E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Acordo sobre a Celpa não definiu investidor, alerta Puty

Em seu blog, no dia 3 de setembro, o deputado federal Claudio Puty fez uma rápido sumário das complexas questões a envolver o processo de recuperação financeira da Celpa. No ponto mais importante do seu post, Puty lembra um detalhe que fará toda a diferença dentro de pouco tempo: NÃO EXISTE UM INVESTIDOR DEFINIDO capaz de arcar com o ônus decorrente das pactuações feitas com credores preferenciais ou quirográficos!
Ou seja, sem um investidor que inspire confiança ao mercado, o que se denominou de "Plano de Recuperação" é, na prática, uma "carta de intenções". Enquanto isso, o futuro dos usuários, funcionários e credores segue indefinido e o Pará corre o risco de começar a retroceder, sem empregos, por não ter indústrias; sem indústrias, por não ter energia. Um cenário de pesadelo.
O Pará paga o preço da privatização meia-boca promovida por Jatene e a tucanada.
Que Churchill perdoe-me, mas é inacreditável como a incompetência dos governantes é capaz de causar tantos prejuízos a tantos e beneficiar tão poucos. Leiam o texto de Puty aqui.