas que possuem condições técnicas e financeiras de realizarem novos investimentos no setor”, acrescenta.
O projeto, que tramita em regime de prioridade, será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania; e pelo Plenário.