E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Tremor em Baião e Mocajuba, no Pará, pode ser rescaldo de abalo maior em outros países, diz especialista

Um abalo sísmico atingiu os municípios de Baião e Mocajuba, na região do Baixo Tocantins, no Pará, na manhã desta sexta-feira (29). Há informações de que moradores de Tucuruí também tenham sentido um tremor semelhante.
O terremoto, que aconteceu por volta de 8h50min, e que durou de 5 a 8 segundos, chegou a destruir casas nas vilas do Umarizal e Arequembaua, no município de Baião.
Os moradores contam que o tremor aconteceu após um barulho semelhante a um trovão e na sequência, por segundos, começaram a presenciar objetos balançando ou caindo nas residências. A população começou a sair das casas e prédios como o da Prefeitura foram evacuados por medida de segurança.
Em Mocajuba, o impacto foi sentido em toda a cidade e alguns moradores ficaram alarmados. A tensão no local teve que ser controlada por policiais militares.
Segundo José Ramundo Abreu, coordenador do 2º Distrito de Meteorologia (Disme), o único sismógrafo do Pará está quebrado e por isso o tremor não foi registrado pela Universidade Federal do Pará.
Ainda segundo Abreu, o sismógrafo de Brasília e São Paulo captaram um tremor de magnitude acima de 4 graus na escala Richter.
Em entrevista para o repórter JR Avelar, Abreu contou, que acredita que o epicêntro do abalo tenha sido em países como Colômbia, Chile ou Venezuela, que constantemente apresentam abalos semelhantes, devido a presença de território que apresente placas tectônicas. "Pela minha experiência, acredito que esse caso registrado no Pará, tenha sido apenas um rescaldo de um abalo maior", afirmou. (No DOL, com informações do repórter JR Avelar)