E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

sexta-feira, 27 de abril de 2012

PC de Goiás esclarece assassinato de filha de deputado na T-63. 4 acusados são apresentados. Um continua foragido


Nesta sexta-feira (27), na Secretaria de Segurança Pública e Justiça de Goiás (SSPJ), foram apresentados quatro dos cinco suspeitos de terem matado a advogada Michelle Muniz do Carmo, 30 anos. Os suspeitos foram presos ontem. A vítima, filha do deputado estadual Luiz Carlos do Carmo (PMDB), foi morta na madrugada do último sábado (21), na Avenida T-63, no Setor Bueno, em Goiânia.
Foram presos: Diogo Souza Pinheiro, 21 anos; Jhonatan Rosa de Souza, vulgo Dionim, 20 anos; Wesley Veríssimo dos Santos, 20 anos; Luan Henrique da Silva Neto, 20 anos; e Michel Castro de Jesus, 21 anos. Jonathan de Oliveira Costa, vulgo Cintião, ainda está foragido.
A delegada titular da DIH (Delegacia de Investigação de Homicídios), Adriana Ribeiro, explicou a ação da quadrilha, que costumava agir no Parque Santa Cruz e no Parque Flamboyant. “A vítima estava comprando algumas latas de cerveja numa distribuidora de bebidas quando foi abordada por três assaltantes. E na hora da abordagem ela percebeu que um tinha entrado dentro do carro e o outro já estava ao lado. O ímpeto dela foi sair correndo, entrar no carro e falar: ‘- olha, vocês não vão levar meu carro. Se vocês levarem, vão me levar junto’. E nisso, um dos autores, o Dionim, tentou tira-la de dentro do carro e na luta, ele disparou um tiro que foi fatal para ela”, relatou.
Ela disse que as “imagens colhidas na distribuidora e nos prédios conseguiram flagrar o crime. Nas cenas nós só conseguimos ver o Dionim, mas através de investigações desvendamos a autoria do crime, cumprindo quatro mandados de prisão. Todos confessaram a participação no crime. O Luan, que é cabo do exército, emprestou seu carro e o Wesley emprestou a arma, que estava de posse do Michel. Estão todos presos e esperamos nas próximas horas prender o que está foragido”, afirmou.
Segundo a delegada, o roubo encomendado de veículos é feito por presos do Cepaigo (Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia). “Esses veículos são encomendados por quadrilhas que agem de dentro do Cepaigo. Eles entram em contato com as quadrilhas do lado de fora e encomendam os carros específicos, pois eles têm os receptadores”, argumentou.
O secretário de segurança pública, João Furtado, falou sobre a prisão dos acusados e elogiou o trabalho das polícias. “Tanto a Polícia Militar quanto a Polícia Civil fizeram um excelente trabalho. Começaram a trabalhar no local do crime e as provas substanciais eram boas. Tinham imagens do crime e isso possibilitou os trabalhos. E é importante dizer que todos os crimes de latrocínio de janeiro para cá, foram solucionados e os responsáveis presos”, falou. (Com informações do Jornal Opção)