E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Deputado envolvido no escândalo do Cachoeira será candidato único da base de Perillo à prefeitura de Goiânia

Depois de muita negociação, Jovair Arantes (PTB), um dos deputados goianos envolvidos no escândalo Demóstenes-Cachoeira-Delta, deverá ser mesmo o candidato único da base aliada ao governo estadual do tucano Marconi Perillo à prefeitura de Goiânia. Presidente estadual do PTB e deputado federal, Jovair Arantes, ao manter sua candidatura e ameaçar rachar a base de Perillo, conseguiu o apoio do PSDB e de mais alguns partidos.
A convenção do PTB, que homologou seu nome como candidato, ocorreu na tarde desta sexta-feira (29), sem a presença de grandes estrelas da política goiana.
Jovair anunciou a adesão de uma série de partidos, quase todos com pouca representatividade. Entre os partidos maiores, além do PSDB, deverão acompanhar Jovair PV, PSD,  PP e PPS.
O petebista diz negociar com o ex-peemedebista Vanderlan Cardoso e com o PSB de Barbosa Neto e Júnior do Friboi. Mas, o PSB garantiu ontem (28) apoio ao atual prefeito e candidato à reeleição Paulo Garcia (PT).
Jovair, que lançou sua pré-candidatura ainda no início do ano, é um dos envolvidos no escândalo Demóstenes-Cachoeira-Delta. Recentemente, a revista IstoÉ revelou que, segundo as investigações da Polícia Federal, os negócios milionários de Carlos Cachoeira iam muito além dos jogos ilegais. A maior fonte de renda do contraventor era a construção civil e uma das empresas que aparece na investigação é a Mila Construtora e Limpeza, que também presta serviço à Prefeitura de Jaraguá (GO).
Somente no ano de 2010, a Mila Construtora e Limpeza arrecadou mais de dois milhões de reais da prefeitura de Jaraguá pela prestação de serviço de limpeza.
O deputado Jovair Arantes era um dos beneficiários do esquema. Jovair, juntamente com o deputado Carlos Leréia (PSDB) e Rubens Otoni (PT), recebiam metade dos 30% dos valores que eram repassados pelo grupo de Carlos Cachoeira para o senador Demóstenes Torres (ex-DEM). A reportagem foi publicada na Revista Isto É, na edição n.º 2215, de 25 de abril deste ano.