E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Eliana Calmon e Nancy Andrighi assumem comando da Escola Nacional de Magistrados

O Pleno do Superior Tribunal de Justiça (STJ) elegeu, por aclamação, a ministra Eliana Calmon para o cargo de diretora geral da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam). Na mesma ocasião, a ministra Nancy Andrighi foi escolhida para exercer a função de vice-diretora geral da instituição. A eleição se deu na noite desta terça-feira (4). A nova diretora geral da Enfam substitui o ministro Cesar Rocha, que apresentou seu pedido de aposentadoria na última segunda-feira (3). Juíza federal de carreira, a baiana Eliana Calmon chegou ao STJ em junho de 1999.
Primeira mulher a ocupar o cargo de ministro de um tribunal superior, a ministra Eliana Calmon esteve nos últimos dois anos à frente da corregedoria nacional de Justiça. O cargo lhe rendeu embates em defesa da atuação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) na fiscalização sobre a magistratura, paralelamente às corregedorias locais.
Conhecida por expressar sem medo suas convicções, e de forma firme, a ministra deixa o CNJ nesta quinta-feira (6), e reassume sua participação como julgadora nas Turmas e Seções. Ferrenha crítica das práticas burocráticas do Judiciário, Eliana Calmon ocupará a direção da Enfam até setembro de 2014.
Nancy Andrighi, também juíza de carreira, chegou ao STJ em outubro de 1999. Primeira mulher a ter a atribuição de corregedora geral eleitoral, cargo que ocupa atualmente, Nancy Andrighi é reconhecida como humanizadora das decisões judiciais e defensora do papel do juiz como conciliador.
A ministra começou na magistratura em seu estado natal, o Rio Grande do Sul, de onde saiu para disputar uma vaga na Justiça do Distrito Federal, até chegar ao Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF), onde atuou de 1992 a 1999. Foi coordenadora da instalação dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais no Distrito Federal, em 1996. Atua na Terceira Turma e na Segunda Seção, órgãos que presidiu, e na Corte Especial do STJ.