E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Produção industrial: Goiás cresce mais de 10% e Pará encolhe quase 6% em um ano. Dá-lhe, Jatene!

A produção industrial avançou em nove das 14 regiões pesquisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em agosto. Segundo dados divulgados nesta terça-feira (9), Goiás liderou o crescimento com alta de 10,3%. No extremo oposto, está o Pará com desempenho vergonhoso. Desde que o tucano Simão Jatene assumiu o governo do Pará, em apenas três ocasiões o estado apresentou crescimento relevante. Uma política equivocada que pune ao invés de atrair investidores e a ausência de investimentos em infraestrutura, especialmente na malha viária e em segurança pública, são alguns dos motivos que estão fazendo o "Parazão" de Jatene tornar-se cada vez mais um "parazinho". Veja outros números.
Amazonas (7,6%), Rio Grande do Sul (4,8%), Minas Gerais (3,3%), Paraná (3,0%) e São Paulo (2,7%) registraram alta acima da média nacional (1,5%). Rio de Janeiro (0,6%), Santa Catarina (0,5%) e Bahia (0,1%) completaram o conjunto de locais com taxas positivas.
Já Espírito Santo (-2,4%), Ceará (-1,5%), Pará (-0,7%) e Pernambuco (-0,7%) tiveram decréscimo. A região Nordeste (0,0%) repetiu o patamar do mês anterior, após dois meses seguidos de expansão na produção, afirmou o IBGE em nota.
Na comparação com agosto de 2011, o movimento foi oposto: houve queda na produção em nove dos 14 locais pesquisados. Paraná (-10,8%) e Espírito Santo (-7,5%) registraram as perdas mais intensas. A indústria paranaense sentiu a pressão do recuo na produção de livros e de caminhões, enquanto o parque industrial capixaba apresentou queda nos setores de metalurgia básica e extrativo.
Houve ainda redução na produção do Pará (-5,7%), Rio de Janeiro (-5,6%), de São Paulo (-4,6%), do Amazonas (-4,6%), Ceará (-2,2%), de Santa Catarina (-2,2%) e do Rio Grande do Sul (-1,5%). Minas Gerais (4,6%), Goiás (3,7%), Bahia (3,4%), região Nordeste (1,7%) e Pernambuco (1,5%) foram as regiões que tiveram avanço em relação ao mesmo mês de 2011. No período, a média da produção da indústria nacional foi de -2,0%.