E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Começa neste sábado (5) Campanha de Vacinação contra a Gripe

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) alerta a população que neste sábado (5), começa a 14ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe (Influenza), que será dirigida a idosos, crianças de 6 meses a 2 anos, grávidas, índios e trabalhadores da saúde, a exemplo do que ocorreu na campanha do ano passado.
A campanha no Estado começa a partir das 8 horas deste sábado (5). O objetivo é reduzir a mortalidade, as complicações e as internações por infecções pelo vírus da influenza na população que precisa de mais proteção.
Até o dia 25 de maio, a intenção da campanha é vacinar 535.135 idosos, 106.939 gestantes, 213.939 crianças de seis meses a menores de dois anos, 28.463 índios e 96.609 profissionais de saúde, totalizando 981.085 pessoas. A meta é imunizar, no mínimo, 80% desse total para manter uma boa cobertura vacinal.
Em Marabá vacinação a abertura oficial da campanha será feita pelo secretário municipal de Saúde, Nilson da Costa Piedade, às 8h30, no Centro de Saúde Enfermeira Zezinha, localizado na Folha 23, Nova Marabá. Mais de 70 pontos espalhados pela cidade e zona rural estarão à disposição dos usuários. A previsão é vacinar mais de 26 mil pessoas contra gripe em Marabá, sendo 10.308 idosos, 7.956 crianças, 5.304 gestantes e 2.640 profissionais de saúde.
As crianças, em especial, precisarão tomar duas doses. Na ocasião em que receberem a primeira, sairão dos postos de vacinação com a data do reforço anotada na caderneta de vacinação infantil. A ideia é evitar que os pais esqueçam a segunda dose, fundamental para que a vacina proteja o organismo de quem tem entre 6 meses e 2 anos incompletos e não tomou nenhuma dose na campanha de vacinação de 2011.
Um milhão de doses já foi distribuído pela Sespa a 3.730 postos de vacinação no Estado. Desses, 2.378 são postos fixos, que incluem unidades de saúde com sala de vacina, instituições de idosos e hospitais. Haverá, ainda, 1.309 postos volantes e 43 postos volantes fluviais.A secretaria estadual e as secretarias municipais de saúde mobilizarão 22.380 pessoas, 822 carros, 31 barcos, 25 bicicletas, 22 voadeiras, 18 motocicletas, 3 cavalos e 2 búfalos no sábado (5), justamente para atender as dificuldades naturais de acesso pelo Estado. Segundo a coordenadora estadual de Imunização da Sespa, Jaíra Ataíde, a vacina também é a mesma de 2011, trivalente, produzida a partir de vírus isolados nos hemisférios Norte e Sul, ou seja, vírus similares ao Influenza A (H1N1), vírus Influenza A (H3N2) e o vírus Influenza B. “Além da gripe sazonal, essa vacina também protege contra o vírus da gripe A (H1N1), que causou a pandemia mundial em 2009 e matou 30 pessoas no Estado”, lembrou Jaíra.
É importante informar que este ano o Pará já confirmou quatro casos de gripe A em mulheres grávidas. Uma delas morreu e as outras estão bem. Também em 2012 foram confirmados 13 casos de influenza sazonal, uma variante do H1N1, o que resultou no óbito de um adolescente de 16 anos.
No intuito de alertar que o vírus ainda permanece em circulação, o secretário de Estado de Saúde Pública, Helio Franco, explica que é fundamental que as gestantes procurem os postos de vacinação durante a campanha. Segundo ele, a dose é segura em qualquer idade gestacional. “Por conta de um boato irresponsável que circulou na internet em 2010, as grávidas até hoje ficam receosas com a vacina. Além de representarem um grupo que ainda menos adere à campanha, com apenas 63% de cobertura, precisam ser vacinadas porque estão em condições mais vulneráveis de saúde”, explica o secretário.
Ainda em relação às grávidas, Jaira Ataíde ressalta que a vacinação contra o vírus influenza em gestantes é uma estratégia eficaz de proteção para a mãe e o bebê, já que estudos já demonstraram que os lactentes de mães vacinadas contra a influenza apresentaram menos casos da doença. “Bom lembrar também que a vacinação é anual por causa da característica mutante dos vírus da influenza, que apresentam diversidade a cada ano”, explica.