E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Jatene fala de "plano estratégico" para Segurança, mas erra feio na conta.

Vejam o que noticiou o G1-Pará, hoje (2). Comento logo a seguir:
Em uma cerimônia que reuniu centenas de policiais civis e militares do Pará, na manhã desta quarta-feira (2) em Belém, o governador Simão Jatene (PSDB) cobrou compromisso e empenho de todos os servidores da área da segurança pública no estado. Ele também pediu a parceria de vários segmentos da sociedade para enfrentar o problema da violência nos municípios paraenses.
Dados da Secretaria de Segurança Publica do Estado (Segup) divulgados nesta manhã mostram que houve elevação no número de homicídios nos distritos da capital. "Em Belém, incluindo os distritos de Icoaraci, Outeiro e Mosqueiro, houve um aumento de 133 (1º trimestre de 2011) para 136 (1° trimestre de 2012), com diferença de três registros em termos absolutos, correspondendo à variação de 2,26%", informou a Segup.
O balanço oficial do governo sobre a criminalidade no estado mostra, no entanto, que houve redução de 7, 39% nos casos de homicídios na região metropolitana de Belém. "De cada três crimes violentos em 2012, nós reduzimos um", afirmou Jatene. "O trabalho de vocês (policiais) não está sendo em vão. A violência está reduzindo no estado", comemorou o governador.Antes dos discursos oficiais, o governo estadual apresentou novas viaturas que estarão a serviço da polícia paraense. 30 unidades móveis integradas - que funcionarão como delegacias itinerantes - 20 unidades de resgate, 165 motos e 15 lanchas foram adquiridas pelo Estado. O governo adquiriu também sete equipamentos para remoção de vítimas de ferragens e mais cinco caminhões tanques.
O investimento foi superior a 11 milhões de reais. Segundo o governador, o dinheiro saiu dos cofres do Estado, sem a ajuda do governo federal. Jatene informou também que o governo vai adquirir um helicóptero para fazer sobrevoos noturnos, o que ainda não existe no estado. "Já determinei que fosse feita a licitação (para a compra da aeronave)", disse.
A Secretária de Administração do Pará, Alice Viana, informou que o Estado elabora o edital do concurso público para a contratação de novos policiais. Segundo ela, serão ofertadas 2.600 vagas para todo o estado, sendo 600 para policiais civis e 2000 para PMs. "Na semana que vem, vamos disponibilizar (o edital) no site da Sead", informou a secretária. Após a admissão por meio de concurso, os novos policiais só vão para as ruas em 2013, depois de cursos de treinamento.
Alice Viana destacou que o governo passa por uma fase de mudança na gestão da segurança pública e salientou também o modelo que o governo está implementando para tornar o serviço mais eficiente na área. Ela disse que os recursos do Estado são escassos, mesmo assim a administração espera resultados. Em abril, todos os órgãos do governo assinaram um acordo para apresentar ações positivas em cada setor.
Comento
Acho que Jatene, considerado um especialista em números, anda com a cabeça em alguma pescaria interrompida. Ainda que acreditemos nos números oficiais, estes apontam uma redução de pouco mais de 7% nos homicídios, responsáveis por mais de 80% da formação do índice de "crimes violentos". Levando isso em consideração, teremos que a redução, se redução houve, não pode ter sido superior a 12%. Quando diz que "de cada três crimes violentos em 2012, nós reduzimos um", Jatene sugere uma redução de 33%. Se isso fosse verdade estaríamos convivendo com padrões suíços de segurança. Infelizmente, não é verdade. Assim, continuamos vivendo sob padrões sudaneses de insegurança.
Chama a atenção o anúncio de um próximo concurso para 2.600 vagas nas polícias civil e militar do Pará. Considerando o efetivo, a extensão territorial e as demandas crescentes em TODOS os municípios, seriam necessários, no mínimo, cinco vezes mais vagas para prover um mínimo de segurança.
A secretária de Administração, Alice Viana, diz que "o governo passa por uma fase de mudança na gestão da segurança pública e salientou também o modelo que o governo está implementando para tornar o serviço mais eficiente na área. Pergunto-me quanto tempo levará esta tal "mudança na gestão" da segurança pública.
Tecnocratas tendem a complicar o que é simples. Para funcionar, as polícias precisam a) de mais tropas, b) de condições dignas de trabalho e c) de remuneração decente. O serviço delas - prender bandidos e inibir a prática de crimes - elas sabem fazer muito bem. Não precisão de uma "nova gestão", precisam apenas de alguma gestão!
Só para constar, no último final de semana morreram nove em Marabá e região.
A maioria por envolvimento com o tráfico de drogas, tipo de crime difícil de impedir, a menos que sejam dadas às polícias condições efetivas para combater o narcotráfico e isto demanda patrulhamento intenso nas fronteiras secas e fluviais do Pará, aparato de inteligência e rastreamento, compartilhamento de informações entre a Polícia Civil paraense e a Polícia Federal, estrutura material e pessoal disponível e em quantidade suficiente. Disso não fala Jatene. apenas enrola-se nos números. Uma pena.
Juro que tento encontrar algo de realmente positivo neste governo tucano, mas está cada vez difícil.