E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Empresa explica origem de dinheiro apreendido no aeroporto de Parauapebas ou Não é o que parece...

Como quase todos sabem, o dia foi especialmente agitado em Parauapebas. Vamos aos fatos.
Na manhã de hoje (2) a Justiça Eleitoral apreendeu uma grande quantia em dinheiro no aeroporto de Parauapebas. Acondicionadas em mochilas, as cédulas estavam em um monomotor que vinha de Belém. Três pessoas foram detidas e o dinheiro apreendido, no valor de um milhão e trezentos mil reais, foi conferido e depositado em juízo.
Os valores pertencem à empresa White Tratores, que recebeu a quantia referente à serviços prestados para a ETEC, empresa que atua em Canaã dos Carajás. Atuando na área de locação de máquinas pesadas, a White solicitou que o pagamento da Nota Fiscal nº 1600, fosse feito em espécie.
Estes são os fatos. Vamos agora à exploração eleitoral dos fatos.

Imediatamente, e sem aguardar qualquer apuração ou confirmação, a "Central Parauapebense de Boatos" entrou em ação:
O dinheiro era do PT, para "comprar" votos nas eleições de domingo para favorecer Coutinho, candidato petista.
Chegaram a anunciar que Darci Lermen, atual prefeito, e Coutinho estavam sendo procurados pela polícia e seriam presos.
As "notícias" veiculadas em jornais como O Globo e O Liberal se transformaram em armas eleitorais valiosas nas redes sociais da web e nas ruas de Parauapebas. O espalhafato da operação policial e informações atribuídas a autoridades locais pioraram a cena.
Agora, o bate-boca virtual pode degenerar para conflitos reais.
O desmentido não parece ter arrefecido o ânimo da oposição. E como a candidatura petista deve ir à luta, é previsível que choques aconteçam, tornando ainda mais tenso o processo eleitoral na cidade.
O óbvio dano à candidatura de Coutinho, infelizmente, pode ser impossível de ser reparado.
Neste momento Coutinho faz comício em Parauapebas para começar o contra-ataque e tentar conter a sangria. Mas, acho que dificilmente a explicação terá sequer a metade da repercussão do boato. Um complicador e tanto para Coutinho.
Atrás nas pesquisas, Coutinho tem pouco tempo para reparar os danos sofridos e tirar de Valmir da Integral cerca de 7% das intenções de votos.
De toda sorte, as eleições em Parauapebas testarão os nervos de todos os envolvidos. Vale acompanhar com atenção.