E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Em SP, Haddad critica gestão de Kassab e Serra diz que com petista no MEC "educação afundou"

Os candidatos do PSDB e PT à prefeitura de São Paulo, José Serra e Fernando Haddad, mantiveram o discurso crítico e trocaram acusações durante o horário eleitoral veiculado na televisão na tarde desta terça-feira. Enquanto o tucano focou suas críticas à gestão do petista no ministério da Educação, Haddad atacou a atual gestão de Gilberto Kassab (PSD), aliado de Serra, e tentou colar a imagem de partido elitista ao PSDB.Assim como feito ontem, a campanha do petista trouxe o depoimento de um eleitor ouvido nas ruas afirmando que o PSDB privilegia os ricos em detrimento de políticas públicas para a população pobre.
Haddad focou também suas críticas à gestão de Kassab para a área da saúde na cidade, e mostrou a dificuldade que alguns pacientes enfrentariam para serem atendidos no serviço público de saúde. De acordo com a propaganda do petista, a "saúde só anda bem na propaganda deles (Serra e Kassab)".
Além disso, o candidato do PT mostrou também um pouco de sua trajetória política, o apoio que possui de intelectuais e artistas e suas propostas, principalmente para a área da saúde, com a chamada "Rede Hora Certa", que pretende integrar e informatizar o atendimento dos pacientes na capital paulista.
No final, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estreou no segundo turno na TV e deixou uma mensagem pedindo votos a seu afilhado político.
Já José Serra teve tom mais crítico em seu programa, e começou atacando o petista por diversos fatores, como a aliança com o PP, do deputado federal Paulo Maluf (SP), e principalmente o julgamento do mensalão, que envolve nomes de importância do partido de Haddad, como José Dirceu, a quem Serra acusa de ser "guru" do ex-ministro da Educação.
O tucano apresentou números que demonstram a queda do Brasil em rankings mundiais de classificação da qualidade da educação durante a gestão de Haddad no ministério da Educação, e afirmou que a educação no País "afundou" com o candidato petista.
Além disso, novamente o tucano mostrou sua trajetória política e pessoal, e apresentou parte de suas propostas de governo, como a urbanização de favelas, entre outras.
Para finalizar, a campanha do tucano afirmou que José Dirceu, que foi considerado culpado pela maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) pela participação no esquema do mensalão, faz questão da vitória de Haddad na capital paulista. Segundo Serra, a vitória serviria como "cortina de fumaça" para o PT esconder as condenações.