E como os brados no Mundo podem tanto, bem é que
bradem alguma vez os pregadores, bem é que gritem
Pe. Antonio Vieira

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

PGR arquiva pedido de investigação contra Eliana Calmon


No Consultor Jurídico, hoje (31):
O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, determinou o arquivamento do procedimento administrativo aberto na instituição a pedido de entidades de juízes contra a ministra Eliana Calmon. Os juízes queriam que o Ministério Público Federal apurasse se houve quebra de sigilo, por parte do Conselho Nacional de Justiça e de sua Corregedoria, ao solicitar informações ao Coaf e ao inspecionar a declaração de bens e valores dos juízes e servidores.
Gurgel entendeu que o documento elaborado pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras não caracterizou quebra de sigilo, uma vez que "limitou-se a proceder a um exame global da movimentação dos magistrados e servidores por estado, sem fazer a indicação do nome ou CPF de qualquer um deles", e que a corregedora apenas cumpriu sua missão constitucional ao determinar a apuração das declarações.
Para Roberto Gurgel, não houve nenhuma irregularidade nas medidas adotadas pela corregedora Eliana Calmon que, a partir de informações genéricas fornecidas pelo Coaf, pediu a inspeção das declarações de bens e valores. Ressaltou que a mera instauração de inquérito, quando evidente a atipicidade da conduta, constitui meio hábil a impor violação aos direitos fundamentais, em especial, ao princípio da dignidade humana.
Com o relatório do Coaf em maõs, a ministra Eliana Calmon expediu a seguinte determinação: "Dessa forma, diante dos gráficos apresentados pelo Coaf e das inspeções já em curso, com base nas normas já referidas e no artigo 198, II, do Código Tributário Nacional, determino sejam inspecionadas as declarações de bens e valores dos srs. Magistrados e servidores (e seus cônjuges e dependentes quando for o caso) dos Tribunais abaixo relacionados, em especial daquelas pessoas que noticiam rendimentos superiores e R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais) no ano de exercício 2006 2007, 2008 2009 e 2010:"
O procedimento administrativo foi provocado pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Associação dos Juízes Federais (Ajufe) e Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), que alegaram que a Corregedoria Nacional de Justiça deu início a uma série de inspeções em diversos tribunais, o que teria permitido o acesso a dados sigilosos, inclusive de familiares de magistrados e servidores que não estão sujeitos ao controle da Corregedoria Nacional. As entidades reclamavam também do vazamento do relatório do Coaf para a imprensa.
Ao determinar o arquivamento, Gurgel esclareceu Gurgel que o pedido do relatório de comunicações financeira feito ao Coaf fora solicitado em 2009, pelo corregedor Gilson Dipp, que antecedeu Eliana Calmon.
O procurador-geral afastou a alegada autorização de diligências com relação a pessoas que não estariam sujeitas ao poder disciplinar do CNJ, pois segundo ele, esta questão "é desprovida de relevância penal, diante da atipicidade do fato, e que, por isso mesmo, não comporta exame neste procedimento. Trata-se, aliás, de questão submetida ao STF, no âmbito próprio do Mandado de Segurança 31.085", pontuou.
Concluiu então que "não há, portanto, como deflagrar a atividade persecutória do Estado, como postulam as requerentes, dada a ausência de justa causa que legitime a atuação do Ministério Público".

"Barbalhos tentam influenciar prévias petistas", diz Puty ao Diário do Pará

Para melhor compreensão, leiam primeiro o post anterior.
Abaixo, segue a resposta do deputado Claudio Puty à matéria veiculada domingo (28) e republicada hoje (31), no Diário do Pará:

Como já esperávamos, os Barbalho decidiram entrar de cabeça nas prévias do PT de Belém.

O jornal da família, o Diário do Pará, publicou neste domingo uma matéria na importante página A3 que é um primor de manipulação de informações, inverdades e que tem como único objetivo me atacar.

Os donos do jornal sabem que eu tenho defendido na campanha das prévias do PT, com sucesso,  diga-se de passagem, que o nosso partido não se alie ao PMDB nas eleições para a prefeitura de Belém, e que tenha uma candidatura própria, que aglutine uma frente com os partidos  da esquerda paraense. 
Preocupados,  iniciaram mais uma campanha desavergonhada de calúnias para impedir nossa vitória nas prévias petistas.

A matéria requenta material que já foi esclarecido e mente descaradamente.

1 - Eu nunca fui ouvido, muito menos indiciado em nenhum inquérito da Polícia Federal.

2 - Das duas investigações mencionadas (caso SEMA e SEFA), uma já foi concluída (SEMA) e tanto a PF quanto o MPF decidiram não me denunciar.

3 - O inquérito referente ao caso SEFA foi iniciado com base um uma frágil denúncia anônima e após onze meses de investigação, a PF concluiu não ter provas materiais que comprovassem a existência de algum esquema que me envolvesse.  Leia abaixo ofício do delegado responsável pelo caso e tire suas próprias conclusões. 


4- A foto da matéria é de uma audiência do prefeito Duciomar com a então governadora Ana Júlia. Nossa linha no governo foi e será sempre a mesma: não penalizamos a população da cidade cujo prefeito não é aliado. Prática diferente daquela do PSDB, que quando da administração petista em Belém, perseguiu o povo da cidade, diminuindo os repasses de ICMS para nosso município.

Puty continua sob investigação da Polícia Federal, diz Diário do Pará

Definitivamente, as prévias do PT aqueceram o cenário na capital do Pará. E acabam gerando, como direi, umas espécies de "não-notícias" ou "quase-notícias". Algumas são meros boatos, outras são notícias requentadas e outras ainda são tão escabrosas que não são publicadas, são apenas sussurradas pelos bastidores.
Hoje, o Diário do Pará voltou à carga contra Claudio Puty, que disputa com Alfredo Costa, a indicação do PT como candidato à prefeito de Belém e usou para isso uma "quase-notícia" como vocês verão.
Claro que faz parte do jogo!
Quem tem medo de expor-se não vai nem para o quase-morto BBB, nem para a política!  
Mas, leiam o que vai no Diário do Pará, hoje (31) e tirem suas conclusões:
O deputado federal Cláudio Puty (PT) continua sob investigação da Polícia Federal (PF) do Pará e do Ministério Público, embora não tenha sido indiciado. Na edição de domingo passado deste jornal, dois casos que envolvem Puty foram citados. O primeiro diz respeito à cobrança de propina de madeireiros para facilitar a aprovação de projetos na Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema). Segundo resposta de Puty enviada ao DIÁRIO, o processo contra ele “foi encerrado e nem a Polícia Federal, nem o Ministério Público encontraram motivos” para indiciá-lo. O deputado garante que não houve nenhuma denúncia contra ele.
O procurador da República e também procurador eleitoral Daniel Avelino disse não ter informações sobre a alegação do deputado de que o processo referente às irregularidades na Sema tenha sido encerrado. “Como ele foi eleito e tem foro privilegiado, o processo pode ter sido encaminhado à Procuradoria-Geral da República e ao Supremo Tribunal Federal (STF)”, resumiu.
O segundo caso trata da suposta cobrança de propina de empresários suspeitos de sonegação na Secretaria Estadual de Fazenda (Sefa) em troca do abrandamento da fiscalização. Uma carta enviada à PF cita os nomes dos deputados Cláudio Puty e Celso Sabino entre os que estariam no comando do esquema.
Na resposta ao DIÁRIO, Puty, que na sexta-feira não atendeu às ligações feitas pela reportagem em seu aparelho celular, informou ter recebido ofício do delegado da PF, Rafael da Rocha Moregula, esclarecendo a participação dele no episódio.
“Não há indiciados, muito menos documentos comprobatórios acerca da existência de suposto esquema criminoso, noticiado a partir de denúncia anônima”, relata o deputado, citando termos do ofício a ele enviado por Moregula. No documento, o delegado diz a Puty que mandou ofício à Sefa para obter informações sobre o caso, mas que até agora não obteve resposta.
Procurado por telefone na última sexta-feira, Moregula não foi localizado para falar sobre a investigação. Ontem, durante contato feito pela reportagem, ele confirmou os termos do ofício encaminhado ao deputado. Mas observou que não via na matéria publicada no domingo uma reportagem jornalística, e sim “reportagem que visava atacar a imagem do deputado”.
Moregula disse que aquela era uma opinião pessoal que não iria alterar, facilitar ou prejudicar a investigação que ele realiza.
Ele também confirmou ter solicitado nova prorrogação do inquérito ao Ministério Público, de acordo com o que foi publicado no domingo. O secretário estadual de Fazenda, José Tostes Neto, informou que o ofício do delegado pedindo informações não foi localizado. Moregula disse que outros ofícios haviam sido reiterados à Sefa, mas que iria encaminhar novo documento.
O deputado Puty também declara na resposta ao DIÁRIO que a prestação de suas contas foi “auditada e aprovada” pelo Tribunal Regional Eleitoral do Pará, o que não foi citado na matéria.

Desculpe, presidente, a senhora pisou na bola!


Vejam o que disse Dilma hoje (31), em Cuba, segundo a Agência Brasil:
A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (31), na capital cubana, Havana, que sua posição é a de defender os direitos humanos de maneira global e não tratar dos assuntos ligados a violações específicas atribuídas a Cuba. "O mundo precisa se comprometer em geral. Não é possível fazer da política de direitos humanos só uma arma de interesse político e ideológico. O mundo precisa se convencer que é algo que todos os países do mundo têm de se responsabilizar, inclusive o nosso", disse a presidenta.
A visita oficial da presidenta brasileira à ilha caribenha vem sendo cercada de expectativa sobre seu posicionamento em relação às liberdades individuais, principalmente por parte de dissidentes do regime comunista no país. Dilma sinalizou que não tratará desse assunto com as autoridades locais dizendo que o Brasil, em matéria de direitos humanos, também tem "telhado de vidro".
"Quem atira a primeira pedra tem telhado de vidro. Nós, no Brasil, temos os nossos", alertou a presidenta em entrevista coletiva. "Eu concordo em falar de direitos humanos dentro de uma perspectiva multilateral. Acho que esse é um compromisso de todos os povos civilizados. Há necessariamente muitos aspectos a serem considerados, mas, de fato, é algo que nós temos que melhorar no mundo de maneira geral”, destacou Dilma.

Desculpe, presidente, a senhora pisou na bola e o jogo nem tinha começado ainda!
É incrível, mas, bastaram três parágrafos para abalar profundamente a extrema boa vontade que tenho por Dilma.
Podem chamar de machismo se quiserem, mas, procuro criticar Dilma com muito mais ternura do que reservava a Lula, por exemplo. Não apenas por ser mulher, mas, confesso que também por isso.
Acho que para elegê-la, Lula arriscou tudo e quase quebra o País. Consigo perdoar isso.
Acho que Dilma, no improviso, fala por anacolutos. Consigo perdoar isso.
Acho que a pose de "gerentona" contrasta com a lassidão em relação aos deslizes de seus ministros. Outra vez está perdoada.
Porém, apoiar duplamente uma oligarquia cruel como a implantada na ilha dos Castro, isso é demais para mim.

O Pará, estado sem lei, sob o olhar de Eliane Brum em "A Amazônia, segundo um morto e um fugitivo"

Não é sempre, mas algumas vezes nos deparamos com textos para os quais, depois de lê-los duas ou três vezes, diz-se: "Este eu assinaria com prazer".
Pois o texto cujo link segue abaixo é daqueles que eu assinaria mil vezes se pudesse.
Da lavra rica de Eliane Brum, jornalista e documentarista da revista Época, "A Amazônia, segundo um morto e um fugitivo" narra uma daquelas histórias dignas de ganhar o mundo através das telas de cinema, com direito a enredo recheado de ação e aventura, uma causa nobre a defender, vilões e heróis na eterna luta do bem contra o mal e nos leva do "Riozinho do Anfrísio", que os leitores do blog conheceram aqui, até o Ipê Golf Club, da rica Ribeirão Preto e às festas de boa vibe em São Paulo, onde gente fina e bonita diverte-se usando o dinheiro auferido da atividade criminosa. Tivesse um final feliz, seria perfeito. Mas, aí seria filme e estamos aqui a falar da realidade dura e cruel na qual vivem os moradores da região de Carajás e Tapajós, abandonados pelo Estado (em todas as formas e definições), espremidos entre invasores de terra de todos os matizes e tendo que fazer a escolha entre calar e viver ou denunciar e correr para não morrer.
A reportagem conta a história de João Chupel Primo, o morto e Júnior José Guerra, o fugitivo, trabalhadores rurais que tiveram a ousadia de denunciar o uso e abuso de terras públicas por grileiros em Itaituba. A criação de gado e a extração de madeira nestas terras fazem a riqueza dos frequentadores das festas society e dos campos de golf paulistas, enquanto matam com desenvoltura nas regiões de Carajás e Tapajós. Sem a presença do Estado, são regiões dominadas pela força das armas.
Vejam bem.
Em dezembro, por ocasião do Plebiscito, tivemos a oportunidade de ao dividir o Estado do Pará em três novos estados, e começar a trazer o aparato estatal para perto dos miseráveis que morrem de acordo com tabelas atualizadas periodicamente pela pistolagem. Infelizmente, graças à intervenção destrambelhada e pseudo emocional de Jatene e sua corriola (formada por políticos e grandes grupos econômicos da capital do Pará, além de uma parcela da esquerda tola), Belém, a metrópole que nos domina sem governar, disse não para Carajás e Tapajós. Por decorrência, acabou dizendo sim à barbárie continuada.
No Pará ingovernável e sem recursos, o copo de cólera continua a encher. De um lado, fazendeiros reclamam, com razão, da leniência e quase preguiça do Governo do Estado em combater invasões de terras e cumprir mandados de reintegração de posse. De outro lado, são os movimentos sociais que demonstram o recorde paraense em mortes no campo, retrato do abandono e do descaso.
Peço a vocês que leiam com atenção a fantástica história verídica contada por Eliane Brum. Adianto apenas que não esperem o final feliz. Aqui na Amazônia o bem não vence o Mal. Aqui a "cavalaria" não chega no último segundo para salvar o combatente solitário. Não esperem aquela última tomada idílica do herói passeando de mãos dadas com esposa e filhos por uma campina verdejante, enquanto uma música melosa embala os créditos da fita. Isso aqui é Carajás e Tapajós, partes destroçadas de um estado sem lei. Aqui o denunciante registra BO na "especializada" e é mandado de volta para junto de seu algoz. Aqui o denunciante foge constantemente porque sabe que se parar, morre. E o Estado (em todas as suas formas), o que faz? Como sempre, nada!
Aqui o link da matéria de Época.

Governador Marconi Perillo, de Goiás, tem confirmado o diagnóstico de dengue


A  dengue, tal qual o pop, não poupa ninguém. E durante o mês de janeiro, quando a incidência dos mosquitos transmissores dispara em função da mudança climática, são muitos aqueles que percebem não poder escapar da doença.
O famoso da vez a ficar de cama, por conta da picada do Aedes Aegipty, é o governador de Goiás Marconi Perillo (PSDB).
Perillo deverá ficar afastado das atividades oficiais até pelo menos o início da semana que vem para tratamento médico.
Não custa lembrar que a dengue pode matar.
E que é fácil combatê-la.
Basta manter livre sua casa de focos de proliferação da larva do mosquito como latas e garrafas com água acumulada, manter caixas d'água e baldes devidamente tampados e cobrir com terra vasos com plantas.
É simples, fácil e pode evitar sérios transtornos e até a morte. Órgãos oficiais devem contribuir com o combate à dengue, mas é inegável que a iniciativa de cada cidadão é fundamental.

Promotores ajuízam ação contra Mário Couto e mais 10. É o time do "Tapiocouto"!





No Diário Online, ontem (30):
O Ministério Público do Estado (MPE), por meio dos promotores de justiça Nelson Pereira Medrado e Arnaldo Célio da Costa Azevedo, ajuizou, hoje, nova ação civil pública por fraudes na Assembleia Legislativa do Estado (Alepa). Desta vez, o alvo são onze pessoas acusadas de desviarem, por meio de um esquema que fraudava as licitações de obras, mais de treze milhões de reais do erário. A ação requer o ressarcimento dos danos causados aos cofres públicos e a responsabilização de todos os envolvidos por ato de improbidade administrativa.
O esquema criminoso desvendado pelo MPE - conhecido na imprensa paraense como “Tapiocouto” – consistia em uma série de fraudes nas licitações na Comissão Especial de Licitação de Obras (Celo/Alepa), entre o período de 2004 até janeiro de 2007. Ao todo, foram identificadas fraudes em cento e um procedimentos licitatórios para a contratação de serviços de engenharia no único prédio daquele poder e que, no período apontado atingiu o montante de R$-13.310.502,72.
As investigações realizadas pelo MPE, após colher uma série de documentos e depoimentos, concluíram que onze pessoas participavam desse esquema e por isso são citadas na ação: o ex-presidente da casa Mario Couto Filho, Haroldo Martins e Silva, Cilene Lisboa Couto Marques, Rosana Cristina Barletta de Castro, Augusto José Alencar Gambôa, Dirceu Raymundo da Rocha Pinto Marques, Sandra Lúcia Oliveira Feijó, Daura Irene Xavier Hage, Sandro Rogério Nogueira Sousa Matos, Jorge Kleber Varela Serra e Sérgio Duboc Moreira.
As fraudes identificadas incluíram a montagem e o direcionamento das licitações. Assinaturas eram falsificadas e empresas que sequer haviam tomado conhecimento dos processos licitatórios apareciam como participantes. Com isso, acontecia o favorecimento de pessoas e empresas, causando uma grande sangria no erário.
“Interessante situação é demonstrada no procedimento licitatório nº 014/06–Celo/Alepa, pois segundo o depoimento do Sr. Nilson Miguel Amaral de Jesus, representante legal da empresa Corpenge Ltda, este mostrou surpresa ao ver o objeto da licitação acima referido, pois sua empresa sequer vendia o tipo de material apresentado no certame, trabalhando exclusivamente na prestação de serviço elétrico e hidráulico. Sendo que o mesmo também negou ser sua a assinatura no requerimento de habilitação da Corpenge na licitação”, exemplificam os promotores de justiça Nelson Medrado e Arnaldo Azevedo.
A ação civil protocolada, inclusive, mostra com detalhes dezenas de outros exemplos nos quais os representantes das empresas ouvidas pelo Ministério Público sequer reconhecem como suas as assinaturas nas propostas dos processos licitatórios analisados. “Idêntica situação foi verificada nas declarações do sr. José Maria Vasconcelos Ribeiro, sócio e representante da empresa Seta Engenharia Ltda, sobre o procedimento licitatório nº 036/06–Celo/Alepa, pois ele não reconheceu as assinaturas e rubricas constantes do certame, negando ter participado do mesmo”, citam.
No pedido, o Ministério Público do Estado pede a condenação solidária dos réus ao ressarcimento integral do dano causado ao erário, no valor de R$-13.310.502,72 - referente aos períodos de 2004 a janeiro de 2007 - e às sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa, como perda da função publica, suspensão dos direitos políticos, proibição de contratar com a administração pública, pagamento de multa, entre outras.
Tudo começou por meio de inquérito civil, instaurado pelo Ministério Público do Estado em junho de 2011, para apurar irregularidades na gestão de pessoal e financeira da Alepa, após chegarem informações de que haveria contratação irregular de pessoal; inclusão de interpostas pessoas na folha de servidores da Casa de Leis para apropriação de seus vencimentos; aumento de vencimentos de servidores de forma fraudulenta; fraudes em licitações; dentre outros ilícitos apontados como ocorrentes na Alepa.
Em diligência realizada pelo Ministério Público e em cumprimento a Mandado Judicial de Busca e Apreensão, foi apreendido no Gabinete do ex-servidor da Alepa, Sérgio Duboc Moreira, no Detran, documentos referentes a quatro procedimentos licitatórios. para a locação de serviços de obras de engenharia no prédio da instituição, no ano de 2006. Como eram documentos públicos, jamais poderiam ser retirados da Alepa, e a posse desses procedimentos licitatórios por ex-servidor responsável pelo financeiro do órgão indicava possível irregularidade nos procedimentos, com a montagem e o direcionamento dos certames, confirmando as notícias de fraude já existentes.
A partir do exame dessas licitações apreendidas no prédio do Detran, descobriu-se um grandioso ajuste entre os envolvidos para fraudar os procedimentos licitatórios, direcionando seus resultados a empresas que, ou estavam previamente ajustadas com os citados na ação civil para vencer os procedimentos ou, outras vezes, sequer sabiam que estavam concorrendo em certames na Alepa, o que foi comprovado pelos depoimentos.

Cubanos contrários aos Castro dizem à imprensa brasileira não acreditar que Direitos Humanos sejam discutidos por Dilma em Cuba.



Dissidentes cubanos aproveitaram a presença da imprensa brasileira em Cuba, para a cobertura da visita da presidenta Dilma Rousseff à ilha caribenha hoje (30), a fim de passar uma versão "não oficial" sobre a morte do ativista Wilman Villar. Em uma entrevista coletiva de imprensa, organizada pelo grupo dissidente União Patriótica de Cuba, a viúva de Villar, Maritza Pelegrino, disse rejeitar a versão do governo cubano que considerou Villar um "preso comum", condenado por violência doméstica.
"Ele não era um bandido", declarou várias vezes a viúva, que negou ter sofrido violência doméstica. Villar foi preso em julho de 2011 quando os dois estavam em uma disputa judicial e libertado três dias depois. Ele morreu no último dia 19 de janeiro após uma greve de fome que iniciou na prisão.
O governo cubano nega a greve de fome e que Villar era um dissidente. No entanto, de acordo com Maritza Pelegrino, o seu marido era contra o governo cubano por causa da morte de seu pai em uma prisão, ocorrida há cinco anos.
Durante a entrevista, o líder do grupo dissidente José Daniel Ferrer disse não acreditar que Dilma Rousseff irá tratar de assuntos relacionados aos Direitos Humanos. Segundo ele, a presidente sabe dos problemas existentes em relação às liberdades individuais em Cuba, mas que não falará sobre o assunto com as autoridades cubanas.
"Acho que, no pessoal, ela pode estar preocupada com o que acontece em Cuba em matéria de direitos humanos. Mas não espero que ela trate o caso de Wilman Villar abertamente", disse Ferrer. "Há outros interesses, outras questões envolvidas, e acho que isso ficará para trás”, completou.
Dilma Rousseff chegou há pouco em Havana. Amanhã (31), ela vai se encontrar com o presidente Raul Castro e também com Fidel Castro, em horário ainda não confirmado pelo Palácio do Planalto. Além das reuniões, Dilma levará flores ao monumento em homenagem ao herói da revolução cubana, José Marti, e visitará o Porto de Mariel, onde o Brasil faz investimentos de ampliação e modernização. Um mimo de R$ 1,37 bi do governo brasileiro aos facinorosos irmãos Castro. Sobre a possibilidade de Dilma encontrar-se com dissidentes, nem se fala. Como se sabe, essa história de defender os Direitos Humanos é bom para fazer discurso com viés eleitoral à luz dos fatos ocorridos no "Pinheirinho". Em Cuba, isso não se discute!
Dilma chega a Cuba em um momento de "grandes" mudanças no cenário político do país, após o pacote com cerca de 300 alterações anunciadas pelo governo. Entre essas alterações está, acredite, a que permite a venda e compra de casas e carros, além da "espantosa" decisão do Partido Comunista de limitar em no máximo dez anos o mandato presidencial. O presidente Raul Castro também vem adotando um discurso de combate à corrupção. Acredite, se puder!

Invasão é crime e a sociedade não abre mão disso”, diz Kátia Abreu em festa do agronegócio no RJ


A presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), senadora Kátia Abreu (PSD-TO), disse hoje (30), no Rio de Janeiro, que a insegurança jurídica e a logística no país, que considerou “impraticável”, são desafios que o Brasil terá de vencer para que o agronegócio possa prosperar ainda mais.
“O grande desafio é planejar o agronegócio para 2020, tentar minimizar os gargalos para que nós possamos chegar lá como o maior produtor e maior exportador de alimentos do mundo. E nós temos condições para isso, de forma sustentável, sem precisar desmatar uma árvore. Basta nós implementarmos fertilização nas nossas áreas, elaborarmos grandes planos de negócios, direcionarmos os produtores para as atividades corretas, que nós podemos aumentar a produção”.
A senadora participou de solenidade comemorativa dos 115 anos da Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), que foi o berço da CNA.
Destacou que documentos, decretos e instruções normativas, “que o governo emite todos os dias”, agravam a questão da insegurança jurídica no que diz respeito, por exemplo, às invasões de fazendas e ações do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Mas reconheceu que esses problemas têm sido minimizados pelo enfraquecimento do movimento, “devido ao descrédito que ele tem hoje na sociedade. Invasão é crime e a sociedade não abre mão disso”.
O crescimento da China em 2011, em torno de 8,5% não deve alterar as exportações brasileiras de alimentos, avaliou Kátia Abreu. Mas os preços internacionais não devem se sustentar. "Poderá ter uma queda [nos preços] das commodities. Isso é uma coisa natural que aconteça. Mas nós precisamos estar preparados para isso, porque crise é crise”.
Segundo a Agência Brasil, Kátia Abreu afirmou que a presidente Dilma Rousseff a tem surpreendido de forma positiva na construção de um novo modelo de política agrícola para o país. Criticou, porém, que as preocupações do Executivo têm se concentrado ainda nas contingências de curto prazo, como câmbio, crédito e inflação, deixando de lado “questões cruciais, estruturais”.
“Se não partirmos para as reformas estruturantes”, como as reformas política, da Previdência e tributária, “o Brasil não vai andar como deveria”.
A senadora aproveitou a solenidade para criticar alguns órgão do governo federal que, na opinião dela, não cumprem o apapel que a sociedade espera e acabam se envolvendo em escândalos. Para ela, o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) e a Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), entre outros, servem apenas “para desvio de recursos” e para nomeação de pessoas que não têm projetos nem compromissos com o país.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Jornalistas norte americanos colocam PELÉ em 4º na relação de melhores de todos os tempos. Ah, coitados!


Quanta imbecilidade e desinformação são necessárias para entupir o ralo do mundo?
Dez jornalistas norte americanos chegaram bem perto de atingir a cota máxima permitida de idiotice ao afirmarem que Pelé é apenas o 4º melhor jogador de futebol de todos os tempos, atrás de coisas como Messi e Maradona!
A revista Sports Illustrated é a responsável pelo absurdo, quiçá heresia. Quem informa é Ricado Setti, jornalista de Veja.
Talvez não seja o caso de Dilma chamar de volta nosso embaixador em Washington, mas deve exigir, no mínimo, uma estadia de 30 anos em Guantánamo para esses desinformados! E em companhia de Don Dieguito!
Vocês vão dizer que os caras ainda jogam futebol com as mãos e a bola que usam é oval, e coisa e tal. Conversa! Vão para Guantánamo do mesmo jeito!
Recomenda-se ainda que sejam enviadas com urgência milhares de cópias dos vídeos "Isto é Pelé" e "Pelé Eterno" para distribuição nas escolas americanas. Essas crianças estão correndo sérios riscos em sua educação caso essa heresia da Sports Illustrated continue sendo disseminada!
Eu e Dianinha, a SRD mais linda do Mundo, já estamos preparando nossas faixas: "Yankees, go hell!" e "SHUT UP!" 
O link da matéria de Setti está aqui.
E para que nossos "coleguinhos" gringos caiam na real seguem algumas frase sobre Pelé, do site “Futebol Amador de Minas” (http://www.futebolamadordeminas.com/craque10.htm):

“Como se soletra Pelé? D-E-U-S.”
(The Sunday Times, jornal londrino)

”Se Pelé năo tivesse nascido um homem, teria nascido uma bola.”
(Armando Nogueira, jornalista brasileiro)

”Marcar mil gols, como Pelé, năo é tăo difícil. Marcar um gol como Pelé é.”
(Carlos Drummond de Andrade, poeta brasileiro)

”Após o quinto gol, eu queria era aplaudi-lo.”
(Sigge Parling, zagueiro sueco encarregado de marcar Pelé durante a final da Copa de 58)

”Eu pensei: ‘ele é feito de carne e osso, como eu.’ Eu me enganei.”
(Tarciso Burnigch, zagueiro italiano que marcou Pelé na final da Copa de 70)

”Cara, como vocę é popular!”
(Robert Redford, após presenciar Pelé dando dezenas de autógrafos em Nova York, enquanto ninguém lhe pediu um sequer)

”Muito prazer, sou o presidente dos Estados Unidos. Vocę năo precisa se apresentar, porque Pelé todo mundo sabe quem é”
(Ronald Reagan, presidente dos Estados Unidos na décade de 80, ao receber Pelé na Casa Branca)

Supremo não se curva às pressões, diz Marco Aurélio


O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou ontem que a Corte tem de atuar de forma independente, não se curvando a pressões e ao clamor público. "Vamos atuar pouco importando o aplauso ou a crítica", disse, ao ser indagado sobre declarações de magistrados de que por trás da crise do Judiciário estaria o processo do mensalão.
Durante encontro em Teresina, como revelou ontem o Estado, presidentes dos Tribunais de Justiça do País afirmaram que o STF está "emparedado" e sugeriram que "alguns réus" do mensalão estariam atuando para desestabilizar a Corte.
O ministro foi direto: "Nessa quadra psicodélica, tudo é possível". Procurado por meio de sua assessoria, o presidente do STF, Cezar Peluso, não quis comentar as manifestações feitas pelos magistrados. Para Marco Aurélio, ao contrário do que deveria ser, existe atualmente no Supremo "uma preocupação muito grande em relação à repercussão das decisões".
"O dia em que atuarmos de acordo com o clamor público estaremos mal", afirmou. O ministro lembrou que já disse no plenário do STF que a magistratura está intimidada. "Será que o Supremo também está?"
Ele citou o fato de o tribunal não ter julgado no ano passado a Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) que questiona o poder do CNJ de iniciar, por conta própria, investigações contra magistrados suspeitos de envolvimento com irregularidades, apesar de ela ter sido colocada na pauta semanas antes.
"Qual foi a sinalização quando deixou de chamar a Adin (do CNJ)? Qual é a leitura que se faz? Só o ingênuo não percebe", afirmou. Diante do fato de o plenário não ter julgado o processo, Marco Aurélio decidiu sozinho o pedido de liminar, determinando que o CNJ inicie investigações contra magistrados somente após os tribunais locais já terem apurado as suspeitas.

Na véspera de julgamento polêmico, Eliana Calmon diz que corregedorias são "ilhas isoladas"




Amanhã (31), o Supremo Tribunal Federal (STF) começa a decidir quem pode começar investigações contra magistrados (a corregedoria nacional ou as corregedorias locais). Hoje (30), a corregedora Eliana Calmon voltou a comentar a atuação das corregedorias e afirmou que os órgãos encarregados nos tribunais de apurar as suspeitas "atuam como ilhas isoladas". E pregou a união entre os órgãos para evitar o desperdício de forças.
A corregedora não quis falar especificamente sobre o julgamento que poderá limitar os poderes de investigação do Conselho Nacional de Justiça. "Eu digo que aguardo silenciosamente e serenamente a decisão do Supremo Tribunal Federal", afirmou.
Mas, durante discurso que fez na cerimônia de lançamento de um sistema de pagamento de dívidas trabalhistas por meio de cartões de crédito e débito, ela comentou que há uma falta de sintonia das corregedorias.
Segundo a Agência Estado, depois da solenidade, Eliana explicou: "Como estamos em situação geográfica bastante distante, nós temos sempre e sempre de estar lembrando que somos únicos e que estamos unidos, sim", afirmou. "Então essas corregedorias muitas vezes trabalham e não têm essa sintonia com a corregedoria nacional."
Eliana garantiu que desde que assumiu a corregedoria no CNJ adotou "uma política de união". "Inclusive fiz algumas reuniões com todos os corregedores para nós nos unirmos e partirmos para uma ofensiva única." Ela contou que em dezembro estabeleceu metas para as corregedorias e que uma delas foi a "união de esforços" para não desperdiçar forças.
Na sessão de terça-feira, os 11 integrantes do STF decidirão se será ou não mantida uma liminar concedida em dezembro pelo ministro Marco Aurélio Mello, que determinou ao CNJ que somente inicie investigações contra magistrados após os tribunais locais já terem apurado as suspeitas.
Em consequência da decisão, a corregedoria no CNJ ficou impedida de abrir por conta própria investigações contra juízes suspeitos de envolvimento com irregularidades. Antes de tomar qualquer iniciativa, ela tem de esperar os pronunciamentos das corregedorias estaduais.

Na primeira pesquisa de 2012, só Serra derrota Russomano em São Paulo. Lula é o maior "eleitor", diz Datafolha


A primeira pesquisa Datafolha de 2012 sobre a disputa eleitoral na cidade de São Paulo aponta para um cenário parecido ao registrado em dezembro de 2011, com alto índice de desconhecimento do eleitor sobre a disputa, cenário no qual se sobressaem os nomes mais conhecidos do eleitor. O levantamento foi realizado nos dias 26 e 27 de janeiro com 1090 moradores da capital paulista com 16 anos ou mais. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. Celso Russomano (PRB) aparece sempre à frente, menos quando o candidato tucano é José Serra. Neste caso, Russomano fica com 19% das intenções de voto e José Serra aparece com 21%.
Lula mantém-se como o grande cabo eleitoral desta eleições. Nada menos que 49% dos paulistanos dizem que poderiam votar em um candidato apoiado pelo ex-presidente. Isso, claro, deixa "Painho" todo prosa! Ou seja, o destino de Haddad (com irrisórios 4%) está nas mãos de Lula.

Governo Federal libera mais R$ 900 mil para ajuda a imigrantes no Acre e no Amazonas


O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, enfim, resolveu mexer-se e vai repassar mais R$ 900 mil aos estados do Acre e do Amazonas para a elaboração de programas de assistência aos imigrantes haitianos. A portaria está publicada no Diário Oficial da União de hoje (30).
Os recursos foram calculados com base no número de haitianos que cada estado recebeu. O Amazonas, que tem 4,6 mil imigrantes, vai receber R$ 540 mil e o Acre, com o registro de 1,4 mil imigrantes, ficará com R$ 360 mil.
Segundo a Agência Brasil, essa não é a primeira liberação de recurso do governo para ajuda aos imigrantes. No dia 19, o Ministério da Saúde repassou R$ 1,3 milhão ao Acre. Os recursos deverão ser usados nos serviços de saúde destinados ao atendimento dos haitianos.
Nos últimos meses, milhares de haitianos entraram no Brasil para fugir da miséria e do caos em da terra natal, arrasada por um terremoto em 2010. Os imigrantes entram, em maioria, por Tabatinga, no Amazonas, e Brasileia, no Acre.
O excesso de imigrantes causou problemas nas duas cidades, que não tinham condições de atender ao aumento repentino da população. Com isso, o governo brasileiro limitou a 1,2 mil o número de haitianos que podem entrar no país por ano. O visto é concedido por razões humanitárias e tem prazo de cinco anos. A informação constará da Cédula de Identidade do Estrangeiro.
Cada visto permite ao cidadão haitiano trazer a mulher, marido ou companheiro, pai e mãe, além dos filhos com menos de 24 anos, desde que sejam solteiros, estudantes e dependentes financeiramente. O estrangeiro que entra no Brasil sem visto corre o risco de ser deportado.

Goiânia é a 4ª cidade mais barata para comer fora, diz Datafolha


Uma pesquisa divulgada pelo instituto Datafolha na última sexta-feira (27), apontou Goiânia como a 4ª capital com preço médio de refeição mais barata do país. Segundo os dados, o valor cobrado em restaurantes por quilo é em torno de R$ 23,56 kg.
O resultado mostrou que os restaurantes da cidade estão mais caros apenas que os de Manaus (AM), onde o preço ficou em média R$ 23,48, em seguida Campo Grande (MS), com R$ 22,59 e Cuiabá (MT), com R$ 20,18.
Entretanto, os consumidores queixam sobre o reajuste neste ano. “Comer fora de casa está pesando mais no bolso, mas não posso deixar de fazer esse tipo de programa com a família”, declara o motorista João Sacramento Silva. Já o empresário Adelino Lessa, afirma que mesmo com o aumento opta por comer em restaurantes. “A gasolina está muito cara. Se tiver que sair do trabalho para almoçar em casa não compensa”, declara.
Porém, o empresário Robsten Antunes, que é proprietário de um restaurante no Centro de Goiânia, ressalta que a capital não acompanhou a inflação de 40%. “Vários restaurantes tiveram o aumento abaixo da inflação, onde foi gerado apenas 20% no valor final”, explica o empresário.
De acordo com o economista Paulo Borges, algumas medidas devem ser adotadas na hora de escolher entre almoçar em casa ou fora. “Alguns fatores devem ser levados em conta como a distância percorrida, tempo de percurso, o tamanho da família, entre outros detalhes. Porém, comer fora de casa ainda é a melhor decisão, desde que seja um restaurante por quilo”, afirma o economista, que conclui: “Quem decide se alimentar em um restaurante deve diminuir as compras mensais no supermercado para não dobrar os gastos”.
Na pesquisa do Instituto Datafolha foi constatado que o brasileiro gasta em média R$ 27,46 para fazer refeição fora de casa. Belém segue como uma das cinco mais caras.

Aguinaldo Ribeiro deve substituir Negromonte no Ministério das Cidades, diz PP


Quem já houve soar os passos do carrasco é o ministro das Cidades, Mário Negromonte. Desde novembro do ano passado, Negromonte frequenta a relação dos "marcados para cair" na Esplanada em Brasília. Conforme o blog mostrou aqui, Negromonte está envolvido no superfaturamento de um veículo leve sobre trilhos a ser implantado em Cuiabá. Cerca de R$ 700 milhões a mais seriam gastos no empreendimento. Um assessor do ministério das Cidades foi responsabilizado pela falcatrua e mandado embora recentmente. Mas, isso foi considerado pouco pelo Planalto e Dilma quer a cabeça de Negromonte. Aparentemente, o líder do PP na Câmara, deputado Aguinaldo Ribeiro (PB), não só está disposto a decapitar o colega de partido, como pretende ocupar o seu lugar no ministério. No fim da última semana, ele se encontrou com a presidente Dilma Rousseff para tratar da substituição de Negromonte. De acordo com parlamentares do PP e de outros partidos da base aliada, a presidente não teria, ainda, convidado Ribeiro para o cargo durante essa reunião. Teria apenas combinado de voltar a falar com ele quando voltar de sua viagem à América Central, nesta quinta-feira. Foi as bancadas de diversos partidos já interpretam que Ribeiro deverá mesmo ser indicado para o cargo.

Passado o Plebiscito, "Condomínio Pará" de Jatene vive grave crise





















Aparentemente, acabou o clima de "mãos e corações unidos" que cimentou a construção do "Condomínio Pará", aquele que Jatene, o Califa de Belém, imaginou ter construído de forma sólida com a colaboração do PMDB.
Depois da unidade tecida para derrotar Carajás e Tapajós, os donos do Pará agora dilaceram-se pelo controle da capital, Belém e da segunda maior cidade, Ananindeua. Tudo isso de olho em 2014.
Jáder de volta ao Senado é a garantia de que está em curso o "Projeto Helder", que pretende levar de volta ao poder estadual a família Barbalho em sua mais nova formatação, quem sabe já em 2014.
Para isso, Pioneiro (PSDB), que tudo indica tem telhado de vidro, não pode ter vida fácil e José Priante (PMDB) precisa concorrer à prefeitura de Belém.
O PMDB, então, começa a preparar seu desembarque do governo tucano e ameaça arrastá-lo para uma crise de grandes proporções.
É dentro deste contexto que devem ser analisados os últimos eventos.
O senador Mário Couto(PSDB), escudeiro de Jatene, já está na mira da Justiça envolvido no chamado "escândalo da ALEPA", depois que, afinal de contas, percebeu-se que Juvenil (PMDB), não poderia assumir toda a bronca sozinho.
Agora é a vez da deputada estadual Simone Morgado (PMDB), rasgar a fantasia e denunciar falcatruas na gestão do tucano Manoel Pioneiro à frente da ALEPA e com isso ameaça detonar de vez as frágeis estruturas do governo tucano no Pará.
Vejam a seguir a reportagem do Diário do Pará que trata do mais novo escândalo envolvendo a base aliada de Jatene na ALEPA:

Plenário morno, mas bastidores devem ferver na volta dos senadores ao trabalho


O Congresso Nacional retoma esta semana os trabalhos legislativos. Mas, nada de votações ou audiências públicas. As coisas lá por Brasília devem começar a engrenar na próxima semana e logo toda a atividade será interrompida para o Carnaval. Como as eleições municipais contarão com a participação efetiva da grande maioria dos membros das duas Casas, no primeiro semestre teremos apenas março e abril com atividade mais intensa. Ai, casa cheia mesmo só depois do pleito de outubro. Teremos assim em 2012 o incrível ano de 4 meses!
Para cumprir o protocolo, a bela ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, deve comparecer ao Senado na quinta-feira (2), às 16h, para entregar oficialmente a mensagem presidencial de abertura do ano legislativo. No texto, Dilma Rousseff apresentará as perspectivas e prioridades de governo para 2012. No ano passado, por exemplo, ela defendeu a aprovação das reformas política e tributária pelo Congresso, que não andaram um metro, além da preservação das regras de reajuste do salário mínimo.
Como nenhuma comissão funcionará no decorrer da semana, alguns partidos dedicarão esse tempo para contornar problemas nas bancadas. Esse é o caso dos senadores do PT que precisam definir o rodízio nos cargos de primeiro-vice-presidente e nas presidências das comissões de Assuntos Econômicos (CAE) e de Direitos Humanos (CDH) será cumprido ou não. A reunião está marcada para amanhã (31), a partir das 12h.
No ano passado, para evitar um racha na bancada, os petistas comprometeram-se com o rodízio dos cargos. Dessa forma, Marta Sulplicy (SP), entregaria o cargo em 2012 para José Pimentel (CE). Na CAE, Delcídio Amaral (MS) passaria a presidência para Eduardo Suplicy (SP) e, na CDH, o gaúcho Paulo Paim deixaria a presidência dando lugar para Ana Rita (ES). Mas, Marta não quer nem ouvir falar em largar o osso. Quem assiste à TV Senado sabe o quanto a sexóloga gosta de dar vazão ao seu elevado senso de autoridade e dar pitos em seus colegas! Além disso, é claro, as benesses do cargo têm grande participação no apego exacerbado da loura ao cargo. Como vice do Senado, os ganhos da senadora petista quadruplicam, além do naco de poder considerável que exerce. Por fim, Marta calcula que o PT, contraiu uma certa dívida ao lhe puxar o tapete em relação à candidatura à prefeitura de S.Paulo e não quer facilitar o cumprimento do acordo.
A coisa fica ainda mais complicada para a turma da estrela com a atitude de Pimentel, que cobra ostensivamente o cumprimento do acordo e ameaça usar até mesmo a tribuna do Senado para garantir assento na segunda cadeira do Senado. Encrenca para mais de metro para a bancada resolver. O líder do DEM, Demóstenes Torres (GO), que se manterá na função por mais um ano, disse que caso o PT insista nesse rodízio entrará requerimento de anulação no Ministério Público.
A bancada petista também deverá definir o novo líder do partido no Senado, atualmente ocupada por Humberto Costa (PE). Já se apresentaram como candidatos os senadores Wellington Dias (PI) e Walter Pinheiro (BA).
O PMDB também manterá Renan Calheiros (AL) na coordenação da bancada. O mesmo ocorrerá com o PTB, sob o comando de Gim Argello (DF); e no PSDB, que tem como líder no Senado Álvaro Dias (PR).
Para a próxima semana, o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Eunício Oliveira (CE), disse que colocará em votação as matérias remanescentes de 2011, entre elas o Estatuto da Juventude. Logo após o Carnaval, ele pretende votar também a proposta de emenda à Constituição (PEC) que dá mais poderes ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Como se trata de matéria polêmica, Eunício Oliveira, defende uma série de audiências públicas para debater o assunto, no transcorrer deste mês.
Ou seja, ainda que no Plenário as coisas pareçam um tanto frias, nos bastidores o Congresso deve pegar fogo.

Nas páginas de Época, Graça Foster vê publicado mais um capítulo de "Esta é sua Vida"

Tenho como grande amigo Ademir Paulo Dan, o "Juca", político da melhor qualidade e um daqueles casos raros de lideranças que passam invictas pela vida pública. Quatro mandatos de vereador nas costas o fizeram um sábio nos lidares da política, principalmente nas disputas mais encardidas, aquelas travadas pelos vereadores e candidatos ao cargo. Nessas refregas, o contato direto com o eleitor não permite muita margem de manobra. Uma palavra errada ou um aperto de mão um pouco mais frouxo, e não há media training que recupere o voto perdido. Uma dureza!
Pois bem, Juca contou-me certa vez a história de um rapaz esforçado que, tendo perdido o pai tragicamente, cresceu em lar adotivo sem conhecer a mãe ou irmãos, conseguiu formar-se em direito e passou a exercer a profissão de advogado sempre focado em ajudar os pobres e desvalidos. Tantas boas ações fez que acabou candidato à vereador. Duas semanas de campanha foram suficientes para que tivesse notícias da família inteira. Descobriu-se que o pai foi notório ladrão e morreu assassinado pelos comparsas; a mãe exercia a profissão mais antiga do mundo em uma cidade vizinha e era extremamente famosa entre os frequentadores do mafuá no qual fazia ponto; a irmã (sim, ele tinha uma irmã), seguia os passos da mãe com igual ou maior desenvoltura; e para completar, soube-se que o diploma do rapaz era fruto de fraude, uma vez que o pai adotivo havia-lhe comprado a vaga na universidade. Não precisa dizer que campanha e carreira foram pelo ralo e do rapaz não se ouviu falar mais.
Conto a historinha apenas para referir os atuais atropelos por que passa a carreira de Maria das Graças Foster, que em fevereiro deverá assumir a presidência da Petrobras. Depois do anúncio de sua indicação noticiada aqui, Foster vem alcançando uma grande notoriedade. Pena que nem sempre do ponto de vista favorável. A empresa do marido de Foster firmou mais de 40 contratos com a Petrobras, algo que, ainda que seja legal, não parece muito legítimo.
Agora é a revista Época que mostra um fato curioso. Segundo a reportagem da revista, quando Dilma, em janeiro de 2003, foi nomeada ministra de Minas e Energia no primeiro governo Lula, a atual presidente chamou Maria das Graças Foster para ocupar o cargo de secretária de Petróleo e Gás do ministério, onde ficou por mais de dois anos. Esse período guarda, no entanto, um episódio suspeito. Em 2004, de acordo com documentos oficiais da Petrobras obtidos com exclusividade por ÉPOCA, Maria das Graças ganhou uma nomeação retroativa na empresa. Um memorando datado de 11 de março de 2004 promove a química de petróleo sênior Maria das Graças Pena Silva (nome de solteira da futura presidente da Petrobras), que exercia na empresa o posto de gerente de tecnologia, ao cargo de confiança de gerente da unidade de Gás Natural da CEG Rio. Trata-se da companhia de distribuição de gás do Rio de Janeiro, empresa na qual a Petrobras detém participação via Gaspetro. O que há de mais estranho é que a data da nomeação é anterior à do memorando: 29 de janeiro de 2003. Maria das Graças ocuparia o cargo de outra funcionária, Lecy Pires Colnaghi.
Segundo juristas, esse ato de nomeação retroativa constitui, por si só, uma ilegalidade. “Não existe nomeação retroativa. A única hipótese seria por decisão judicial porque a pessoa tinha direito a um cargo, não tomou posse e teve o direito reconhecido, o que obriga o pagamento retroativo. Do contrário, é um ato ilegal”, diz o procurador da República no Tribunal de Contas da União (TCU) Julio Marcelo de Oliveira. Quem executou a operação foi Djalma Rodrigues de Souza, então gerente executivo de Gás Natural da Petrobras – personagem que mais tarde ficaria conhecido por ser afilhado de Severino Cavalcanti, o folclórico ex-presidente da Câmara dos Deputados que renunciou ao cargo em meio a denúncias de recebimento de propina. Foi para Djalma que Severino reivindicou um cargo de diretor da Petrobras, com a frase que ficou célebre: “Não quero uma diretoria qualquer, e sim uma diretoria que fura poço”.
Por outro lado, uma parte da biografia da futura presidente da Petrobras parece um tanto obscura. Ela diz ter sido "catadora de latas e garrafas". Isso parece não ser bem verdade. Esta parte foi, digamos assim, introduzida na história para dar-lhe um certo ar triunfalista (como se não fosse suficiente a trajetória de executiva de sucesso que Foster ostenta).
A nomeação de Foster atende certos interesses. Não é de hoje que sabe-se da existência da queda de braço entre Dilma e Zé Dirceu, que mesmo nas sombras, consegue manter-se influente no governo federal. Sérgio Gabrielli, atual presidente da Petrobras e de quem Dilma quer ver-se livre, era do time de Dirceu. Foster na Petrobras deverá mudar grande parte da diretoria da estatal e nomear José Eduardo Dutra, coordenador da campanha de Dilma, para uma dessas cobiçadas vagas. Dirceu, claro, não anda feliz com isso e não será de espantar que, até fevereiro chegar, novas e nada alvissareiras notícias tenhamos sobre Graça Foster.
Ela que fique esperta ou o cargo e a carreira podem ter o mesmo destino da campanha do desafortunado candidato da história contada por Juca.

Podem existir mais de 50 mil pessoas sob regime de trabalho escravo, diz MPT


O coordenador da Campanha Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, vinculado ao Ministério Público do Trabalho, frei Xavier Plassat, estima que, no país, haja de 20 a 50 mil pessoas exercendo atividades em condições análogas à escravidão.
“Na verdade, libertar escravos não basta para acabar com o problema, mas o Brasil está mostrando uma boa capacidade em atacar a questão, por meio de um grupo móvel de fiscalização bem eficiente. Mas [infelizmente, o governo] não consegue apurar todas as denúncias porque o território é muito grande”, disse Xavier durante debate no programa Revista Brasil, da Rádio Nacional, na última sexta-feira (27), véspera do Dia de Combate ao Trabalho Escravo.
Xavier acrescentou ainda que entre as agravantes do problema estão a pobreza e a miséria. No Brasil, muitas famílias vivem nessa situação, lembrou o frei. Sem condições ideais de trabalho, as pessoas se submetem à exploração.
“[Essas pessoas] tiveram apenas os direitos básicos assegurados. Na hora de pegar um serviço, pegam qualquer um. Para essas pessoas isso é melhor que nada. [Mas] acabam sendo levadas para uma situação de impunidade, ganância e miséria. Temos aí um conjunto que precisa ser atacado, se não a gente não resolve o problema”, disse Xavier.
O coordenador nacional da Frente Parlamentar Mista de Erradicação do Trabalho Escravo, o deputado Domingos Dutra (PT- MA), defendeu a aprovação imediata da Proposta de Emenda Constitucional 438/2001, conhecida como PEC do Trabalho Escravo, determinando que a área onde for flagrado trabalho escravo seja desapropriada para fins de reforma agrária.
A proposta está arquivada na Câmara, mas o debate pode ser retomado. “Eu acho essa medida muito importante. A nossa luta este ano é desfazer esse gancho infeliz que assegura a emenda [referindo-se ao arquivamento da proposta] e levar para o plenário da Câmara”, disse Dutra (na foto acima).
Para Jonas Moreno, procurador do Trabalho, é necessário que o Parlamento se mobilize e tenha interesse redobrado no combate ao trabalho escravo para reduzir as denúncias no país. Paralelamente, ele recomenda que o governo também amplie os quadros de funcionários, principalmente o de fiscais.
“O governo precisa lançar concursos. O quadro de funcionários está defasado, da parte do MP [Ministério Público] está razoavelmente estruturado com várias procuradorias implantadas em território brasileiro. Nós recebemos muitas reclamações por parte do sindicato dos auditores sobre o quadro defasado de fiscal e também porque muitos auditores aposentaram”, disse Moreno.

Buscas por partes dos corpos de vítimas nos prédios desabados no RJ prosseguirão em depósito de entulhos


Enquanto a o Centro de Operações da Prefeitura do Rio anunciava a reabertura da Avenida 13 de Maio, local do desabamento de três prédios no dia 25 deste mês, equipes da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro decidiram que hoje (30) as buscas por vítimas na área em que desabaram os três prédios, no centro da cidade, serão realizadas, além do local onde estavam os edifícios, no depósito da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb), na Baixada Fluminense (foto acima). Há desconfiança que alguns corpos tenham sido levados com os entulhos para o depósito ou que tenham sido carbonizados.
No total, foram localizados 17 corpos, mas ainda há cinco desaparecidos. No fim de semana, o secretário de Defesa Civil do Rio, Sergio Simões, reconheceu que uma das hipóteses é que os corpos tenham sido carbonizados. Segundo ele, essa possibilidade não pode ser descartada.
Paralelamente, a prefeitura do Rio informou, em nota oficial, que o depósito da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) está sendo supervisionado por policiais militares e câmeras. A ideia é evitar o furto de objetos retirados dos escombros e levados para o local. De acordo com a prefeitura, após a conclusão do trabalho do Corpo de Bombeiros e da perícia técnica, será contratada uma empresa que ficará responsável por fazer a separação dos bens materiais que estão em meio aos escombros.
No fim de semana, foram flagradas pessoas retirando objetos dos escombros que estavam no depósito. Pelo comunicado da prefeitura, a Procuradoria Geral do Município e a Polícia Civil adotarão todas as medidas possíveis para que o processo de separação seja acompanhado pelos proprietários a fim de que os bens sejam identificados e depois liberados pelas autoridades policiais.
Policiais investigam as causas dos desabamentos. A suspeita mais provável, segundo os investigadores, é que uma obra no no 9º andar do prédio mais alto (de 20 andares) tenha provocado o acidente. A obra, de acordo com as informações preliminares, não era supervisionada por um profissional qualificado.
Os desabamentos ocorreram no dia 25 à noite e atingiram três prédios antigos da região central do Rio. Os edifícios que desabaram tinha 20, 10 e quatro andares. O menor deles estava entre os outros dois. Inicialmente, um grupo de 80 homens do Corpo de Bombeiros, com o apoio da Polícia Militar e da Defesa Civil, trabalharam na área. Ontem (29) o grupo foi reduzido a 40 homens.

domingo, 29 de janeiro de 2012

Melquíades parece não gostar de samba. Será ele um bom sujeito?



Está quase tudo pronto para o Carnaval em Marabá. Os dias 18, 19, 20 e 21 de fevereiro estão reservados para os desfiles dos blocos carnavalescos da cidade. Segundo a organização do evento, mais de 50 blocos estão se preparando para ocupar a avenida e colocar a cidade para sambar.
A folia será na Orla da Marabá Pioneira, tendo como ponto de concentração o espaço em frente à antiga Geleira Gelmar e a dispersão na Praça de SãoFélix. Estima-se que mais de 3 mil foliões participem a cada dia do desfile.
A sonorização está prevista para se estender por todo o percurso através de caixas de som e um trio elétrico deverá seguir à frente de cada bloco como forma de garantir a diversão de todos os brincantes.
As definições definitivas aparecerão apenas na próxima semana. Como sempre, o maior problema é o vil metal, na verdade, a falta dele.
Tomara que figuras como Miguel Gomes Filho, o "Miguelito", Jorge Bichara e outros abnegados consigam levantar os recursos para viabilizar o evento. 
Enquanto o Carnaval não vem, segue o agito da Domingueira na Orla que reúne grupos de pagode, sambistas da velha guarda e foliões em geral na praça de São Félix, para curtir as velhas e novas marchinhas carnavalescas. Sempre a partir das 16 horas de domingo, o evento vem ganhando cada vez mais público. Uma diversão segura e familiar que lembra os velhos carnavais e conquista adultos e crianças. Em tempos de “tecnobrega” e outras tolices, é um alívio saber que o samba continua vivo.
Vivo, mas sempre combatido.
O último ataque especulativo contra o samba vem, pasmem, do secretário de Cultura de Marabá!
Dá para acreditar que o secretário de Cultura de Marabá, Melquíades (o Lorde dessas barrancas, que ilustra a matéria na foto acima), decidiu "importar" OITO BANDAS DO ODIOSO TECNOBREGA DE BELÉM?
Acreditem! 
No meio do Carnaval, esse secretário, que parece não gostar de samba, resolveu mudar o enredo, rasgar a fantasia dos brincantes e "importar" essas tranqueiras que, nesta quadra momesca, ficam ociosos em Belém e aceitam vir buscar corrós e caraminguás destes arigós de Carajás!
Pergunto-lhes: Para quê, cazzo, precisa-se de palco, bancas de segunda linha e, ainda por cima, DE BELÉM?
Quanto custará essa brincadeira?
Por que esse recurso não foi repassado à Liga dos Blocos de Marabá?
Quem intermediou essa contratação?
Sendo necessária a presença de bandas, por que não prestigiar os grupos locais?
Com a palavra, Melquíades!
Enquanto isso, sigo cantarolando, desafinado todo, "quem não gosta de samba, bom sujeito não é! É ruim da cabeça, ou é mesmo um mané..."

Presidente da Colônia de Pescadores Z-30 alerta para risco de crise do setor na região de Marabá


A pesca predatória, praticada por tantos anos nos rios que banham Marabá, começa a cobrar seu preço. E a fatura é alta. O presidente da Colônia Z-30, Antônio “Bibi” Rodrigues Dias, lembra que das 26 espécies nativas dos rios do entorno de Marabá, apenas seis espécies continuam sendo exploradas comercialmente. O esforço de captura consegue alcançar pouco mais de 15 toneladas por mês. Muito pouco para suprir uma demanda crescente e que hoje passa de 40 toneladas.
A situação é tão grave que o repovoamento dos rios da região somente seria possível com a suspensão da pesca comercial por mais de seis anos. Situação parecida vive a região do Lago de Tucuruí. A captura intensiva fez minguar os cardumes e apenas um “defeso” (período no qual é vedada a pesca), de no mínimo dez anos seria capaz de reequilibrar o ecossistema daquela região.
Mas, medidas como essas esbarram na necessidade de sobrevivência de uma enorme quantidade de famílias que vivem exclusivamente da pesca. A alternativa é incentivar a produção em projetos de piscicultura, capazes de suprir a demanda e, no futuro, quem sabe, servir como item de exportação. “Apenas iniciativas como a implantação de projetos de criação em tanques-rede e tanques-terra, hoje incentivadas pela SEAGRI e Ministério da Aquicultura e Pesca, são capazes de garantir o abastecimento da região e a subsistência dos pescadores”, diz Bibi.
O presidente da Colônia Z-30 lembra que a legislação que rege a atividade pesqueira no País é rigorosa. São considerados pescadores (e, portanto, com direitos aos benefícios da legislação), apenas quem faz da pesca sua única fonte de renda. Por outro lado, os períodos de “defeso” começam a aumentar à medida que os órgãos de fiscalização percebem diminuições sensíveis nos cardumes. A combinação desses dois fatos reduz a renda das famílias e desestimula os pescadores.
Por isso é tão importante para os pescadores que técnicas como a criação em “tanque-rede” e em “tanque-terra” sejam disseminadas e se tornem acessíveis à categoria. Para muitos, sem o esforço governamental no sentido de facilitar o financiamento e a construção dos criatórios, seria impossível sobreviver da pesca.
Hoje (29), em sua sede, a Colônia reúne para discutir esses e outros problemas do setor.

Cresce o números de animais silvestres capturados em cidades de Goiás

No portal G1:
O número de animais silvestres nos centros urbanos tem chamado a atenção em Goiás. Este ano, o corpo de Bombeiros já capturou 213 animais silvestres no Estado, 10 a mais que em todo o mês de janeiro do ano passado.
Jaboti, jararaca e até tamanduás são alguns dos bichos entregues ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama). Nesta quinta-feira (26), os bombeiros capturaram uma jiboia e dois tamanduás-mirins. A cobra estava no quintal de uma casa em Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia. O réptil acabou solto em uma reserva ambiental da região.
Um dos tamanduás foi capturado no Setor Goiânia 2 e passa bem. O outro não teve a mesma sorte. Atropelado por uma moto na BR-060, na saída para Trindade, ele sofreu traumatismo craniano e está sob os cuidados de veterinários do Cetas.
Na quarta-feira (25), uma capivara apareceu no Córrego Cascavel, perto da Avenida Independência, uma das mais movimentadas de Goiânia, e deu muito trabalho para ser capturada. Em Guapó, cidade a 38 quilômetros da capital, bombeiros foram chamados para pegar uma cascavel.
Coordenadora da Fauna e Recursos Pesqueiros do Cetas, Ana Carolina Dias Oliveira conta que os animais, quando chegam ao local, passam pela triagem e recebem tratamento veterinário. "Os que estão aptos para retornar à natureza vão imediatamente. Outros ficam aguardando em cativeiro aqui mesmo", explica.

Como não tem favorito? Tem, sim! Te esperta Leão: Vencer a "coisa feia" é OBRIGAÇÃO!


Daqui a pouco o Leão Mais Lindo do Mundo enfrentará "aquela coisa feia", no Mangueirão, em Belém. Claro que a vitória do Leão deve ser considerada como favas contadas no balaio de Sinhá. Em primeiro lugar, porque bicho-papão não existe, crianças! É história que se conta para lactantes e mesmo estes já desdenham da "coisa feia".
Em segundo lugar, porque o time, cujo nome faz rima rica e não será jamais escrito neste blog (que como se sabe é civilizado e de família), é RIDÍCULO. Trata-se de uma farandola mal vestida e pior treinada, que já foi devidamente surrada por tantos quantos tiveram a mínima disposição para tirar do cós a cinta e fazer-lhe bom uso nos lombos esquálidos.
Portanto, paremos com essa história de que "em clássico não há favorito". Isso é tolice!
Quem viu o desempenho sofrível da "coisa feiíssima" no Zinho Oliveira contra o brioso e mui respeitado Águia de Marabá, sabe que o fôlego dos asmáticos "bananas de pijamas" durou pouco mais de 30 minutos e olhem que jogaram algo que vagamente lembrava o futebol em um campo pequeno que semelha uma caixa de sapatos!
Tomaram dois e poderiam ter levado outros cinco tiros se a artilharia do Águia, em sua extrema bondade, não lhes tivessem aliviado o sofrimento.
Esse discurso bobo de "não tem favorito" tira a pressão dos ombros dos jogadores azulinos e prejudica o Filho da Glória e do Triunfo.
Explico.
Jogador precisa de pressão. Jogador que não quer ser pressionado que vá procurar outra profissão! Pode ir fazer artesanato na Praça da República! E jogador do Clube do Remo precisa ser triplamente pressionado. Por jogar no Clube do Remo. Por jogar no Clube do Remo nas atuais circunstâncias. E por jogar no Clube do Remo tendo ao lado o Fenômeno Azul!
O empate com o Mapará somente poderá ser perdoado com uma sova bem aplicada na "coisa horrorosa"!
Caros jogadores do Leão Azul, repitam mil vezes: Quem é o freguês de caderneta do Leão Azul? Quem sofreu com a mais humilhante de todas as séries invictas do futebol mundial? Quem nasceu para ser saco de pancadas do Leão Mais Lindo do Mundo, do Filho da Glória e do Triunfo? Vocês sempre acharão a mesma resposta: A Coisa Feia!
Será este arremedo de time que vocês enfrentarão! Só isso!
Portanto, vistam de machos, apliquem uma senhora surra nos mal vestidos e voltem para casa com a certeza do dever cumprido! Simples assim!
É, meus caros, saibam que vocês estão muito, mas muito, muito pressionados!
Façam o trabalho de vocês e deixem o resto com o Fenômeno Azul.
Hoje é dia de gritar "Arreda! Arreda! Arreda!", de fazê-los odiar ainda mais o número "33", de mostrar para eles que o Mangueirão é apenas um anexo do Baenão!
Somos favoritos para este jogo de logo mais.
Mais que isso: vencer a "coisinha feinha" é OBRIGAÇÃO!

Partes de corpos são encontrados entre entulho removido de prédios desabados no RJ

No site Último Segundo, hoje (29):
Bombeiros do Rio de Janeiro que fazem buscas por corpos de vítimas do desabamento, em entulhos levados para um depósito, em Duque de Caxias, acharam quatro partes de corpos.
De acordo com a Polícia Civil, os restos mortais foram levados para o Instituto Médico Legal (IML) e agora precisam passar por uma perícia para esclarecer se pertencem aos corpos que já foram encontrados ou se fazem parte de outras vítimas ainda não resgatadas.
O comandante do Corpo de Bombeiros e Secretário Estadual da Defesa Civil, o coronel Sérgio Simões, pediu a Secretaria Municipal de Assistência Social para fazer uma revisão no número de pessoas que estavam desaparecidas após o desabamento de três prédios no Centro do Rio de Janeiro. Nesta nova análise foi apurado que seriam 22 vítimas da tragédia, sendo que 17 já foram encontradas e cinco continuam desaparecidas.
O coronel, que está no local do desabamento acompanhando as buscas, declarou à imprensa também que vai liberar a Rua Treze de Maio para os pedestres na segunda-feira (30). Tapumes de madeira já estão sendo colocados para isolar a calçada onde aconteceu o desabamento. Segundo ele, as buscas irão prosseguir e não têm prazo para terminar.
O edifício Capital, que fica ao lado do prédio que desabou, continuará interditado e não tem prazo para ser liberado. Apesar de não haver risco de desabamento, três andares desse edifício foram atingidos por escombros.
A respeito dos corpos que ainda faltam ser encontrados, Simões não descarta a possibilidade que tenham sido levados junto com os escombros para o aterro sanitário em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Um corpo foi encontrado no depósito na sexta-feira (27).

Uma tarde muito agradável com Fontelles; ou A "longa marcha" de Almir começou...

Tarde de sábado agradável na Orla, ao lado de Antônio Fontelles.
Papo da melhor qualidade sobre tudo aquilo que foi, é ou será.
Falamos sobre Devassa (a cerveja, bem entendido), Salinas (uma das expressões do Paraíso), Belém (a cidade linda mais mal amada do Mundo), gastronomia (ante-sala do pecado da Gula) e, por óbvio que seja, política. Muita política!
É sempre bom ver o mundo da política pelos olhos dos outros, não é?
Acaba fornecendo material farto para as análises necessárias.
Fontelles integra o grupo mais próximo ao ex-governador e provável candidato à prefeito de Belém, Almir Gabriel e me diz que o homem está com a corda toda.
As pesquisas para consumo interno do PTB, partido de Almir, mostram que a pré candidatura foi muito bem recebida pelo eleitor.
"Como governador do Estado, Almir foi o melhor prefeito que Belém já teve em 40 anos", é a explicação de Fontelles.
Impossível discordar.
Explica-me também a desistência de Flexa Ribeiro. Foi a base de Flexa que desertou primeiro e desertou para apoiar Almir! Flexa não tinha como manter a candidatura. Um sábio, este Flexa.
Metade do PSDB/Belém também já decidiu que não bate contra Almir. Até secretários estaduais já declararam que não podem ir à Almir, mas que as bases estão liberadas.
Por outro lado, a crise ameaça instalar-se no salão de festas do "Condomínio Pará", aquele criado pelo Califa no improviso da vitória improvável.
O PMDB busca de todas as formas um álibi para alçar voo solo. A disputa por Ananindeua parece bom o suficiente. De quebra, cria mais uma quizila na Assembleia Legislativa. Tudo para inflar o projeto "H" (de Hélder, o novo segundo o Evangelho dos Barbalho).
O PDT já saiu do ninho tucano. Parte do PPS também. E agora até o PR discute se, afinal de contas, é mesmo um bom negócio amarrar seu destino ao governo Jatene!
A candidatura de Arnaldo Jordy ameaça naufragar antes mesmo de começar a navegar pelas águas turvas do Guajará.
Por tudo isso, percebo em Fontelles o otimismo contido de um articulador experiente e calejado nas lutas encardidas da política paraense.
Pergunto por que um homem que marcou sua passagem na história como senador, governador e até candidato a vice-presidente, precisa descer à arena para combater de novo.
A resposta vem rápida: "Almir sabe que pode fazer muito por Belém e Belém sabe que Almir é capaz de fazer."
Mas, ponderar é preciso.
Edmilson segue à frente.
Jordy tem carisma e muito voto.
Jatene tem a caneta cheia de tinta e a disposição para usá-la em favor de Zenaldo "2.5%" Coutinho.
Priante tem, agora, em Jáder um padrinho rico.
Puty ou Alfredo Costa terão o PT a apoia-los.
Ou seja, a caminhada será longa e cheia de obstáculos para Almir. Mas, quem discorda que a mera possibilidade de Almir concorrer foi suficiente para mudar significativamente o cenário em Belém? Considerando que o velho Mao esteja certo, o primeiro passo da "longa marcha" Gabriel já deu e parece reunir todas as condições para chegar bem longe.

Eu estou "on". A Vivo, nem sempre!


Não pensem que a preguiça me tenha tomado conta d'alma e corpo! Nado disso! Também não fui acometido pelo "Mal do Jeca"! Estivemos sem atualizações graças aos bons préstimos da Vivo, esta provedora de acesso à web famosa por ser rápida como um guepardo para cobrar e lerda como uma lesma para prestar o serviço pelo qual cobra.
Mas, deixemos de coisa e cuidemos da vida!
Logo mais, postagens novas para todos!
Se a Vivo deixar, é óbvio!

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Sobe para sete o número de mortos em prédios desabados no RJ. 15 seguem desaparecidos


Com o corpo de um homem encontrado durante a madrugada de hoje, sobe para sete o número de mortes confirmadas em função do desabamento de três prédios na área central da cidade do Rio de Janeiro. As buscas por sobreviventes devem prosseguir por mais 48 horas, tempo que os especialistas consideram limite para sobrevida nestes casos. Diferente dos soterramentos, que costumam formar uma massa de destroços mais compacta, nos desabamentos é possível a formação de "bolsões" de ar capazes de manter vivos as vítimas. Contudo, sem água por mais de três dias, fica extremamente improvável que novos sobreviventes sejam encontrados.
Restam ainda 15 desaparecidos entre os escombros e o Corpo de Bombeiros garantiu ontem (26) que os trabalhos somente serão interrompidos quando o último corpo for retirado dos escombros.
Localizados próximo à região da Cinelândia, os prédios desabados, vizinhos da Câmara Municipal do Rio de Janeiro e do Teatro Municipal, teriam ruído em função de obras de reforma não autorizadas pelo órgão de fiscalização municipal. A explosão dos encanamentos de gás foi logo descartada e as investigações deverão se arrastar por, pelo menos, seis meses.
As buscas devem se concentrar, hoje, na região central dos escombros, onde suspeita-se que estejam cerca de 12 vítimas. Elas estariam todas juntas em uma sala participando de uma aula de informática.

Prefeito de Redenção desaparece para não ser preso pela PF, diz jornal


No Diário do Pará, hoje, (26):
O prefeito de Redenção, no sul do Pará, Wagner de Oliveira Fontes (PTB), estaria desaparecido da cidade desde a tarde de anteontem, quando supostamente ele foi visto deixando o município de avião. O motivo da suposta fuga do prefeito, que não compareceu a um compromisso público na manhã de ontem, seria para não ser preso pela Polícia Federal (PF) que abriu dois inquéritos para apurar as denúncias feitas contra ele pelo seu próprio vice, Gervásio José Camilo (PSDB), por meio de um jornal local.
O vice-prefeito explicou, ontem, que a iniciativa de abrir os processos por crime de responsabilidade contra o prefeito foi da própria PF, depois que o jornal local O Trabuco publicou uma entrevista sua, no dia 7 de outubro do ano passado, na qual ele denunciou que a prefeitura pagou quantias exorbitantes para pequenas “empresas de fachada” que, por lei, nem poderiam receber tantos recursos.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Twiiter avisa que já pode censurar mensagens de usuários em seus próprios países


O Twitter anunciou nesta quinta (26) em seu blog oficial que já possui a ferramenta capaz de remover tweets do microblog de acordo com o país, deixando o conteúdo censurado disponível para o resto do mundo. Antes, o Twitter só tinha como excluir tweets ou um usuário do microblog como um todo, ao redor do planeta.
Segundo o site ReadWriteWeb, apesar de o texto do microblog não citar a China, a medida pode significar uma tomada de posição sobre o controle de conteúdos que possam incomodar o governo do país, pulando na frente de Facebook e Google+, que ainda não chegaram a esse nível de decisão. A China, onde o Twitter é proibido, tem 500 milhões de internautas que recorrem a microblogs locais. A lei do país obriga os usuários a exibirem suas verdadeiras identidades.
De acordo com o Twitter, o recurso de exclusão de conteúdo ainda não foi utilizado. O microblog diz que, quando o fizer, tentará notificar o usuário. A empresa explica a nova política lembrando casos como os de França e Alemanha, que não permitem a divulgação de conteúdo pró-nazismo "por motivos históricos ou culturais".
Há quase um ano, a companhia dizia: "Há tweets que removemos, como tweets ilegais e spam. Entretanto, nos esforçamos para restringir essas exceções, para que possam obedecer a uma regra mais importante - nós batalhamos para não retirar tweets com base em seu conteúdo." Agora, mesmo defendendo o "respeito à voz de cada usuário", o Twitter vai "tentar manter conteúdo sempre que possível, e ser transparente com os usuários" quando isso não ocorrer.

Peluso reconhece erros em sua gestão, dizem membros do CNJ

No site do Estadão, hoje, (26):
Depois de quatro horas e meia de explicações em sessão secreta, o presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Cezar Peluso, conseguiu enquadrar os conselheiros e obteve o apoio para a licitação milionária de banco de dados. Apesar das suspeitas de direcionamento do contrato, levantadas pela multinacional IBM, os conselheiros concordaram em divulgar uma nota em que dizem ser regular a licitação.
Na nota veiculada ao final da sessão, cujo áudio foi gravado por decisão de Peluso, os conselheiros declararam não ter dúvidas sobre a legalidade e regularidade do processo licitatório. Ao final do texto, no entanto, ressaltaram que essa declaração de apoio não impede que órgãos de controle, como o Tribunal de Contas da União (TCU), investiguem o contrato para a compra de equipamentos da Oracle, licitação estimada em R$ 86 milhões.
O conselheiro Gilberto Martins, que na quarta-feira enviou um dossiê para os colegas elencando suspeitas sobre o processo, não quis se manifestar após a reunião. "O que houve está na nota", restringiu-se a dizer.
No relatório encaminhado a todos os conselheiros, Gilberto Martins afirmou que as exigências previstas no edital afrontavam o princípio da legalidade e indicavam direcionamento do processo. Além disso, argumentou que o CNJ teria direcionado dinheiro para a empresa que venceria a licitação, mesmo antes de o processo ser concluído.
De acordo com integrantes do Conselho, durante as mais de quatro horas de explicações, Peluso teria reconhecido erros na sua gestão no relacionamento com os conselheiros e se comprometido a dialogar. Outros integrantes, que criticavam de forma mais incisiva, se disseram satisfeitos simplesmente por Peluso ter de se explicar.
Durante a sessão, conforme quatro conselheiros, foi sugerido a Peluso ampliar a transparência dos contratos e das decisões do CNJ. Além disso, conselheiros disseram também que apresentarão na próxima sessão, marcada para o dia 14, uma resolução para submeter aos conselheiros a escolha do secretário-geral da presidência do Conselho. A proposta surgiu em razão da insatisfação com o atual secretário, Fernando Marcondes, principal responsável pela licitação e que não teria se pronunciado na sessão.

Na questão dos refugiados haitianos, a xenofobia arreganha os dentes. Uma vergonha!


A questão da imigração de haitianos para o Brasil, antes de qualquer coisa, é uma crise humanitária com certo grau de ineditismo. Por óbvio que o protagonismo brasileiro no cenário mundial serve como atrativo para os imigrantes que buscam abrigo no País, fugindo das condições sub humanas que guerra civil e terremoto impuseram ao Haiti. Para nós, brasileiros, uma ótima oportunidade para olhar para além do próprio umbigo e assumir uma postura diferenciada em relação aos outros países ricos, que fazem da xenofobia uma prática constante e nociva e do fechamento de fronteiras uma política de repulsa ao estrangeiro.
Imaginem o que significa para esses haitianos o desterro a que se submetem! Ao imigrar ilegalmente rompem todas as amarras afetivas com o próprio país, empurrados pela miséria e atraídos pelo sonho de recomeçar em terra estrangeira e entregam-se às mãos dos odiosos "coiotes", traficantes de gente.
Não pode ser fácil, mesmo para aqueles que têm dinheiro e educação formal. Muito mais difícil o será para aqueles que nada têm além da força de trabalho.
E ressalte-se que grande parte dos haitianos tem formação escolar equivalente ao nosso ensino médio e muitos têm formação superior. Podem ser pobres, mas não vieram esmolar pelas ruas das cidades brasileiras. Não há porque temê-los, antes, cabe-nos estender a mão para ajudá-los. Façamos por eles aquilo que muitos países já fizeram e que hoje se negam a fazer.
Mas, infelizmente, a imbecilidade, a desinformação e o preconceito estúpido parecem querer contaminar essa questão.
Reproduzo a seguir um post de um blog hospedado no site D24am.com que, como vocês verão, segue na contramão de tudo aquilo que acredito. Uma pérola do preconceito chinfrim que por vezes nos assola. Um raciocínio tosco e perigoso. Enfim, uma vergonha!
A coisa fica ainda pior quando sabe-se que hoje o Ministério Público Federal (MPF) no Acre entrou com ação civil pública na Justiça Federal para que a União garanta os direitos humanos dos haitianos que chegam ao Brasil em busca de trabalho e condições dignas de sobrevivência. Para o autor da ação, procurador Anselmo Lopes, o país deve reconhecer a condição de refugiado a todos os haitianos que estão e venham a entrar em território brasileiro.
Na ação, o MPF entende que o Brasil vem atentando duplamente contra os direitos humanos dessas pessoas ao deixar de prestar-lhes assistência humanitária devida e ao dificultar o ingresso em território brasileiro. Para o procurador, a falta do reconhecimento de refúgio aos haitianos consistirá em nova violação de seus direitos e os colocará em situação de vulnerabilidade ainda maior, expondo-os a crimes típicos de exploração humana, como a prostituição, trabalho escravo e outros.
A seguir o link para a estrovenga.

Dilma diz esperar que Rio+20 discuta "novo modelo de desenvolvimento mundial" e fala em "polo de democracia" na AL..



No ato público que reuniu governo e Forum Social Mundial, a presidente Dilma Rousseff fez discurso em defesa de um novo modelo de desenvolvimento. O palco dessa discussão, segundo ela, será a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio + 20, que será realizada em junho, no Brasil. No ginásio Gigantinho, em Porto Alegre, Dilma ressaltou que, num momento de crise e de incertezas, a Rio + 20 ganha significado especial.
“A Rio + 20 deve ser um momento importante de um processo de renovação de ideias. A Rio + 20 vai enfrentar uma questão mais ampla e decisiva. Um novo modelo de desenvolvimento nas suas dimensões econômica, social e ambiental. O que estará em debate é um modelo de desenvolvimento capaz de articular o crescimento e a geração de emprego, a erradicação da pobreza e a redução das desigualdades, a participação social e a ampliação de direitos, educação e inovação tecnológica, o uso sustentável e a preservação dos recursos ambientais”, disse.
Ela alertou para as “nefastas” consequências sociais e ambientais das medidas fiscais regressivas que os países desenvolvidos têm buscado para enfrentar a crise financeira internacional. O desemprego, a xenofobia, o autoritarismo e a paralisia do enfrentamento do aquecimento global, segundo Dilma, são perigosas ameaças. Por outro lado, lembrou, os países da América Latina foram capazes de construir “respostas progressivas e democráticas aos desequilíbrios internacionais”.
“O Brasil hoje é um outro país. Ninguém, nenhum grupo pode nos tirar isso. Nós somos hoje um país mais forte, mais desenvolvido e mais respeitado. Um país que convive harmonicamente com seus vizinhos da América do Sul, da América Latina e do Caribe, e quer construir com eles um polo de desenvolvimento e democracia no mundo”, disse Dilma segundo o Blog do Planalto.
Como o venezuelano Hugo Chávez, o cocalero Evo e o quase-morto Fidel integrariam essa equação democrática Dilma não informou. Uma pena. Mas, como visitará Cuba no início de fevereiro, com certeza a presidente haverá de dar uma daquelas suas proverbiais "duras" nos irmãos Castro e exigir que eles larguem o osso na ilha e aceitem essa tal democracia! Pelo menos é esta a esperança dos cubanos que resistem ao regine facinoroso dos Castro.
Dilma Rousseff defendeu a participação social nas discussões sobre desenvolvimento sustentável que terão lugar na Rio + 20. Segundo ela, é possível crescer, incluir, proteger e conservar. Desenvolvimento sustentável, explicou, significa o aprofundamento dos mecanismos de participação social e o fortalecimento da nossa democracia, e uma inserção soberana e competitiva no mundo.