E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

terça-feira, 26 de junho de 2012

Marconi escala Fábio Sousa (PSDB) para enfrentar Paulo Garcia (PT) por prefeitura de Goiânia

Foi longa, tensa e apenas parcialmente conclusiva a reunião coordenada durante a noite de ontem (25) pelo governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), com o PSDB e partidos aliados, que visava a definição do nome governista que enfrentará o agora favorito Paulo Garcia (PT), pelo cargo de prefeito de Goiânia.
Após muita conversa, nem sempre cordial, foi definido que o deputado Fábio Sousa será o candidato do PSDB a prefeito de Goiânia, em 2012. Atualmente, ele preside o diretório municipal do partido na capital. No entanto, esta definição está longe de pacificar a seara de tucanos e aliados.O deputado federal Jovair Arantes (PTB), aliado de primeira hora de Perillo e, como este, também envolvido no esquema Demóstenes-Cachoeira, garante que mantém sua candidatura. Demovê-lo da ideia passa a ser tarefa de Fábio Sousa. Terá que ser muito persuasivo.
Fábio Sousa é deputado estadual pelo segundo mandato, sendo o quinto mais votado de Goiás e o mais votado da coligação que elegeu Marconi Perillo, em Goiânia. Em seu primeiro mandato presidiu uma das mais importantes comissões da Casa, a Comissão de Justiça, e foi o idealizador e presidente da CPI de combate a pedofilia e a exploração sexual infantil.
Atual 1º vice-presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, é membro das Comissões de Tributação Finanças e Orçamento, Educação, Defesa dos Direitos do Consumidor e de Direitos Humanos.
Fábio Sousa é pastor. Formado em Gestão Pública, trabalhou como publicitário, cursou publicidade e propaganda, mas não chegou a concluir. Atualmente está cursando História, um antigo sonho.
Foi vereador em Goiânia, o mais votado no pleito de 2004. Em 2006 foi eleito deputado estadual com 28.374 votos, reeleito em 2010 com 37.132 votos.
Casado com a médica Priscila Balduino Sousa, tem um filho, Estevão.
Do outro lado da trincheira, Paulo Garcia, atual prefeito e candidato à reeleição pelo PT, também tem seus problemas. O PSB, com o qual Garcia contava em sua base, pode lançar Barbosa Neto candidato à prefeito. Este seria um duro golpe em Garcia que perderia a maior estrela dos socialistas goianos, o mega-empresário José Batista Júnior, o Júnior do Friboi. O PDT, controlado por Vanderlan Cardoso (ex-PMDB) também vem reclamando de Garcia. Segundo um aliado do prefeito, Garcia "subiu no salto" e não vem atendendo aliados em suas demandas.
Na verdade, em Goiânia, a situação depois do "tsunami" do Cachoeira, segue nublada. Nem mesmo as convenções partidárias, quase todas marcadas para sexta-feira (29) e sábado (30), porão fim às especulações. Como as atas poderão ser registradas até cinco dias depois, quase todos os partidos deverão delegar às Executivas Municipais as decisões mais nevrálgicas como nomes para prefeito e vice, além de coligações majoritárias e proporcionais. Até lá, muita fofoca ainda haverá alimentar os noticiários.