E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

2º turno em SP - Secretário processado e denúncia de oferta de vantagens para apoiar candidato


Na Folha de S.Paulo, hoje (18):
O candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, disse nesta quinta-feira (18) que a situação do secretário executivo do Ministério da Educação que é réu em uma ação civil pública não é a mesma da dos secretários da gestão Kassab que respondem a processo.
O jornal O Estado de S. Paulo revelou hoje que o número dois na hierarquia do MEC, José Henrique Paim Fernandes, foi denunciado pelo Ministério Público Federal por supostas irregularidades em convênio firmado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação quando ele era presidente do órgão.
Haddad repetiu durante toda a campanha que nenhum auxiliar direto seu no MEC respondia a processos.
Por outro lado, o candidato do PSDB a prefeito de São Paulo, José Serra, disse não ter conhecimento de que uma associação que ajuda sem-teto a ter acesso a programas habitacionais dê vantagem aos integrantes que participam de sua campanha. Para ele, a ação do grupo parece "um modelo petista".
"Eu nunca ouvi falar disso, isso é mais um modelo petista, que em geral o PT que consagrou essa modalidade de uso da coisa pública para fins privados", afirmou nesta quinta-feira (18).
Hoje, a Folha mostrou que integrantes do MSTI (Movimento dos Sem-Teto do Ipiranga) que vão a eventos do tucano ganham pontos em um ranking interno que define quem será indicado pelo grupo a programas de moradia popular.
O MSTI atua para firmar convênios com a prefeitura para construção de moradias e, quando a parceria dá certo, tem direito a indicar nomes. Os indicados são submetidos à prefeitura e avaliados segundo critérios de cada programa, como renda e vulnerabilidade social.
"Não houve isso. Não é do meu conhecimento", afirmou Serra.