E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Escândalo da carne de cavalo na Europa atinge a Nestlé e o JBS

Segundo divulgou o Estadão em seu site, o escândalo da fraude no comércio de carne na Europa acertou em cheio o grupo brasileiro JBS-Friboi. A Nestlé revelou nesta segunda-feira (18), que realizou testes em alguns de seus produtos e constatou que eles continham carne de cavalo, e não de vaca, como suas embalagens apresentavam. A carne era fornecida pela JBS, que havia comprado o produto de outra empresa na Alemanha antes de repassar para a Nestlé.
A JBS é a maior empresa em processamento de proteína animal do mundo, atuando nas áreas de alimentos, couro e biodiesel. A companhia está presente em todos os continentes, com plataformas de produção e escritórios no Brasil, Argentina, Itália, Austrália, EUA, Uruguai, Paraguai, México, China, Rússia, entre outros países.
Começando em Anápolis (GO), na década de 50 do século passado, a JBS cresceu de forma exponencial nos últimos 20 anos e tornou-se um dos maiores players em um segmento dos mais competitivos. Com acesso a 100% dos mercados consumidores, a JBS possui 140 unidades de produção no mundo e mais de 120 mil empregados. 
O escândalo foi primeiro revelado na Inglaterra, há pouco mais de duas semanas, indicando a presença de carne de cavalo em produtos que se apresentavam como sendo carne de vaca, até mesmo em grandes redes de fast-food, como a Burger King e ameaça fazer grandes estragos. Este é o segundo caso grave envolvendo carne brasileira em menos de um ano. Recentemente, testes comprovaram a ocorrência de um caso da doença da vaca louca no Brasil e alguns dos países compradores de carne bovina ameaçaram suspender as aquisições do produto brasileiro. A polêmica, em poucos dias, se espalhou por vários países europeus, escancarando falhas no sistema de controle sanitário da União Europeia (UE) e uma cadeia de produção envolvendo intermediários, produtos e empresas que, no final da linha, nem ao menos sabem a origem do que estão vendendo. Mas se até agora o escândalo envolvia empresas de porte médio, a nova revelação demonstra que a fraude está instalada no setor de carnes da Europa e respinga nas maiores empresas do setor.
A Nestlé, a maior empresa de alimentos do mundo, confirmou que, depois de realizar exames com seus produtos, constatou que também teria sido vítima da fraude. A informação foi revelada uma semana depois que a própria Nestlé emitiu um outro comunicado garantindo que seus produtos não haviam sido afetados pelo escândalo europeu.
Segundo um comunicado da companhia com sede na Suíça, o fornecedor seria a empresa alemã H.J. Schypke, que fornece a carne à JBS Toledo N.V., uma subsidiária do grupo brasileiro na Europa. Já a JBS usaria carne da empresa alemã para repassá-la para a Nestlé. O JBS, em seu site, informa que fornece "a carne processada de mais alta qualidade, sem concessões". O JBS comprou a Toledo em 2010, por 11 milhões. Com sede em Gent, na Bélgica, a Toledo é especializada em produtos processados de carne bovina. Procurado no Brasil, o JBS não se pronunciou sobre o assunto até o momento.