E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Os pedintes das seitas televisivas e suas mumunhas para tosquiar suas "ovelhas".


Não sei se é um caso no qual se aplique a teologia ou o Código de Defesa do Consumidor, mas a verdade é que não há qualquer limite para os "bispos" e "apóstolos" de uma certa Igreja Mundial do Poder de Deus, aquela liderada por um elemento que apresenta-se em diversas redes nacionais de televisão, sempre mostrando supostos "milagres", com seu indefectível chapelão de boiadeiro, a, como diria minha mãe, "pirangar" o suado dinheirinho dos fiéis incautos que se deixam engabelar pelos seus discursos baseados numa, digamos, "teologia".
Ao que consta, o "pastor do chapelão" (parece que é uma referência às fazendas que o "apóstolo" já adquiriu!), reunirá uma multidão no final deste mês em uma praça de São Paulo. Será uma, por assim dizer, "tosa" no rebanho. Reunir as ovelhas e tirar-lhes a lã, afinal, é o que pastores fazem, não é mesmo?
Os acólitos são incitados a "colaborar" com R$ 50 (com direito a uma espécie de "benção standard") ou com R$ 100 (aí o cidadão já deve habilitar-se a uma "benção gold"). Vejo que a meta é arrebanhar 1 milhão de acólitos. Feitas as contas, o chapeludo vai embolsar algo em torno de R$ 75 milhões. Nada mal para umas quatro horas de trabalho.
Logo depois, o "apóstolo" poderá usar o chapéu para tocar mais algumas milhares de reses em sua boiada!
Mas, os "bispos" da tal "igreja" não estão satisfeitos.
Eles inventaram ainda o "carnê da multiplicação", uma espécie de "Baú da Felicidade" da seita! O acólito aplica R$ 100 todo mês, o chapeludo e seus "bispos" fazem suas "orações" e, pirlim-pin-pin, o cidadão fica rico (bom, ao que parece a tal multiplicação já está funcionando. Pelo menos para o dono da seita. O patrimônio do "apóstolo" - que gosta de meter-se em política também - não cresce exponencialmente).
Mas, eles querem ainda uma "oferta especial".
Funciona assim: O valor da "oferta especial" será definido pela idade do contribuinte. Assim, quem tem 55 anos e 5 meses em maio, além da "colaboração" e do "carnê da multiplicação", deverá levar em um envelope mais R$ 55,50 reais!
Fico imaginando o que faria o Ressuscitado caso encontrasse esses "bispos" e "apóstolos"!
Por muito menos que isso, vendilhões foram devidamente chicoteados e escorraçados do Templo por Sua santa ira, como se vê acima na linda obra de El Greco.
Em tempo: Caso você não possa estar presente à "tosa", não fique triste. O chapeludo pensou em tudo. Você manda sua cartinha contando sua história e o "pedido de oração" (na TV um vendedor, quer dizer um "pastor", informa que não se deve mandar dinheiro pelo correio), vai até o banco (a conta é fornecida pelo "pastor") e deposita sua lã, quer dizer sua "colaboração". Não é uma benção?