E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

sábado, 10 de janeiro de 2015

Time de futebol americano do Pará participa de campanha do Hemopa

"Saúde e esporte tem tudo a ver. Queremos conscientizar a população, outros atletas e equipes de que as doações de sangue são importantes. Incentivei o time e nós viemos ajudar". A declaração é do administrador e atleta do Belém Futebol Americano Vingadores, Luan Tinoco, 26, doador há seis anos, que junto com outros 20 atletas compareceram ao Hemopa na manhã deste sábado, 10, para colaborar com a campanha que busca restabelecer o estoque do banco de sangue no Estado.
Somente neste começo de ano o Hemopa já registrou uma queda de 30% na reserva técnica. Além do deslocamento de um grande número de pessoas em decorrência do recesso escolar e das comemorações de fim de ano, contribuíram para essa redução a ampliação do número de leitos hospitalares, realização de cirurgias, transplantes e abertura de clínicas de hemodiálise, além do início do período das chuvas, que dificultam o acesso do doador às unidades de coleta.
O atleta e assessor de comunicação dos Vingadores, Júnior Sardo, 29, explica que esta é a primeira campanha de doação de sangue do time, mas, que junto da Federação Paraense de Futebol Americano (FEPAFA), eles promovem a entrega de alimentos e brinquedos junto a instituições de caridade desde que a equipe foi criada. "A equipe surgiu há um ano e conta com 50 atletas. Desde sempre procuramos incentivá-los a participar de ações e eventos solidários e assim que soubemos da convocação do Hemopa fizemos questão de colaborar. Essa foi a nossa primeira campanha de doação de sangue", conta.
Representante comercial e integrante dos Vingadores, Carlos Rodrigues Júnior, 42, doou sangue pela primeira vez. Ele conta que já tinha essa vontade, mas faltava um incentivo. "A campanha me impulsionou. Penso no bem que fazemos ao sair da nossa zona de conforto e ajudar o próximo. Doar sangue faz toda a diferença, acreditem", diz ele.
"Somos gratos a todas as mobilizações em favor da vida. A mobilização e colaboradores - sejam equipes esportivas, grupos de amigos, segmentos religiosos, associações, etc - é exemplar e fundamental para o reabastecimento do estoque de sangue e atendimento eficiente da demanda transfusional", reforça a assistente social Juciara Farias, titular da Gerência de Captação de Doadores (Gecad) do Hemopa.
Podem doar sangue pessoas com boa saúde, peso acima de 50 kg e idade entre 16 anos completos e 69 anos. Menores de 18 anos precisam da autorização dos pais ou responsáveis. É necessário portar documento de identidade original e com foto. Não precisa estar em jejum, ao contrário, a boa alimentação garante ao doador que não apresente mal estar durante a coleta. O homem pode doar a cada dois meses, e a mulher a cada três.
Serviço: A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, nº 2109, e no acesso ao Pórtico Metrópole pelo Shopping Castanheira (BR-316, KM 1). O Hemopa/Marabá funciona na Rod. Transamazônica, Quadra 12, S/N, entre Av. Hiléia e Av. Amazônia, Bairro Amapá. As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações pelo 0800 280 8118. (Com informações da Agência Pará)