E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

segunda-feira, 4 de março de 2013

Jurandy e a "panelinha tucana" no Pará.


Depois que um órgão de imprensa nacional resolveu fazer as contas, descobriu que no governo tucano do Pará, de Simão Jatene, pode faltar dinheiro para quase tudo, menos para sustentar a "família" do governador. São mais de 15 parentes e aderentes que sugam o "leitinho" da Viúva. Em alguns casos o salário dos integrantes da "panelinha tucana" ultrapassa R$ 15 mil. Os "jatene" estão espalhados pelo Governo do Estado e, com a vitória de Zenaldo, passaram a "comer" também na Prefeitura de Belém. Somados os salários, a conta passa de R$ 100 mil por mês.
Aguarda-se que o sempre tão vigilante Ministério Público paraense se manifeste.
Enquanto isso, a quase sempre bem humorada Ana Célia Pinheiro, que edita o delicioso Perereca da Vizinha, lembrou de um brega que retrata bem o "negócio de família" em que transformaram o Governo do Pará e a Prefeitura de Belém.
Curtam aí o "Panelinha", do impagável Jurandy.