E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

5 mil cruzes na Esplanada para lembrar índios mortos

Comunidades indígenas e entidades de defesa desses povos fizeram protesto próximo ao Congresso Nacional, em Brasília, nesta sexta-feira (19). Foram colocadas 5.000 cruzes no gramado da Esplanada dos Ministérios.
O protesto simboliza índios mortos e ameaçados, especialmente os guaranis kaiowás, de Mato Grosso do Sul, que hoje é a etnia que mais sofre com a violência fundiária, segundo os organizadores. Os indígenas também reivindicam a homologação e demarcação das terras.Segundo o Cimi (Conselho Indigenista Missionário), entidade ligada à CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), foram assassinados no país 503 índios entre 2003 e 2011. Do total, mais da metade, 279 são do povo Guarani Kaiowá.
"Precisamos que o Estado tome as iniciativas adequadas que são de direito e dever do Estado brasileiro para a proteção física das pessoas, dos indivíduos guaranis kaiowás e, especialmente, tome as iniciativas estruturantes no sentido de implementar suas terras tradicionais e assim, superar os conflitos naquela região", explicou o secretário do Cimi, Cleber Buzatto. (Com ABr)