E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Relator da CPI do Cachoeira apresenta plano de trabalho. Cachoeira pode ser ouvido dia 17 e Demóstenes, dia 31.

O deputado federal Odair Cunha (PT-MG), relator da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que vai apurar o envolvimento de políticos e empresários com o grupo do bicheiro Carlinhos Cachoeira, apresentou nesta quarta-feira (2) o plano de trabalho da investigação.
Pelo cronograma proposto, a comissão poderá ouvir o depoimento do bicheiro Carlos Augusto dos Ramos no dia 17 de maio. A data, porém, ainda não está fechada e pode ser alterada pelos parlamentares da comissão durante a votação do plano de trabalho.
As datas propostas ainda serão analisadas pela comissão. Ao pedir a oitiva, Odair Cunha argumentou que a influência de Carlinhos Cachoeira "se estende por setores do poder público e privado" e que as ações do contraventor configuram "o que se chama de crime organizado".
Já o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO), que responde no Conselho de Ética do Senado por suposta quebra de decoro parlamentar, por envolvimento com Carlinhos Cachoeira, seria ouvido no dia 31 de maio no CPI, segundo cronograma apresentado pelo relator, como se vê abaixo.
08/05/2012
Depoente - Raul Alexandre Marques Sousa, delegado da PF responsável pela Operação Vegas
10/05/2012
Depoentes - Matheus Mella Rodrigues, delegado da PF responsável pela Operação Monte Carlo
Daniel Rezende Salgad e Lea Batista de Oliveira, procuradores da República
17/05/2012
Depoente - Carlinhos Cachoeira, suspeito de chefiar a máfia dos jogos ilegais e investigado por corrupção
22/05/2012
Depoentes - José Olímpio de Queiroga Neto, Gleyb Ferreira da Cruz, Geovani Pereira da Silva, Wladimir Henrique Garcez, Lenine Araújo de Souza, todos acusados de integrar a quadrilha de Cachoeira
24/05/2012
Idalberto Matias de Araújo, Jairo Martins e outros, acusados de integrar a quadrilha de Cachoeira
31/05/2012
Demóstenes Torres (GO), senador, suspeito de usar mandato para o bicheiro
Odair Cunha apresentou o cronograma de trabalho da CPI, que terá prazo de 180 dias, tendo previsão de encerramento para o dia 4 de dezembro.
O relator reafirmou que a CPI será baseada nas investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal nas operações Vegas e Monte Carlo, que investigou esquema de jogo ilegal supostamente chefiado por Cachoeira.
De acordo com Odair Cunha, a partir das investigações já feitas, será possível "apurar as extensões das atividades ilícitas da organização e ficar as responsabilidades de agentes públicos e privados".
As datas destes depoimentos também precisam ser aprovadas pelos membros da CPI
Após a apresentação do plano de trabalho, os parlamentares discutiram a necessidade de convocar o procurador-geral, Roberto Gurgel, para prestar depoimento como testemunha na CPI. Gurgel rejeitou nesta quarta convite feito por Vital do Rêgo e Odair Cunha para dar explicações, sob a alegação de que o Código de Processo Penal (CPP) proíbe que um juiz ou integrante do Ministério Público seja testemunha no mesmo processo em que atua. A oposição não quer que Gurgel seja ouvido pela CPI. Os partidos da base aliada, por outro lado, querem saber por que Gurgel não ofereceu a denúncia desde 2009 quando as investigações já apontavam o envolvimento do mafioso com políticos e empreiteiras para desviar dinheiro público e influenciar nas decisões de governos e ministérios.