E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Dilma exonera Celso Lacerda e nomeia Carlos Mário Guedes para presidência do Incra.

O Diário Oficial da União publica hoje (23) a exoneração do presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Celso de Lisboa Lacerda. No lugar dele, assume Carlos Mário Guedes de Guedes. Os decretos com a exoneração de Lacerda e a nomeação de Guedes estão na Seção 2 do Diário Oficial, assinados pela presidente Dilma Rousseff e pelo ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas.
No final da semana passada, o novo presidente do Incra disse que vai dar continuidade ao trabalho de seu antecessor Lacerda. A substituição foi anunciada na quinta-feira (19) pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário.
Guedes disse que assume com o objetivo de ampliar o número de assentados no país. Ele trabalhava como secretário executivo adjunto do ministério. Economista e funcionário de carreira do Incra como analista em reforma e desenvolvimento agrário, Guedes disse estar honrado em conduzir a autarquia. Guedes era secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e um dos principais formuladores dos conceitos, objetivos e metas que embasam o programa "Territórios da Cidadania", do Governo Federal.
“A partir de agora vou honrar todos os compromissos com a reforma agrária”, disse Guedes. 
Mas, os movimentos sociais não devem ficar muito otimistas. Segundo o próprio Guedes, ele deverá "dar continuidade" ao "excelente trabalho" de seu antecessor. Guedes apesar de ser funcionário de carreira do Incra, parece não ter um plano já delineado para o órgão. “Faremos uma reunião com o ministro para definir quais são as metas e planos para o órgão", disse.
Além de dar seguimento à distribuição de lotes rurais em assentamentos e acampamentos espalhados por todo o País, Guedes precisa acertar em uma área que seu antecessor errou fragorosamente. Cobrado por Dilma, Celso Lacerda foi incapaz de mostrar como tornar produtivos os milhares de lotes rurais já em mãos dos "clientes" da reforma agrária. Além disso, estudos do próprio governo mostram que os assentamentos e acampamentos são os principais focos de degradação ambiental no País.
Caso não apresente um novo modelo de desenvolvimento rural focado na produção voltada ao mercado e novas linhas de crédito que beneficiem aqueles que realmente produzem, Guedes será o que seus últimos antecessores foram: alvos fáceis para a pressão política do MST (e congêneres) e uma espécie de "gerente de crise", incapaz de dar visão estratégica para o Incra.