E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Lutador brasileiro espanca ladrões em NY e narra em tempo real no Twitter

O brasileiro Renzo Gracie teve a oportunidade de fazer algo que poucos lutadores puderam: narrar a própria luta. O curioso é que Gracie fez isso enquanto ela ocorria. O lutador de MMA narrou na rede social Twitter todos os passos de um embate que teve com dois ladrões, na madrugada desta sexta-feira, em Nova York, saindo vencedor do combate.
"Rua 22 com a 10ª Avenida. Neste momento, dois caras estão me seguindo. Não consigo evitar, tenho um grande sorriso no meu rosto. Estou falando de um (sorriso) feliz", escreveu o lutador no Twitter, já esperando para fazer justiça com as próprias mãos.
"Esperando por eles...Eles pensam que eu realmente estou bêbado? Eles devem estar brincando", seguiu o brasileiro com a narração. "Eles se aproximam, pedem um cigarro. Eu não consigo esconder o sorriso no rosto. Não fumo, mas finjo que estou procurando. Eles sorriem", segue Gracie, aumentando a expectativa para a luta.
Momentos depois, o peso-médio voltou à rede social, contando o resultado final do embate: "minhas mãos doem. Não consigo evitar olhar para ele. O outro fugiu, não é um grande amigo, covarde", comemorou o brasileiro.Gracie então se preparou para "finalizar" o agressor restante: "esse aqui me pergunta por que fiz isso, fingindo ser idiota. Um pequeno chute nas costelas faz ele chorar e pedir desculpas enquanto escrevo isto", narra o lutador.
Depois disso, foi a vez de o brasileiro caçar o segundo agressor, que voltou ao local depois de Gracie se afastar de onde ocorreu o incidente. "Eu sabia! Existe uma coisa básica que é não voltar para onde ocorreu o problema", comemorou.
"Eu acabei de dar um estrangulamento no velho estilo, faz muito tempo desde o último que dei... O estrangulei três vezes", narrou Gracie, que ainda deixou o ladrão com dois olhos roxos. "Sussurrei no ouvido dele:'essa é a sensação de morrer. Não faça isso de novo'", divulgou no Twitter.
Com a mão destruída (o lutador chegou até a postar uma foto na rede social), o lutador já começou a pensar em técnicas mais eficientes para enfrentar o próximo ladrão que tiver o infortúnio de cruzar com ele.
"Na próxima vez, usarei apenas os meus cotovelos. Droga, eu sinto falta deste sentimento. Algumas vezes me pergunto se a vida fácil está me fazendo ficar mole. Todos aqueles anos no Brasil sem saber se poderia voltar para casa tinham que valer para algo. Não posso mentir, poderia ter entrado em um táxi", admitiu Gracie.
Para concluir, o brasileiro agradeceu Rudolph Giuliani, prefeito de Nova York entre 1994 e 2001, famoso pela política de tolerância zero contra o crime. "Obrigado, prefeito Giuliani. Ninguém carrega armas em nosso belo Estado. Meu dia de sorte, o dia de azar deles", escreveu Gracie