E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

terça-feira, 26 de junho de 2012

Conselho de Ética aprova por unanimidade relatório recomendando cassação de Demóstenes

Por unanimidade o Conselho de Ética do Senado Federal aprovou instantes atrás o relatório do senador Humberto Costa (PT/PE) que recomenda a cassação do senador Demóstenes Torres (ex-DEM e agora sem partido).
A resolução aprovada segue agora para a Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) do Senado para que seja analisada em seus aspectos constitucionais e formais. O mérito não pode mais ser discutido.
Em seguida, a CCJ deverá enviar a resolução à Mesa Diretora da Casa que determinará sessão exclusiva para discussão e votação da matéria.
No Conselho de Ética o voto foi nominal e aberto, mas no plenário o voto será secreto e este é um dos poucos trunfos de Demóstenes. As chances dele ser absolvido são residuais, mas emissários estão sendo mandados para conversar com cada senador. Vai que...
Com a iminente cassação de Demóstenes convém atentar para quem o substituirá.
O suplente de Demóstenes é Wilder Pedro de Morais, secretário de Infraestrutura de Goiás no governo Perillo e ex-marido de Andressa Mendonça, atual Senhora Cachoeira. Wilder, dono de uma das maiores construtoras de Goiás, tem hábitos, digamos, heterodoxos. Um deles é guardar alguns trocados em casa. Em sua declaração de bens à Justiça Eleitoral, Wilder afirmou que mantém guardado R$ 2,2 milhões em dinheiro vivo embaixo do colchão. Um perigo, não é?
Wilder teria sido, junto com Cachoeira, um dos grandes patrocinadores de Demóstenes. Comenta-se que seria coisa de mais de R$ 15 milhões.
Como se vê, muda-se o santo, já a procissão...