E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Após voto-vista de João Índio, julgamento de Salame é suspenso e deverá ser retomado na terça que vem

O julgamento do prefeito de Marabá, João Salame Neto pelo TRE do Pará, foi novamente suspenso.
A corte estadual eleitoral havia suspendido a análise do processo após o voto da relatora Ezilda Pastana, seguido por outra juíza. O pedido de vista aos autos por parte do juiz João Índio, determinou a suspensão.
Havia a possibilidade que o julgamento fosse retomado na semana passada (terça ou quinta-feira, quando costumam ocorrer as sessões do TRE), mas o juiz resolveu proferir seu voto apenas hoje (29).
Em seu voto, Índio, em "juridiquês", "abriu divergência" em relação ao voto da relatora, para descaracterizar o fato imputado e inocentar João Salame. O longo voto foi seguido por um outro juiz da corte e o placar acabou empatado em 2 votos a 2.
Agora, caberá ao presidente do TRE, desembargador Leonardo de Noronha Tavares, proferir o voto-desempate, o que deve ocorrer na próxima terça-feira (5).
O processo, que dormiu por quase três anos nas gavetas do TRE, foi subitamente retomado no mês passado e seguiu com celeridade inusitada.
João é acusado de haver distribuído, nas eleições de 2010, quando concorria ao cargo de deputado estadual, combustível aos eleitores. Isso configuraria crime eleitoral.
Os autos mostram que João abasteceu cerca de 10 carros que participaram de uma carreata. A origem dos recursos e o destino do combustível foram devidamente comprovados.
Mesmo assim, a relatora Ezilda Pastana houve por bem, em seu voto, propor à Corte que condenasse João por crime eleitoral e declarasse sua inelegibilidade. Quis mais Ezilda. Pretendia que os efeitos da Lei Complementar 135/2010, conhecida como "Lei da Ficha Limpa", fossem aplicados ao caso do prefeito de Marabá.
A defesa argumenta que 1) Crime algum foi cometido, uma vez que abastecer carros para carreata é lícito, desde que a fonte dos recursos sejam legais e a atividade efetivamente tenha ocorrido; 2) Ainda que crime fosse, a renúncia de João Salame ao cargo de deputado estadual, necessária para que pudesse assumir o cargo de prefeito de Marabá, tornou sem objeto a Ação Penal Eleitoral; e 3) O STF já pontificou que a LC 135/2010 não é aplicável em casos ocorridos até as eleições de 2010, em homenagem ao princípio da "anualidade", que prevê vigência às leis que incidam sobre o processo eleitoral, desde que promulgadas um anos antes do pleito que visam regular.
Agora, é aguardar para saber qual dos dois conjuntos de teses será abraçado pelo juiz-presidente. Espera-se que os bons ventos da racionalidade ajudem a firmar convicção favorável à melhor interpretação normativa e que este processo um tanto absurdo seja encerrado.

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Julgamento de Salame é novamente adiado no TRE

O TRE, em Belém, adiou para a próxima quinta-feira (24), a retomada do julgamento do prefeito de Marabá, João Salame Neto.
No processo João é acusado de haver distribuído combustível para a realização de uma carreata nas eleições de 2010, quando concorreu ao cargo de deputado estadual.
O processo "dormiu" ao longo dos últimos anos nos escaninhos na Corte Eleitoral. Foi "despertado" recentemente.
Cogitava-se que, em caso de condenação, João perderia o mandato.
Sem ser jurista, discordo.
Para assumir o cargo de prefeito João Salame foi obrigado a renunciar ao mandato de deputado, fazendo com que este processo perdesse objeto.
Por outro lado, os efeitos da LC 135/2010 - conhecida como "Lei da Ficha Limpa" - não alcançam as eleições de 2010. Regida pelo princípio da anualidade, pelo qual leis eleitorais precisam ser promulgadas pelo menos um ano antes do pleito que pretendem regular, a LC 135, assim julgou o STF, não tem o condão de punir condutas, ainda que ilegais, cometidas durante o pleito daquele ano.
Na semana passada, após os voto da relatora, Ezilda Pastana e de mais uma juíza da Corte Eleitoral Estadual, o juiz João Índio pediu vista aos autos. Deveria apresentar seu voto hoje, mas com o adiamento deverá fazê-lo na próxima quinta-feira. Caso reflita a jurisprudência dominante no Tribunal Superior Eleitoral, o voto de Índio poderá dar novo rumo ao julgamento.

Para combater intrigas e futricas PT divulga nota de apoio a João Salame

Para brecar as intrigas e futricas, que povoam Marabá desde que o Tribunal Regional Eleitoral  resolveu desencavar um processo movido contra o prefeito João Salame, o Partido dos Trabalhadores resolveu deixar claro seu apoio a João e o compromisso da legenda com o projeto de governo eleito, de forma incontestável, no pleito do ano passado.
Tucanos de variados tamanhos tentam, há dias, desviar a discussão sobre as digitais de Simão Jatene no súbito ímpeto da Corte Eleitoral em julgar um processo que, com a renúncia de João para assumir a prefeitura de Marabá, já perdeu até mesmo seu objeto. Tentam mais. Querem comprometer a engenharia política estruturada por João desde 2011. Com habilidade, João aproximou de si partidos - e pessoas - dos mais distintos vieses para fazer frente à tarefa de reconstruir uma cidade deixada à beira do caos por aliados de Jatene que a administraram no passado recente. Dependesse da vontade da tucanada, toda esta operação estaria comprometida.
É lícito imaginar que, depois de João ter comandado a luta pela criação do Carajás, depois de haver derrotado logo a seguir o candidato de Jatene, depois de conseguir sanear as finanças públicas de Marabá sem um tostão do Governo do Estado e depois de João aproximar-se fortemente da presidente Dilma Rousseff, faltava muito pouco para fazer derramar a "mágoa" que Jatene armazena no peito. A criação do PROS e seu súbito crescimento, parecem ter deflagrado o processo e assim a sombra do governador, famoso por fazer política com o fígado, paira sobre este processo extemporâneo.
Pois bem. O PT, com sua nota, divulgada na véspera da retomada do julgamento de João, mostra que há mais unidade entre os que integram o governo de Marabá do que imagina Jatene e seus apaniguados, muitos em operação nessas barrancas. O PT agiu acertadamente e dele não se poderia esperar algo diferente.
Segue a íntegra da nota:
NOTA DE SOLIDARIEDADE DO PT AO PREFEITO DE MARABÁ

O Partido dos Trabalhadores, através da sua Executiva Municipal de Marabá, manifesta irrestrita solidariedade ao Prefeito Municipal, João Salame Neto, cujo mandato, conquistado pelo voto popular, está ameaçado de cassação por uma equivocada ação criminal eleitoral, em processo de julgamento no Tribunal Regional Eleitoral.
Na crença de que, ao final do julgamento, seja feita justiça, mantendo-se a vontade popular que o elegeu Prefeito do nosso município, reiteramos nossa solidariedade ao companheiro João Salame e o compromisso inarredável de continuar a ajudá-lo a governar Marabá com participação popular, a fim de promover as mudanças que Marabá precisa e o nosso povo tanto almeja.

Marabá, 16 de outubro de 2013.

Partido dos Trabalhadores
Executiva Municipal de Marabá


sexta-feira, 4 de outubro de 2013

No "Outubro Rosa", Marabá entra na luta contra câncer de útero e mama


A Secretaria Municipal de Saúde, de Marabá, divulgou na tarde desta sexta-feira (4), as primeiras imagens da campanha de prevenção contra o câncer de colo de útero e de mama. Na próxima semana, a SMS, através do Departamento de Atenção Básica, já começa a intensificar suas ações para alcançar o maior número possível de exames preventivos. O objetivo é fazer o "Outubro Rosa" ganhar força na cidade e envolver mulheres e homens também, na luta contra o câncer.
Uma programação diversificada está sendo planejada e deverá mobilizar diversos setores da Administração Pública e da sociedade.
A meta da SMS/Marabá é realizar 15 mil exames papanicolau e cerca de 4 mil mamografias até o final do ano.
O assunto é sério e merece a máxima atenção dos Poderes Públicos. O câncer de colo de útero é o que mais mata mulheres no norte do País. Cerca de 69 mulheres, para cada grupo de 100 mil, são atingidas todos os anos pela doença.
Quando detectado precocemente, tem tratamento e cura.
É possível vencer o câncer, desde que as mulheres - e seus parceiros - vençam o preconceito e a desinformação.

Maurino terá 15 dias para justificar gasto de mais de R$ 275 milhões em Marabá. Veja notificação


Como o blog havia anunciado aqui, a Controladoria Geral do Município de Marabá (Congem), instaurou o procedimento conhecido como Tomada de Contas Especial, contra o ex-prefeito Maurino Magalhães de Lima e outros quatro assessores diretos dele, todos responsáveis pelo gerenciamento de diversos Fundos Municipais, entre eles, os de Educação e Saúde.
As notificações de Maurino e dos demais foram publicadas no Diário Oficial do Estado e no Jornal Amazônia, desta sexta-feira (4).
A Congem espera que, no prazo de 15 dias, os notificados esclareçam, com documentos, o destino de mais R$ 275 milhões. Esse valor refere-se ao dinheiro público que foi gasto - sem prestação de contas - no último quadrimestre de 2012, pela gestão de Maurino.
A Congem, com esta medida, cumpre determinação do prefeito João Salame, que por sua vez recebeu este pedido do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).
Uma comissão especial foi criada para apurar porque não houve a prestação de contas, quais os responsáveis e qual o dano causado pela omissão, tudo de acordo com a Lei Complementar 84/2012. De posse dessas informações será possível exigir, caso tenha havido desvio ou malversação, a restituição dos valores gastos indevidamente, além dos ex-gestores terem que arcar com as consequências no âmbito da Justiça Eleitoral - gestores pilhados em atos de improbidade têm os direitos políticos cassados e ficam inelegíveis por períodos que vão de quatro a oito anos.
Apenas o gestor de um fundo deixou de prestar contas de valores superiores a R$ 130 milhões. O ex-prefeito responde solidariamente com o seu subordinado por esta - e por todas as demais - irregularidades que venham a ser apuradas.
Caso não preste as contas exigidas, Maurino e o grupo serão considerados reveis e terão que se entender com os auditores e conselheiros do TCM.  

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Começou o Outubro Rosa. Tempo de combater o câncer e a desinformação.


Outubro é marcado como o mês da criança; no Pará, é o mês do Círio de Nazaré, mas, no mundo inteiro é, também, o Mês Rosa. Tempo de forçar a mão no sentido de conscientizar a todos para a importância de prevenir e detectar precocemente o câncer, em especial, o de mama.
O mês é dedicado a campanhas que levem as mulheres ao auto-exame e que procurem os serviços de saúde em busca de aconselhamento, orientação e tratamento.
Mulheres entre 40 e 49 anos devem fazer anualmente o exame clínico das mamas, com profissional de saúde capacitado (médico ou enfermeiro) nas Unidades Básicas de Saúde. Caso seja identificada alguma alteração suspeita, o profissional pedirá uma mamografia para confirmação diagnóstica. Já entre os 50 e os 69 anos é recomendada a realização de mamografias de rastreamento, a cada dois anos. Mulheres com risco aumentado de desenvolver câncer de mama (as que têm mãe ou irmã com câncer de mama antes dos 50 anos; história familiar de câncer de mama bilateral, câncer de ovário ou câncer de mama masculino) devem iniciar o acompanhamento aos 35 anos.
O câncer da mama é o que mais atinge as mulheres em todo o mundo. Em 2013, estima-se que, no Brasil, 52.680 casos novos da doença sejam notificados, com risco estimado de 52 casos a cada 100 mil mulheres. Em quase todas as regiões brasileiras, é o tipo mais comum entre as mulheres, sem considerar os tumores da pele não melanoma: Sudeste (69/100 mil), Sul (65/100 mil), Centro-Oeste (48/100 mil) e Nordeste (32/100 mil). Na Região Norte, é o segundo tumor mais incidente (19/100 mil), ficando atrás do câncer do colo do útero (23/100 mil).
E é justamente este último número que mais preocupa as autoridades da Saúde Pública na região.
Aqui no Norte do País, é o câncer de colo de útero o que mais vitima as mulheres.
Atenta a isso a Secretaria Municipal de Saúde, de Marabá, pretende aproveitar o Outubro Rosa para combater os dois tipos de câncer. Uma campanha de conscientização, que pretende envolver homens e mulheres, deverá ser desenvolvida pelo Departamento de Atenção Básica, da Secretaria de Saúde e algumas ações de marketing estão sendo pensadas para incentivar as mulheres a procurarem os serviços médicos.
A meta estabelecida pelo Ministério da Saúde, para Marabá este ano, é de 15 mil exames papanicolau. Foram feitos cerca de 7 mil desses exames nos primeiros nove meses. Portanto, será preciso um grande esforço para, nos três meses que restam de 2014, realizar mais 8 mil procedimentos.
Causado pelo HPV, o câncer de colo de útero, caso seja detectado precocemente, é combatido com sucesso através de medicamentos e, em certos casos, intervenções cirúrgicas.
O exame, conhecido como papanicolau, é recomendado para mulheres com vida sexual ativa e deve ser feito anualmente.
Homens também podem ser vítimas do HPV e acabam desenvolvendo câncer no pênis.
Além dos exames preventivos, medidas básicas de higiene ajudam a impedir a contaminação pelo HPV. O exame preventivo e o tratamento, quando o caso exigir, são gratuitos.
Apenas a desinformação e o preconceito justificam, portanto, a baixa procura desses serviços por parte das mulheres na região. Isso precisa acabar. Todos precisamos incentivar mulheres, namoradas, irmãs, as mulheres em geral, que exerçam o seu direito básico à vida. E o homem que tiver coragem, que se vista de rosa e ajude a transformar o Outubro Rosa no mês de cuidar, ainda mais, das mulheres da sua vida. Lembrando sempre que carinho e atenção não têm contra indicação.

E a Rede furou... MP Eleitoral é contra registro do partido de Marina

Tudo leva a crer que a Rede furou.
O partido que Marina Silva - aquela que vive da política, mas adora falar mal da política - pretendia fundar sofreu mais um revés nesta terça-feira (1º).
O vice-procurador eleitoral Eugênio Aragão, encaminhou, hoje, ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), parecer no qual manifesta-se contra o registro do Rede Sustentabilidade. Ainda esta semana a Corte Eleitoral deve julgar o feito. A decisão deve sair antes do dia 5 de outubro, data limite para que um partido obtenha o registro e possa disputar as eleições de 14.
O representante do MP Eleitoral confirmou o que todos já sabiam. A tal Rede não obteve número mínimo de 492 mil assinaturas necessárias para obtenção do registro. Foram validadas 442.500 assinaturas. “No caso em apreço, constata-se que o ora requerente não obteve o número mínimo necessário de apoiamentos”, disse Aragão.
Como Marina - tal qual a torcida do Botafogo - adora um chororô, vive a reclamar que os cartórios eleitorais teriam anulado assinaturas sem justificativa, Aragão disse que o dever de comprovar a veracidade das assinaturas é do partido. “Não seria razoável cobrar dos cartórios eleitorais discriminação individualizada sobre o porquê de cada uma dessas 98 mil assinaturas não terem sido reconhecidas e contabilizadas. Provar a autenticidade das assinaturas é ônus do partido e não dos cartórios”, disse Aragão.
Ontem (30), a ministra Laurita Vaz, do TSE, concedeu prazo de 24 horas para que o MPE se manifestasse. Na segunda-feira (26), Laurita Vaz determinou a recontagem das assinaturas entregues pela legenda. Ela atendeu ao pedido do vice-procurador eleitoral Eugênio Aragão. Na sexta-feira (20), em parecer enviado ao TSE, Aragão disse que a legenda de Marina Silva validou na Justiça Eleitoral 102 mil assinaturas de apoiadores em todo o país.
Para obter registro, o partido precisa validar 0,5% dos votos registrados na última eleição para a Câmara dos Deputados. Segundo Marina Silva, o partido coletou 868 mil assinaturas e tem 550 mil validadas, número superior ao mínimo solicitado pela lei eleitoral.
Caso não consiga registrar a Rede, será quase impossível para Marina disputar a Presidência por outra legenda.
Com a candidatura meio ébria de Aécio e sem Marina no jogo, sobrará para Eduardo Campos (PSB), a tarefa de confrontar Dilma - ou quem sabe, Lula - nas eleições de 14. 
São boas notícias para a "presidenta". Depois da corrosão sofrida no primeiro semestre, Dilma começa a ver sua popularidade iniciar uma - ainda - tímida recuperação. Caso o viés de alta se mantenha, é possível que a profecia do marqueteiro João Santana acabe se concretizando e a presidente chegue em dezembro com a popularidade em um patamar próximo ao que ostentava até abril-maio deste ano.

Ministro João Otávio de Noronha toma posse como titular do TSE nesta terça-feira (1º)

O ministro João Otávio de Noronha toma posse nesta terça-feira (1º), como membro titular do Tribunal, na vaga deixada pelo ministro Castro Meira, que se aposentou compulsoriamente no dia 19 de setembro. A solenidade de posse contará com a presença da presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Cármen Lúcia, acontece no Plenário da Corte, a partir das 19h.
João Otávio de Noronha, membro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), tomou posse no TSE como ministro substituto no dia 14 de maio deste ano.
Mineiro de Três Corações, João Otávio tem 57 anos e é ministro do STJ desde 3 de dezembro de 2002. Formou-se em Direito pela Faculdade de Direito do Sul de Minas, em Pouso Alegre, em 1981, e se especializou, na mesma faculdade, em Direito do Trabalho, Direito Processual do Trabalho e Direito Processual Civil.
No STJ, João Otávio foi membro da 2ª Turma e da 1ª Seção, presidente da 2ª e 4ª Turmas, além de exercer o cargo de corregedor-geral da Justiça Federal, de 2011 a março de 2013. Também foi conselheiro federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).
De acordo com a Constituição Federal, o TSE é composto, no mínimo, por sete ministros. São três ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), dois do STJ e mais dois escolhidos e nomeados pelo presidente da República entre seis advogados indicados pelo Supremo. O TSE elege seu presidente e vice entre os ministros do STF e o corregedor-geral da Justiça Eleitoral entre os ministros do STJ. (Com informações da Assessoria de Comunicação do TSE)

Ministro da Integração Nacional, pelo Twitter, anuncia saída do Governo

A Agência Brasil anunciou instantes atrás que Fernando Bezerra, após se reunir com a presidente Dilma Rousseff, confirmou hoje (1º) sua saída do Ministério da Integração Nacional. Em sua conta no Twitter, ele informou que teve uma conversa agradável com a presidente e agradeceu a oportunidade de servir o país como ministro. “Aguardo um comunicado da presidente Dilma para transmissão de cargo entre hoje e amanhã", acrescentou.
A Presidência da República ainda não confirmou a saída de Bezerra do cargo em que estava desde o início do mandato de Dilma, em janeiro de 2011. O Ministério da Integração Nacional é responsável por obras de convivência com a seca e de infraestrutura hídrica, formulação e condução da política nacional de irrigação, obras públicas em faixas de fronteiras, defesa civil, entre outras.
No dia 19 de setembro, Bezerra apresentou pedido de demissão após seu partido, o PSB, decidir entregar os cargos que ocupa no governo. A presidenta pediu para que ele aguardasse seu retorno de Nova York, na semana passada, onde participou da Assembleia Geral das Nações Unidas.

Vila de Itupiranga recebe Justiça Itinerante

Por iniciativa do juiz Alexandre Hiroshi Arakaki, titular da Comarca de Itupiranga, a Vila Cajazeiras distante cerca de 25 quilômetros da sede da comarca, recebeu o Projeto Justiça Itinerante.
Com cerca de 10 mil moradores a vila, pode, enfim, ter acesso ao atendimento pelo Poder Judiciário. A ação, que recebeu suporte da coordenadora dos Juizados Especiais, desembargadora Diracy Nunes Alves, com total apoio por parte da desembargadora Luzia Nadja Guimarães do Nascimento, presidente do Tribunal de Justiça do Pará. 
A ação começou na sexta-feira (27) e encerrou no domingo (29). Já no primeiro dia o juiz Alexandre Arakaki realizou 25 audiências em processos que tramitam na Comarca de Itupiranga, cujas partes residem na Vila Cajazeiras, ministrou palestras e deu orientações gerais à comunidade sobre diversos temas. 
Além de realizar audiências de conciliação entre credores e devedores, o trabalho do Juizado Móvel teve caráter educativo, prestando esclarecimentos sobre atribuições institucionais do Poder Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública, Advocacia, Polícia Militar e Polícia Civil. Segundo o juiz Arakaki, a iniciativa também tem o objetivo de “complementar a educação formal dos estudantes, com incentivo à pesquisa e ao estudo de matérias jurídicas, direcionando o futuro profissional dos envolvidos”. Além disso, serve para “amenizar críticas infundadas sobre o andamento de processos e para aproximar a população do fórum para que possam exigir eficiência com responsabilidade”, garante.
Os recursos humanos do projeto são do próprio quadro de servidores da Comarca de Itupiranga, assim como todo o material de informática, de expediente e mobiliário. A unidade volante (ônibus) foi a mesma que esteve na Feira Agropecuária de Parauapebas, no início do mês de setembro, e que já tem atividades programadas na região sul e sudeste do Estado do Pará, em eventos em Canaã dos Carajás e outras Comarcas.
O trabalho da unidade móvel teve apoio do promotor de Justiça que atua na Comarca de Itupiranga, da Defensoria Pública, de advogados, das Polícias Civil e Militar, além de contar com a parceria da Prefeitura Municipal de Itupiranga. (Com informações e imagem da Coordenadoria de Imprensa do TJPA)

Eike confirma calote de US$ 45 milhões.

O que o mercado previa, acabou acontecendo mesmo. O ex-magnata brasileiro Eike Batista optou por dar o calote. A OGX Petróleo (OGXP3), de propriedade de Eike, informou nesta terça-feira (1º) que optou pelo não pagamento das parcelas referentes aos juros que remuneram, no valor aproximado de US$ 45 milhões, as chamadas Seniores Notes emitidas pela OGX Austria GmbH (OGX Austria), controlada pela companhia. Os títulos vencem hoje. 
A empresa contratou como assessores o banco de investimentos Lazard e o Blackstone para coordenar as discussões com os diversos interessados envolvidos no processo, dentre eles os detentores das Seniores Notes emitidas pela OGX Austria. As Seniores Notes são papéis negociados com prioridade para pagamento em caso de insolvência.
A OGX informou ainda que, pelas cláusulas que regem esta emissão, possui 30 dias para adotar as medidas necessárias sem que seja caracterizado o vencimento antecipado da dívida.

"A Cúria é a lepra do papado", diz Francisco. Papa reúne Conselho para reformar a Igreja.

O papa Francisco criticou duramente os integrantes da Cúria Romana e qualificou a alta cúpula do clero como "a lepra do papado". A admoestação do santo papa está na entrevista publicada nesta terça-feira (1º), pelo jornal italiano "La Repubblica". Leia aqui a entrevista.
Hoje, também, o pontífice deu início à reunião do Conselho dos Cardeais no Vaticano. O objetivo é apresentar um projeto para reformar a Cúria, naquela que pode ser a maior reestruturação da Igreja em mais de 40 anos.
Na entrevista, Francisco chamou a Cúria de "muito vaticano-cêntrica" e que os príncipes da Igreja Católica "geralmente têm sido narcisistas, amantes da adulação e excitados de forma negativa por seus cortesãos".
"A corte é a lepra do papado", disse, antes de emendar que, apesar de a Cúria, órgão responsável pela administração da Igreja) não ser propriamente uma corte, existem "cortesãos".
A reunião do Conselho de Cardeais teve início com missa na Casa de Santa Marta. Na cerimônia, Francisco desejou que a reunião torne todos "mais humildes, mais pacientes, mais confiantes em Deus, pora a Igreja possa dar um belo testemunho às pessoas e vendo o povo de Deus, vendo a Igreja, sintam a vontade de vir conosco".
Francisco explicou que a vida do cristão precisa ser estabelecida na humildade e a força do Evangelho está nisso, "porque o Evangelho chega ao ponto mais alto na humilhação de Jesus, humildade que se torna humilhação".
"A força do Evangelho está na humildade, humildade da criança que se deixa guiar pelo amor e pela ternura do pai", continuou o papa.
"Bento 16 nos dizia que a Igreja não cresce por proselitismo, cresce por atenção, por testemunho", afirmou ele. "Quando os povos veem este testemunho de humildade, de ternura, sentem a necessidade que fala o profeta Zacarias: 'Queremos ir com vós'. As pessoas sentem a necessidade diante do testemunho da caridade, desta caridade humilde, sem prepotência, que é moldada para servir", disse o pontífice.

João Salame deixa PPS e assume direção do PROS no Pará. "Vamos trabalhar para ganhar o Governo do Pará", afirma.

Aconteceu na tarde-noite desta segunda-feira (30), o ato de instalação do Diretório Regional do Partido Republicano da Ordem Social (PROS), no Pará. Em convenção realizada na sede da Tuna Luso Brasileira, em Belém, o prefeito João Salame Neto (ex-PPS), assumiu a presidência estadual da legenda.
Com Salame, ingressam no recém fundado partido, alguns nomes bem conhecidos da política paraense. A nova legenda já deverá apresentar chapa completa nas próximas eleições gerais, marcadas para outubro de 14.
Salame há tempos cogitava deixar o PPS. Depois de ser uma das principais lideranças da legenda - pela qual elegeu-se deputado estadual e prefeito de Marabá - sentia-se desconfortável em função do alinhamento da sigla com o governo de Simão Jatene.
Desde a disputa do Plebiscito de 2011, quando Salame, defensor do Estado do Carajás, enfrentou Jatene, a relação só fez piorar. Durante as eleições municipais, Jatene deu integral apoio ao principal opositor de Salame, o deputado estadual Tião Miranda. A vitória com folgas de Salame reforçou sua imagem de líder estadual e acabou por aproximá-lo de Helder Barbalho, do PT e de outros partidos que fazem oposição ao tucanato paraense.
Para governar, Salame formou em Marabá uma frente ampla e vem tentando, com o apoio do Governo Federal e de alguns parlamentares, recuperar as finanças do município e iniciar obras estruturantes. Seu índice de aceitação está acima dos 70%, o que o torna decisivo na disputa eleitoral que se aproxima.
Acompanhado pela primeira dama Bia Cardoso e de Beto Salame, secretário de Planejamento, João Salame assumiu a presidência do PROS com a tarefa de torná-lo competitivo já em 14, uma tarefa extra na atribulada agenda que mantém desde a posse como prefeito de Marabá, em janeiro deste ano.
João parece cada vez mais acostumado aos grandes desafios. Ele se diz "feliz e animado" com a missão que tem pela frente e quando perguntado se é possível ganhar o Governo do Pará, não hesita: "Vamos trabalhar muito para isso". Resposta típica de alguém que não sente a pressão e que já tem traçada a linha estratégica a seguir.
Salame, agora, deve seguir de Belém para Brasília e retorna para Marabá nesta quarta-feira.

Políticos e movimentos sociais planejam ato em favor de hidrovia e Alpa na região do Carajás

Reunião encerrada agora há pouco na Câmara Municipal de Marabá deliberou por um dia de manifestações em diversos municípios da região do Carajás. A movimentação deverá ocorrer em 21 de outubro, uma segunda-feira.
A presidente do Poder Legislativo de Marabá, vereadora Júlia Rosa (PDT), coordenou a mesa formada pelo deputado federal Giovanni Queiroz, pelos deputados estaduais Tião Miranda (PTB) e Bernadete ten Catten (PT), além do secretário de Indústria, Comércio, Mineração, Ciência e Tecnolocia de Marabá, Ítalo Ipojucan e do presidente da Associação Comercial e Industrial de Marabá (ACIM), Gilberto Leite. Os prefeitos presentes ao evento foram representados na mesa por Pedro Paraná.
João Salame, em Belém - onde assumiu a presidência estadual do Partido Republicano da Ordem Social (PROS), apoia o movimento.
Uma comissão havia realizado diversas reuniões preparatórias com o objetivo de elaborar uma extensa pauta de reivindicações que serão apresentadas a Vale, ao Governo Federal e ao Governo do Pará.
Questões como a desistência da Vale nos processos movidos contra lideranças sociais de Marabá, a criação de uma política minerária estadual, a verticalização da produção mineral, além da construção da hidrovia Araguaia-Tocantins e da implantação da Alpa, em Marabá, são alguns dos itens pleiteados pelo movimento que apresenta-se como apartidário.
Lideranças sindicais e comunitárias participaram do encontro e garantiram apoio ao movimento.
Na verdade, depois de meses de negociações visando garantir a derrocagem do Pedral do Lourenção, que viabilizará a hidrovia, os líderes regionais começam a perder a paciência com os Governos Federal e Estadual e com a Vale.
A lerdeza do trio vem trazendo enormes prejuízos para o Pará como um todo e, em especial, para a região do Carajás, fortemente impactada pelos grandes projetos que estavam projetados para os três últimos anos e que não saíram do papel.
Para completar, até mesmo o que vinha funcionando, parou. O Polo Guseiro de Marabá foi desativado. A Vale alegou a falta de carvão certificado para sustentar as operações das fornalhas e as indústrias, que empregavam quase 7 mil trabalhadores foram fechadas.
A mineradora está tratando de transferir à Votorantin a área na qual funcionava a Ferro Gusa Carajás, subsidiária da Vale. Com isso, a mineradora demonstra não ter qualquer interesse na retomada das operações com gusa na região. Por outro lado, alegando a falta da hidrovia e a demora na cessão de um lote pertencente ao Governo do Pará, a Vale parou as obras da Alpa e concentra-se em duplicar a sua estrada de ferro. Com a duplicação, estima-se que o minério de ferro existente na província mineral de Carajás poderia ser todo extraído e transportado em menos de 50 anos.
A falta de uma política mineral no Estado do Pará também é um sério entrave. Como qualquer leitor do blog sabe, mantive posição contrária à cobrança da tal "taxa da mineração", um absurdo inventado por Jatene que tornou o Pará um local ainda mais hostil aos negócios. Agora, o Diário do Pará deste domingo (29), informou que não se sabe exatamente onde foram parar os milhões arrecadados através da tal "taxa". Um escândalo que pode tomar proporções enormes.
De toda sorte, protestar é preciso e na próxima segunda-feira (7), nova reunião deverá discutir os encaminhamentos para viabilizar a manifestação. Há quem sugira protestos em todos os municípios da região do Carajás e uma grande paralisação em Marabá. Considerando os ânimos dos presentes à reunião, a radicalização não está descartada.