E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Presos acusados de chacina em Goiás

Na manhã desta segunda-feira (30), a Polícia Civil de Iporá, prendeu dois homens suspeitos de participar da chacina que deixou sete pessoas mortas em uma fazenda no município de Doverlândia, localizado a 412 km de Goiânia. Um adolescente de 14 anos ouviu os gritos vindos da fazenda Nossa Senhora e pediu ajuda. Os suspeitos foram presos em Aragarças.
As vítimas foram: o dono da fazenda Lázaro de Oliveira Costa, de 57 anos e seu filho Leopoldo Rocha Costa, de 22; o vaqueiro da propriedade Heli Francisco da Silva, de 44; um casal de amigos que teria ido visitar o fazendeiro Joaquim Manoel Carneiro, de 61 anos e Miraci Alves de Oliveira, de 65; o filho do casal Adriano Alves Carneiro, de 22; e sua noiva, Tamis Marques Mendes da Silva, de 24 anos.
O fazendeiro e seu filho foram degolados dentro da casa e arrastados pelos criminosos até o banheiro da residência, onde foram encontrados. Já os outros cinco corpos foram encontrados em uma estrada vicinal, perto da fazenda, na manhã de domingo, 29. No local a polícia encontrou um copo sujo de sangue que continha digitais de um dos suspeitos. Por enquanto, há a hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte).
Os corpos foram levados ao IML (Instituto Médico Legal) de Iporá, a 234 km de Goiânia, no centro do Estado, mas já ficaram a disposição das famílias. Quatro das sete vítimas estão sendo veladas hoje, na cidade de Rio Verde. Os corpos do casal amigo do fazendeiro, seu filho e noiva chegaram à cidade por volta da 1h da manhã desta segunda-feira. O enterro está marcado para o meio-dia. O jovem de 22 anos era filho único do casal, trabalhava de vendedor em uma loja de materiais de construção.
O corpo da noiva de Adriano, Tamis Marques, começou a ser velado às 20h de domingo e foi enterrada às 10h de hoje. Os familiares do noivo chegaram a dizer que a moça teria sido encontrada seminua, mas essa informação não foi confirmada pela polícia. O fazendeiro e seu filho devem ser enterrados em Minas Gerais, segundo informações da polícia. (Com informações da Polícia Civil e do G1/Goiás)