E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

segunda-feira, 11 de março de 2013

Marcos Feliciano vai processar Xuxa. "Monstro", disse a artista sobre o pastor.

N'O Globo, hoje (11):
O deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) afirmou na noite de domingo em seu perfil no Twitter que vai processar a apresentadora Xuxa Meneghel, que usou o Facebook para se manifestar contra a eleição do pastor para a presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara.
“E sobre o que disse Xuxa, minha assessoria jurídica prepara o processo. Durmam em paz”, disse o pastor no microblog.
Na sexta-feira, a apresentadora disse no Facebook: “Todos os religiosos sabem que eu respeito todas as religiões, mas esse homem não é um religioso, é um monstro. Em nome de Deus, ele não pode ter esse poder”. E concluiu: “essa pessoa não pode ser presidente da comissão de direitos humanos. Ele não pode ter esse espaço para usar, pisar e denegrir o ser humano”.
Ainda no Twitter, o pastor disse que está com um dossiê para entregar à Polícia Federal, com dezenas de páginas impressas com ameaças de morte contra ele.
“Boletim de ocorrência feito. Tomarei as devidas providências. Eu sempre denunciei e agora ai esta a confirmação. Perseguição Religiosa!”, escreveu no Twitter.
O pastor retuitou a mensagem do internauta Júnior Souza, que disse ter conversando com Feliciano por telefone.

“Acabei de falar com o mano @marcofeliciano nunca o vi assim. Voz pesada preocupado chorando ao falar da pressão que sua família passou”.
Feliciano também aproveitou para retuitar outra mensagem em seu favor, a do pastor Silas Malafaia, que prometeu sair em defesa do parlamentar.
“Não perca o programa Vitória em Cristo do próximo sábado. Falarei sobre o que está por trás da campanha contra o pastor Marcos Feliciano”, escreveu Silas Malafaia, que já havia defendido Feliciano em entrevista ao Globo.
Alvo de manifestações em pelo menos sete cidades no último sábado por causa da sua eleição para a presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Feliciano quer unir evangélicos e católicos num ato de desagravo a ele. Pelas rede sociais, o parlamentar, pastor e fundador da Tempo de Avivamento, convocou líderes religiosos para discutir, nesta segunda-feira (11) à noite, o futuro das igrejas diante do que chama da “batalha contra a família brasileira”.