E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

domingo, 21 de outubro de 2012

Diminui a diferença entre Zenaldo e Edmilson. Entra em cena o "Fator Lula"

Pesquisa realizada pelo Ipespe e divulgada pelo Diário do Pará mostra Zenaldo Coutinho (PSDB) à frente de Edmilson Rodrigues (PSOL), mas a distância parece ter diminuído em relação às aferições feitas por outros institutos.
Na aferição realizada entre os dias 18 e 19, o Ipespe diz que Zenaldo tem 45% das intenções de votos para prefeito de Belém e Edmilson tem 39%.
No Vox Populi, por exemplo, realizado dois dias antes, Zenaldo tinha 48% e Edmilson 36%.
O crescimento, ainda que tímido de Edmilson foi suficiente, pelo menos, para fazer o diretório regional do PT movimentar-se. Com a intervenção do presidente regional João Batista e da eminência parda Paulo Rocha, finalmente o governo federal virá para a campanha do psolista.
Depois de Alexandre Padilha, da Saúde, outros ministros e, principalmente, o ex-presidente Lula passarão a pedir votos para Edmilson no programa e nas inserções de rádio e TV na última e decisiva semana da eleição.
Fica faltando de Edmilson a mudança de discurso. O psolista precisa compreender que para vencer em Belém - e governá-la - é preciso muito mais que ideologia radical combinada com práticas um tanto lassas. É preciso construir pontes entre partidos e pessoas. Com o atual discurso, em que fica parecendo que Belém é uma ilha e Edmilson uma espécie de plenipotenciário, o psolista não vai muito longe. Mesmo lutando contra o candidato de Jatene, fica difícil torcer por ele, mais difícil ainda votar nele. Quem sabe o charme de Lula, o cara que venceu o preconceito, o tucanato, o mensalão e até o câncer, consiga o que a atitude ufanista e autossuficiente demais de Edmilson não está conseguindo. Veremos.