E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

quarta-feira, 19 de março de 2014

Darío Pereyra, novo treinador do Águia, será apresentado hoje à imprensa em Marabá

Quem torce pelo Águia de Marabá já pode ir preparando o portunhol. É que está em Marabá Darío Pereyra, novo treinador do Águia. Ele terá a enorme responsabilidade de comandar o Azulão na Série C do Brasileiro deste ano, buscando garantir vaga na Série B do ano que vem. Trata-se, como todos sabem, do lendário zagueiro uruguaio que se fez famoso no time do São Paulo Futebol Clube, clube pelo qual atuou por mais de 10 anos e em mais de 450 jogos, fazendo 40 gols. Jogador aguerrido, tornou-se treinador a partir de 1997, no próprio São Paulo. Já treinou times como Atlético-MG, Grêmio e Corinthians. Ano passado treinou o Vila Nova, de Goiás e o levou ao 4º lugar na Série C do Brasileiro, garantindo o acesso do time goiano à Série B. Em Darío - e nos novos jogadores que integrarão o elenco do Águia - repousam as esperanças do presidente Ferreirinha, do diretor João Galvão e dos milhares de torcedores do time marabaense.
A apresentação de Darío à imprensa marabaense acontece nesta quarta-feira (19), a partir das 16h30, no Hotel Itacaiúnas.

Plano Municipal de Saneamento que começa a ser discutido é estratégico para desenvolvimento de Marabá, diz Beto Salame

O secretário de Planejamento de Marabá, Beto Salame, determinou a elaboração de uma estratégia para garantir água encanada e esgoto na cidade. O chamado de Plano Municipal de Saneamento Básico, coordenado pela Seplan, tem por meta definir o modelo de gestão a ser adotado para prover, além desses dois já citados, serviços essenciais como drenagem e coleta e destino do lixo produzido. "Alguns gestores não gostam de investir em saneamento. Acham que "obra enterrada" não rende voto. Entendo que saneamento rende saúde e condições dignas de vida para todos e é nossa obrigação, enquanto gestores, lutar para que mais pessoas tenham acesso a esses serviços", diz Beto.
Beto avalia que nestes 101 anos de criação, Marabá avançou muito pouco quando o assunto é saneamento. "Nesta área estamos correndo em busca de recuperar o tempo perdido e precisamos definir uma estratégia eficaz para prover com drenagem, água, esgoto e coleta de lixo a cidade e este é o objetivo do Plano, que considero estratégico para o desenvolvimento de Marabá", diz. Para ele é preciso definir de forma urgente o modelo a ser implantado e existem três modelos básicos de gestão.
O primeiro deles é gerir o sistema através de uma empresa pública. O segundo, através do chamado "Contrato Programa", que pode ser firmado com qualquer empresa pública e o terceiro através das chamadas PPPs, parcerias público-privadas ou de concessões para empresas privadas.
O primeiro passo é definir o modelo de gestão; em seguida, serão estabelecidas as metas e investimentos anuais, que deverão ser compatíveis com o Plano Plurianual elaborado ano passado.
De toda maneira, deverá ser criada uma agência municipal que regulará e fiscalizará a execução dos serviços.
Para dar vez e voz à população Um calendário de audiências públicas já foi estabelecido.
No dia 22 de março a discussão começa no Auditório do Sest/Senat, no bairro S.Félix II, a partir das 8h; dia 24 será a vez da Nova Marabá ser ouvida e o encontro acontece na escola Martinho Mota; dia 26, no Cine Marrocos, a Marabá Pioneira discute a questão; dia 27, a audiência acontece na Vila Sororó, na escola Adelaide Molinari. A última rodada de discussões acontece no dia 28, no plenário da Câmara Municipal.
"Queremos garantir a mais ampla participação popular, para que a gente possa elaborar um plano que realmente atende aos interesses da população. Acredito que ouvir as pessoas é o melhor caminho para colocar a sociedade ao nosso lado, nos ajudando a escolher a melhor forma de gerenciar esses serviços cruciais para elevar a qualidade de vida de todos nós", disse Beto Salame.
Um dos maiores gargalos para o desenvolvimento de Marabá é justamente a prestação desses tipos de serviços. Água encanada e esgoto apresentam números pífios e a qualidade dos serviços é, para ser generoso, sofrível. O Governo do Pará, quebrado mais que tudo, consegue investir pouco ou quase nada. Desde a gestão de Ana Júlia arrasta-se a obra de ampliação da rede de água e esgoto executada pela Cosanpa, acumulando reclamações em todos os bairros - moradores reclamam de tudo. Desde as crateras deixadas nas vias até a coloração da água que sai das torneiras.
Estava na hora mesmo de alguém ter coragem para discutir com a população o que, como e quando fazer para melhorar a qualidade desses serviços.

terça-feira, 18 de março de 2014

Confirmado: Dilma em Marabá na quinta, para assinar Edital do derrocamento do Pedral do Lourenção

Conforme o blog havia informado no sábado (15), Dilma Rousseff estará mesmo em Marabá nesta quinta-feira (20) e todo o bafafá acontece na área externa do aeroporto, a partir das 14h. Através de ofício enviado ao Gabinete do Prefeito João Salame pelo chefe do cerimonial da Presidência da República foi confirma a vinda de Dilma para entregar 110 máquinas pesadas para 89 prefeitos de diversas regiões do Pará e além disso, determinar a publicação do Edital de Licitação para as obras de derrocamento do Pedral do Lourenção, necessárias para conclusão da hidrovia Araguaia-Tocantins. A demora em cortar este nó górdio conseguiu impedir a otimização de toda a malha viária da região do Carajás e vem atrasando sobremaneira o desenvolvimento da região.
As inúmeras idas e vindas que marcam a história do derrocamento mostram que não é fácil vencer os poderosos lobbies que articulam a favor da construção de rodovias e ferrovias, infinitamente mais caras nos aspectos econômico, social e ambiental.
Marabá, erguida na confluência de dois magníficos rios, é um dos raros "entroncamentos" do País. Poucas cidades podem se gabar de possuir à disposição quatro modais de transporte (rodoviário, aéreo, ferroviário e aquaviário), o que a torna preferencial para todo tipo de atividade produtiva. É isso que faz com que todos nós marabaenses, de nascimento ou por adoção, vivamos este perpétuo estado de ansiedade, querendo ver quando todo nosso potencial poderá se transformar em desenvolvimento sustentável.
Ao publicar o edital para as obras de derrocamento, Dilma estará dando um passo importante no sentido de permitir que Marabá deixe de especular sobre o "que poderia ter se tornado" e passe efetivamente ao estágio de tornar-se a capital econômica de todo o meio-norte. Disposição e vontade não faltam aos marabaenses. Faltava um pouco mais de estímulo por parte dos governos. A Prefeitura e o Governo Federal estão demonstrando boa vontade e empenho. Foram mais de R$ 250 milhões de investimentos apenas para drenagem e saneamento aprovados no PAC II, além de asfalto, UPA, escolas e creches. Ao todo, serão mais de R$ 650 milhões de investimentos em Marabá.
Anúncios feitos, fica a obrigação de todos nós - independente de partido ou coloração política - acompanhar par e passo o desenvolvimento dessas obras.
Mas, nem mesmo os maiores opositores haverão de negar que são notícias boas considerando que, por anos a fio, vimos as riquezas do Carajás serem destinadas a fazer fortunas e gerar bem-estar em outros estados e países. Enquanto aqui vicejava a miséria e o descaso, projetos e programas de desenvolvimento eram implantados em outros estados e cidades com recursos apurados pela exploração de nossas riquezas. Acredito que o desejo de todos é que, com a conclusão da hidrovia, tenhamos polo metal-mecânico, ALPA, enfim, que tenha realmente chegado nossa hora de crescer.
Por fim uma nota ao pé da página: quando vejo essas tentativas de gerar um novo ciclo de desenvolvimento para a região do Carajás, fico aqui pensando que raios está fazendo o Governo do Estado do Pará que não se manifesta e não aparece neste esforço para pagar a dívida histórica que o Pará e o Brasil têm com Marabá e toda a região. Infelizmente, trata-se de um governo omisso, preguiçoso, que brilha pela ausência. Uma pena. Ainda bem que outubro está logo ali...
      

Com quase 3 mil desabrigados por enchente, Marabá aguarda homologação de Situação de Emergência pelo Ministério da Integração.

Depois de haver sido decretada Situação de Emergência em Marabá por conta da elevação das águas dos rios Tocantins e Itacaiúnas, a Prefeitura Municipal tratou de enviar toda a documentação ao Ministério da Integração Nacional para homologação. Com a decisão do Ministério será possível aos desabrigados realizarem saque de parte do FGTS para custear obras de recuperação de seus imóveis e fazer frente a outros gastos.
Até a tarde de ontem (17), eram 903 as famílias atingidas pela enchente. Segundo a classificação feita pela Coordenadoria Municipal Defesa Civil, eram 159 as famílias desalojadas, 496 as deslocadas e 318 as desabrigadas atendidas pela Prefeitura de Marabá nos alojamentos públicos. Estima-se em quase 3 mil pessoas alcançadas pela enchente.
Desde a manhã de ontem o nível das águas do Tocantins vem apresentando ligeira redução. Por volta de 8 da manhã estava 12m02 acima do leito normal; ao meio-dia, estava em 12m00 e as 18h já havia baixado para 11m96.
Mesmo assim técnicos da Defesa Civil avaliam que as águas, em função da intensidade das chuvas na região, devem voltar a subir.



Sem-terras, mototaxistas e moradores do Tropical cercam Prefeitura de Parauapebas

Não está fácil para ninguém mesmo. O Palácio dos Ventos, sede da Prefeitura de Parauapebas está cercado por manifestantes. Além de integrantes do MST, engrossam a manifestação mototaxistas, taxistas que operam os chamados "táxis-lotação" e moradores do bairro Tropical. Eles querem ser recebidos pelo prefeito Valmir Mariano para apresentar ao gestor uma extensa lista de reivindicações. As informações foram fornecidas poucos instantes atrás pelo sempre atento Blog do Zé Dudu.
Veja a seguir o link e a íntegra da postagem:

Prédio da Prefeitura de Parauapebas está cercado por manifestantes

O prédio da Prefeitura Municipal de Parauapebas está cercado por manifestantes nesse momento. São cerca de 3 mil pessoas entre militantes do MST que moram nas Vilas Palmares I e II, Mototaxistas, Moradores do Bairro Tropical e trabalhadores com o táxi-lotação.
Eles começaram a se reunir logo pela manhã em uma área próxima a delegacia de polícia civil de Parauapebas e rumaram para a prefeitura.
Segundo a direção do movimento, reivindicam que o prefeito Valmir Mariano receba pessoalmente um grupo formado por lideranças de cada setor para despachar quesito por quesito de uma longa pauta de reivindicações, entre elas melhorias na educação, saúde, segurança, habitação, cheque moradia, energia elétrica,etc.
Por volta das 10 horas o gabinete do prefeito ordenou a saída de todos os funcionários lotados no Morro dos Ventos e quando os manifestantes lá chegaram só encontraram os seguranças.
A PM está no local para preservar a integridade do patrimônio e também dos manifestantes.
Segundo a Ascom da PMP, será emitida uma nota assim que a mesma tiver conhecimento das reivindicações.
Os manifestantes prometem não arredar pé até que o prefeito os receba. “Vamos ficar aqui por dois, três ou trinta dias se houver necessidade”, disse um dos líderes do movimento.
Com a manifestação, o trânsito ficou parado desde a portaria da Flona de Carajás até a rotatória do Hipersena. Por volta das 11 horas, com a chegada dos manifestantes ao Morro dos Ventos, o trânsito começou a fluir, mas é necessária muita atenção. 
Mais informações em instantes.

segunda-feira, 17 de março de 2014

Tucanos e os bichos; ou parece que Jatene encontrou o seu "Cachoeira"

Tucanos paraenses, ao que parece, vem mantendo relações para lá de perigosas com outros bichos, ou melhor dizendo, com todos os bichos do jogo. Pelo menos, é o que mostra reportagem do Diário do Pará deste domingo.
Segundo a reportagem, o bicheiro que lidera o Parazão, espécie de "federação" das "bancas" da jogatina ilegal em Belém, é um dos mais atuantes defensores dos tucanos do Pará e pode ter financiado a campanha de Zenaldo Coutinho, "el pide de oro" de Simão Jatene. A história veio à tona através da operação "Efeito Dominó" que, em setembro do ano passado prendeu o tal Gama e Luizinho Drummont, notório bicheiro carioca.
Tudo sendo verdade, Gama seria para Jatene o equivalente paraense ao famoso Carlinhos Cachoeira, bicheiro de estimação de outro governador tucano, Marconi Perillo, do Estado de Goiás.
Leiam a seguir a íntegra da reportagem do Diário do Pará.

Novas equipes do Saúde da Família e lei da OS para gerir HMM. A Saúde de Marabá acaba rendendo boas notícias.

É fato que a saúde pública vive sua permanente agonia em Marabá e, de resto, em todo o País. Quem precisa de atendimento médico e depende do SUS sabe muito bem que as coisas são complicadas. Mas, em Marabá, apesar dos pesares, algumas notícias começam a oferecer um certo alento.
Vejam lá.
Novas equipes do PSF - Desde 1998 e até este mês de março, apenas três equipes do Programa Estratégia Saúde da Família funcionam em Marabá. Um óbvio absurdo quando sabe-se que a proporção defendida pelo Ministério da Saúde é de uma equipe para cada 3.500 pessoas. Obedecido o determinado pela meta,  Marabá com seus quase 300 mil habitantes deveria ter mais de 80 equipes do PSF em plena atividade. Infelizmente, os governos anteriores não conseguiram enxergar o PSF em sua real importância.
Assim, foi realmente animadora a notícia divulgada no final da semana dando conta que foram autorizados pelo Ministério da Saúde e estarão em ação a partir de abril, mais três equipes Saúde da Família para Marabá. As novas turmas vão atuar no Centro de Saúde Amadeu Vivacqua, no núcleo São Felix e contarão com três dos cinco médicos cubanos recém-chegados à cidade e vinculados ao Programa Mais Médicos.
Com as reformas de outros três postos de saúde, que serão adaptados para receber o PSF, outras 14 equipes estarão atuando em Marabá até o fim de 2014. Assim teremos em atuação na cidade 20 das 39 equipes previstas para serem implantadas até 2015. Um crescimento e tanto.
E por que isso é relevante?
Boa parte da superlotação e do atendimento precário no Hospital Municipal e no Materno Infantil de Marabá decorrem da falta de cuidados básicos que acabam por gerar patologias algumas vezes de fácil enfrentamento mas que, quando não tratadas de forma adequada, acabam se tornando doenças graves. Ou seja,  vamos no popular: prevenir é o melhor remédio. Sempre. E é isso que o PSF é capaz de fazer. Não se trata de curar quem está doente; mas de impedir que está são venha a adoecer.
OS no HMM - A outra boa notícia é que nesta terça-feira (18), deverá ser encaminhado à Câmara Municipal de Marabá projeto de lei que autoriza a contratação de uma organização social (OS) para gerir o HMM.
Confesso que nem sempre fui favorável à chamada "terceirização" da Saúde, mas diante de certos fatos fica difícil ser contrário. Consegui perceber que a crise na saúde não se prende à boa ou má gestão de recursos públicos. A questão é a forma com que o sistema foi organizado que retira a capacidade de resolução dos problemas pelos próprios gestores, por mais interessados e comprometidos que sejam com a saúde pública e universalizada.
Tome-se como exemplo a burocracia para a aquisição de bens ou serviços quando a adquirente é uma Prefeitura. A depender da natureza e valor do produto ou serviço, o processo licitatório pode demorar até 120 dias para ser concluído e nunca levará menos que 45 dias. Além disso, quase tudo no serviço público prende-se ao quesito "menor preço" que, no caso da Saúde, nem sempre é um bom critério de avaliação.
A OS passará a ter muito mais agilidade nas compras e haverá apenas que prestar contas dos gastos aos órgãos de controle e gestão. Caso seja flagrada em erro, perde o direito de explorar e nova OS poderá ser contratada. Outras vantagens existem, mas entendo que será possível discutir isso durante a tramitação da lei na Câmara de Marabá. Por enquanto, basta esta para considerar que vale à pena debater e aprovar essa lei.
 
 

Para evitar tumulto Prefeitura de Marabá antecipa entrega de senhas para o Minha Casa Minha Vida

A Secretaria de Assistência Social de Marabá, seguindo orientação do prefeito João Salame Neto, anunciou na manhã desta segunda-feira (17) que distribuirá, na tarde de hoje, todas as senhas para cadastramento do programa Minha Casa Minha Vida. Depois de algum tumulto nos primeiros dias de cadastramento, a Seasp tenta se antecipar e evitar que o empurra-empurra se repita.
Segua a nota da Ascom/PMM que anunciou a medida:
Programa Minha Casa Minha Vida
Nota Oficial
Visando garantir o melhor atendimento a todos aqueles que pretendem ser beneficiários do programa de habitação popular do Governo Federal Minha Casa Minha Vida, a Prefeitura de Marabá, através da Secretaria de Assistência Social – Seasp, informa que todas as senhas para atendimento serão distribuídas no final da tarde de hoje nos locais de cadastramento estabelecidos em cada núcleo. A medida se faz necessária para evitar tumulto nas filas e a longa espera. O calendário de atendimento está mantido.
Somente aqueles que possuírem as senhas serão atendidos no dia determinado, sendo desnecessário que permaneçam acampados em frente aos locais de cadastramento.
Os interessados devem levar original e cópia de todos os documentos exigidos.
Podem se inscrever quem tenha renda mensal bruta familiar de até R$ 1.600, seja maior de 18 anos e brasileiro - nato ou naturalizado. Também podem se cadastrar mulheres responsáveis pela unidade familiar, que morem em Marabá pelo menos há 3 anos, que não tenham sido beneficiadas por outro programa habitacional ou de regularização fundiária no município e não possuam imóvel urbano ou rural.
O cadastramento deverá ser realizado pelo responsável familiar ou o titular do cartão do Programa Bolsa Família.
Para efetivar seu cadastro o candidato deverá estar de posse das cópias e originais da carteira de identidade ou CNH, CPF, certidão de nascimento, de casamento ou averbação do divórcio, comprovante de que reside no município há mais de 3 anos, comprovante de inscrição no CadÚnico ou no Programa Bolsa Família e, no caso de pessoa portadora de necessidade especial ou de família de que faça parte pessoa com deficiência, deverá ser apresentado atestado médico que comprove a deficiência alegada.
Marabá (PA), 17 de março de 2014
Prefeitura de Marabá – Minha Cidade Meu Futuro

Viatura da PM arrasta mulher baleada no RJ. Veja vídeo.

Há tempos sabe-se que não há parâmetros que permitam analisar a violência no Rio de Janeiro. Vive-se ali um estado de guerra não-declarado. Uma espécie de cerco virtual pretende impedir que a capital do RJ como exemplo de barbárie e horror. Políticos e meios de comunicação emolduram uma cidade "maravilhosa", formada por praias frequentadas por homens e mulheres lindos, quase sempre artistas globais. Até mesmo as horrendas favelas cariocas ganham, vez por outra, um tratamento glamourizado, quase como se morar naquelas condições sub-humanas fosse uma espécie de idílio.
Ocorre que, novamente vez por outra, a falsa capa deste Rio de Janeiro feita pra turista ver e se encantar, é rasgada e a face do horror aparece em sua plenitude. É isso que mostra esse vídeo terrível. A mulher, baleada durante operação policial, é arrastada pela viatura policial que, em tese, lhe "presta socorro". São imagens fortes, mas que retratam muito bem que, ao não conseguir que a Polícia Militar carioca aja com decência, o Rio de Janeiro vai perdendo a guerra contra a criminalidade. Nem a mais terrível prática criminosa de um civil pode se comparar ao terror que um estado delinquente pode infligir aos cidadãos. Aos poucos, a sociedade fica entre o medo e o desprezo quando avalia as forças de segurança e, se isso não é bom para o Estado - em seu sentido mais abrangente, é ainda pior para a democracia.

sábado, 15 de março de 2014

Agora vai? Na próxima quinta Dilma anuncia obras de derrocamento do Pedral do Lourenção em Marabá.

A equipe de precursão da Presidência da República deve desembarcar na manhã deste domingo (16), em Marabá. O objetivo é avaliar as condições em que se dará a visita da presidente Dilma Rousseff (foto ao lado), prevista para a próxima quinta-feira (20). Aspectos que envolvem segurança e logística - hospedagem, deslocamentos, etc - serão analisados pelos assessores.
Pedral do Lourenção - Na quinta, está prevista que Dilma passe por Belém por volta das 11h para anunciar obras do PAC Mobilidade e em seguida, às 14h, chega em Marabá para entregar máquinas pesadas para prefeitos de diversas regiões do Estado e finalmente assinar a ordem de serviço para as obras de derrocamento do Pedral do Lourenção.
O derrocamento é considerado estratégico para garantir a navegabilidade permanente na chamada Hidrovia Araguaia-Tocantins. Atualmente, é possível transportar cargas apenas entre abril e agosto.
A obra, adiada diversas vezes, gera esperança, mas está cercada pela incredulidade de diversos setores da sociedade marabaense. Mesmo diante do anúncio da obra ainda haverá quem permaneça em dúvida sobre sua execução.
A desconfiança procede em parte. Desde a conclusão das eclusas da barragem de Tucuruí foi firmado o compromisso pelo então presidente Lula com a execução do derrocamento. Mas de lá para cá foram muitas as reuniões inúteis e as procrastinações por parte dos Governos Federal e Estadual. Marabá, ainda sob a desastrada gestão de Maurino Magalhães também contribuiu para que o projeto ficasse em hibernação.
Só recentemente, graças às fortes injunções de políticos próximos à presidente, como o prefeito de Marabá, João Salame Neto, e de empresários do norte e centro-oeste, principalmente aqueles ligados à produção de grãos, foi possível retomar o projeto de derrocamento.
Por tudo isso, fica claro que Dilma deverá ser recebida em Marabá com muita expectativa e um otimismo moderado.
PT x PMDB - Dilma vem ao Pará em um momento sensível de seu governo. O PMDB, maior partido a compor a base aliada à presidente, vem mostrando sintomas claros de insatisfação e exige cada vez mais espaços na máquina federal. No estado, comandado pelo senador Jader Barbalho, o PMDB vai apresentar Helder Barbalho, ex-prefeito de Ananindeua,segunda maior cidade do Pará e filho do senador - como candidato ao Governo do Estado e conta com Dilma para conter a tentativa do PT em lançar candidatura própria.
No PED, processo eleitoral interno do PT, a discussão da candidatura própria ocupou lugar central. Defendida pelo deputado federal Claudio Puty, a ideia seria concorrer afastado do PMDB no primeiro turno e assegurar que quem passar para o segundo turno receberia o apoio do partido derrotado. Na avaliação de Puty esta seria a melhor estratégia para garantir que o PSDB não leve o governo do Pará logo no primeiro escrutínio. Em novembro passado a ideia foi derrotada, mas Puty vem peregrinando pelo Estado em busca de apoio para ressuscitá-la. Dilma e Lula haverão de envolver-se na confusão e a tendência é que baixe-se o "centralismo democrático" e a turma da estrela esteja junto a Helder desde o primeiro turno.