E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

quinta-feira, 19 de julho de 2012

"Furacão da CPI" diz que é alvo de 'acusações injuriosas' por vídeo de sexo e que vai processar todos que noticiaram escândalo


A assessora parlamentar Denise Leitão Rocha afirmou nesta quinta-feira (19) que é alvo de "acusações injuriosas" motivadas por um vídeo com cenas de sexo que circulou no Senado e vazou na internet. Denise é, segundo servidores do Senado, a mulher que aparece no vídeo.
Nesta quarta-feira, o senador Ciro Nogueira (PP-PI), para quem Denise Rocha trabalha, afirmou que ela deverá ser demitida em agosto, quando retornar do período do recesso parlamentar. "Não vou passar o resto do mandato dando explicação", justificou o senador, para quem a situação é "constrangedora", embora, segundo afirmou, o episódio não tenha ocorrido nas dependências do Senado.
A assessora disse ao G1 nesta quinta que pretende processar todos os sites que noticiaram o caso. Denise Rocha atendeu a uma ligação no telefone celular, feita a partir de um telefone fixo do comitê de imprensa do Senado, disponível para o uso dos jornalistas credenciados. Ela desconfiou da razão pela qual a ligação partiu de um telefone do Senado e pediu o número do celular da jornalista para confirmar.
Denise Rocha afirmou que o diálogo não era uma entrevista e que não pretendia responder a perguntas. "Eu não vou falar agora. As providências, eu estou tomando judicialmente e você não vai me entrevistar. Eu não tenho nada para dizer agora", afirmou.
Segundo ela, os sites que divulgaram o caso serão alvos de processo. "A única coisa que eu te falo é que todos os sites vão ser processados [...]. E quando eu puder falar, vou falar. Então, pense bem se você quiser soltar mais uma notinha maldosa. Inclusive, já fizeram isso como se tivessem me entrevistado. Eu nenhum momento eu dei entrevista para ninguém", disse.
O vídeo chamou a atenção dos jornalistas durante o depoimento à CPI do Cachoeira do prefeito de Palmas, Raul Filho (PT), na terça-feira (10), no Senado. Antes disso, já era conhecido por alguns jornalistas, mas foi visto na tela de laptops de alguns parlamentares durante a sessão da CPI. Na ocasião, Denise Rocha chegou a entrar na sala, mas diante da curiosidade de fotógrafos e jornalistas, evitou levantar o rosto, e saiu cerca de cinco minutos depois.
O vídeo tem 2 minutos e 57 segundos e mostra cenas de sexo entre um homem e uma mulher que tem uma tatuagem igual à que aparece em fotos de Denise que circulam na internet.