E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

terça-feira, 16 de outubro de 2012

PDT apoia Edmilson. PSC vai com Zenaldo. PMDB, PPS e PTB ainda não decidiram.

Mais dois partidos anunciaram os rumos que seguirão no segundo turno das eleições à prefeitura de Belém. O PDT vai apoiar Edmilson Rodrigues (PSol) e o PSC declarou apoio a Zenaldo Coutinho (PSDB). O PV deve anunciar ainda hoje apoio a Zenaldo Coutinho. As lideranças do partido se reuniram com o candidato na noite de ontem e chegaram a marcar para às 20h encontro aberto para oficializar a decisão, mas ainda faltava conversar com lideranças como o deputado estadual Gabriel Guerreiro e o anúncio foi adiado. No primeiro turno, o PV estava coligado com o PPS de Arnaldo Jordy. O sindicalista verde, José Francisco foi o vice na chapa de Jordy. Ainda há negociações com o PPS e PMDB, além do PTB do prefeito de Belém, Duciomar Costa. Os anúncios de novos apoios são esperados ainda esta semana. O PDT surpreendeu até mesmo o candidato Edmilson Rodrigues que não esperava uma declaração de apoio da legenda no Pará. Em telefonema na tarde de ontem, representantes do diretório estadual e municipal anunciaram a posição de seguir com o PSol. O principal defensor do apoio a Edmilson dentro do PDT foi o senador Cristovam Buarque, uma das principias lideranças nacionais da legenda. Assim como o candidato do PSol, Cristovam já foi do PT.
Aos colegas de partido, o senador informou que gostaria de gravar mensagem defendendo voto no psolista, mas que esperava fazer isso com aval de todo o partido. “Nossa escolha se deu em razão da afinidade de programas na área da educação”, declarou o presidente do diretório estadual do PDT, Giovanni Queiroz.
Nos próximos dias, o programa de Edmilson deve exibir o vídeo de Cristovam.
O PPS, do deputado federal Arnaldo Jordy, só deve anunciar quem vai apoiar a partir da próxima quarta-feira. Jordy já conversou com Edmilson e deve se reunir nas próximas horas com Zenaldo. O PPS é o partido do vice-governador Helenilson Pontes e comanda uma secretaria importante, a de Saúde, ocupada por Hélio Franco.
“O que vai pesar na nossa decisão é a incorporação de pontos do nosso programa e a possibilidade de conversar em relação ao futuro político”, disse. Segundo Jordy, o fato de ocupar secretaria no governo de Simão Jatene, principal cabo eleitoral de Zenaldo, não será decisivo em favor do candidato tucano.
“Não houve nenhuma pré-condição de participar do governo do Estado em razão de apoio em eleições municipais. Em alguns municípios, o PPS teve candidatos próprios e houve casos em que até derrotou o candidato do partido do governador. Não há essa condicionalidade”, repeitu.
Outra decisão aguardada é a do PMDB, do deputado federal José Priante, quarto colocado no primeiro turno. Ontem, a reportagem não conseguiu falar com Priante, mas o líder do partido na Assembleia Legislativa, deputado estadual Parsifal Pontes confirmou que ainda não há posição tomada. Segundo ele, não está descartada a hipótese de o PMDB se manter neutro. Os líderes do PTB não foram encontrados para comentar o assunto.